Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém | Deputado municipal Avelino Subtil (PS) aplaudido por todos na hora da despedida

Ao fim de quase 25 anos de vida autárquica em Ourém, onde passou pelos três diferentes órgãos – Câmara, Assembleia e Junta de Freguesia -, Avelino Subtil (PS) despediu-se na última sessão da Assembleia realizada no dia 22, com uma mensagem de balanço e de agradecimento.

- Publicidade -

Avelino Subtil coloca um ponto final no seu percurso de autarca que começou a 28 de fevereiro de 1997, data em que tomou posse como membro da Assembleia, completando o mandato 1994/1997. Foi Vereador nos mandatos de 1998/2001 e 2002/2005, Deputado Municipal e da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo no mandato 2005/2009, Presidente da Assembleia de Freguesia de N.ª Sr.ª da Piedade de 2009 a 2017 e novamente Deputado Municipal no atual mandato.

Nasceu na freguesia da Sabacheira, concelho de Tomar, mas diz que desde muito novo descobriu Ourém, pois era nesta cidade que se realizava o grande mercado semanal que atraía os habitantes de uma larga faixa ao redor de Ourém.

- Publicidade -

Em janeiro de 1975 foi colocado como professor na Escola Secundária de Ourém, iniciando uma ligação mais profunda à comunidade de Ourém, primeiro em termos profissionais e depois através da intervenção no movimento associativo e na atividade política. “Fiz de Ourém a minha terra, a terra dos meus filhos e, por agora, de duas netas”, afirma, com orgulho.

Agora com 65 anos, o autarca diz que “teve o privilégio de servir os eleitores nos três órgãos do poder local, vivenciando de forma direta o papel de cada um deles na procura da melhoria da qualidade de vida das populações”.

Apesar da sua entrega e dedicação, reconhece com humildade que por vezes se arrependeu das decisões que assumiu, mas isso “faz parte do percurso de qualquer autarca”. “Duma coisa não tenho dúvidas: nunca me desviei de princípios éticos e cívicos no momento de decidir”, garante.

“Olhando para o que foi a minha experiência autárquica, destaco a possibilidade que me proporcionou de conhecer todo o Concelho e de me relacionar com um grande número dos seus habitantes, que primam por bem acolher os eleitos locais, independentemente da força política que representam. A outro nível, realço a experiência de cultura democrática que me foi possível vivenciar, que se traduziu no estabelecimento de relações de colaboração e de amizade sem condicionalismos de ideais políticos distintos”, refere o autarca na hora da despedida.

Terminou a sua intervenção fazendo votos “de que o concelho de Ourém possa continuar os ideais fortes e sentidos da minha e das gerações seguintes: acreditar que é possível viver melhor, com mais liberdade, mais qualidade de vida, mais desenvolvimento e mais sonhos! Porque é o sonho que comanda a vida!”

Mais à frente, o Presidente da Assembleia Municipal, João Moura (PSD-CDS) agradeceu as intervenções dos eleitos que se despedem destacando o exercício de funções autárquicos de Avelino Subtil, “cidadão que merece o respeito de toda a comunidade oureense, dedicado às causas e aos valores da comunidade”.

Destacou e disse testemunhar os seus princípios éticos, apesar das diferenças ideológicas e da forma de ver o concelho. João Moura agradeceu a Avelino Subtil “tudo quanto deu à comunidade” e realçou o facto de ter tido a humildade de reconhecer que errou em algumas das suas tomadas de oposição, “isso só é capaz de o fazer um homem de muita elevação e de grandes características”.

Também o Presidente da Câmara, Luís Albuquerque, antes do fim da sessão, enalteceu o papel de Avelino Subtil após os seus quase 25 anos como autarca.

Usaram da palavra ainda com mensagens de balanço, agradecimento e despedida, António Pereira, Presidente da Junta de Freguesia de Atouguia (PSD-CDS) e o Deputado municipal Martim José Rosado Borges de Freitas (PSD-CDS).

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome