Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Ourém: Crianças com alergias da lagarta-do-pinheiro já tiveram alta médica

Seis crianças “em idade pré-escolar” do Jardim de Infância/Escola Básica de Casal dos Bernardos tiveram que receber cuidados médicos na terça-feira, 1 de março, depois de terem entrado em contacto com a lagarta-do-pinheiro. Os serviços de saúde municipais estiveram na escola, mas não encontraram mais vestígios de lagartas-do-pinheiro, concluindo assim que este foi um caso pontual. As crianças foram levadas para o Hospital de Leiria, mas já tiveram alta médica.

- Publicidade -

Segundo informação dos serviços municipais “esta situação surgiu na sequência do contacto destas crianças com a lagarta do pinheiro (processionária), com provável origem num pinhal adjacente ao estabelecimento escolar. Os docentes/não docentes viram a lagarta no recinto da escola, tendo-se apercebido que as crianças terão entrado em contacto direto com o mencionado inseto”.

O delegado de saúde deslocou-se à escola durante a tarde de terça-feira, “dando orientações sobre a maneira de prevenir o contacto das crianças nesta circunstância. Considera-se que o aparecimento foi pontual dado não ter sido verificado, no local, outras lagartas ou qualquer infestação desta espécie”.

- Publicidade -

“As crianças foram tratadas, estando estáveis, na sua maioria já com alta médica, e regressado ao domicilio”, refere a mesma informação.

A Câmara Municipal de Ourém alerta para “o facto de, os adultos e as crianças, deverem estar preparados para a identificação destes insetos endémicos, que colonizam os pinheiros nesta fase do ano (fim do Inverno e primavera), para prevenção destes acidentes e para a sua capacitação no autocuidado”.

Em declarações ao mediotejo.net, o presidente do município, Paulo Fonseca, já mencionara que esta era uma “situação pontual” que “se deve desdramatizar”, apesar de ser preocupante pelo facto de serem crianças. “É algo que nos preocupa, mas não é grave”, sublinhou.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here