Ourém | Comércio e restauração reabrem consoante movimentação turística

Foto arquivo: mediotejo.net

Até à presente data, a ACISO – Associação Empresarial de Ourém Fátima apenas tem conhecimento de um estabelecimento de cafetaria que decidiu encerrar definitivamente depois do período de confinamento. Os restaurantes e o comércio do concelho de Ourém estão a reabrir, embora de forma mais gradual que no resto do país ou em períodos específicos, atendendo à movimentação de turistas na cidade de Fátima. Segundo a presidente da ACISO, Purificação Reis, vários estabelecimentos estão ainda a requisitar o selo “Clean and Safe”, referente à segurança sanitária.

“A adaptação às orientações do Guia de Boas Práticas para o setor do comércio está em curso e os empresários estão a adequar as recomendações de saúde, higiene e segurança às especificidades dos seus espaços comerciais”, adiantou Purificação Reis ao mediotejo.net, via email.

A responsável explica que há áreas de atividade mais críticas, como os pronto-a-vestir, uma vez que implicam o manuseamento do produto e “exigem a implementação de um conjunto mais alargado de procedimentos, exigindo mais preparação do espaço e mais procedimentos de desinfeção dos produtos. Os empresários estão muito empenhados nesta reabertura, em segurança, como forma de tentarem, a pouco e pouco, recuperar alguma faturação que viabilize a continuidade do negócio”.

Já no comércio direcionado para o turismo “a reabertura está a ser lenta e gradual, e as poucas lojas que abrem as portas, fazem-no em determinados períodos de tempo mais reduzidos, pois não existem clientes que justifiquem a abertura normal dos estabelecimentos. Este é um período em que os empresários estão a adaptar os seus espaços à nova realidade, estando a procurar intensamente os serviços da ACISO para tratarem da implementação dos novos procedimentos”, continua.

Purificação Reis referiu ainda que o concelho de Ourém tem um “conjunto alargado de bons e espaçosos restaurantes, os quais, apesar das dificuldades de operação decorrentes da implementação dos procedimentos de saúde, higiene e segurança, tem boas condições de espaço que lhes permite reduzir o número de lugares disponíveis e aumentar a distância entre mesas  e estão a trabalhar afincadamente para retomarem a sua atividade”.

Destaca também que “um número significativo de empresários do setor estão a requerer o selo “Clean and Safe” e a adotarem os procedimentos em conformidade. A atividade de restauração é agora muito mais exigente, quer em termos de pessoal quer em termos de produtos de desinfeção e proteção a utilizar, terá um enorme acréscimo de custos de operação e uma redução do número de clientes, mas os empresários estão conscientes que este é o caminho possível para uma reabertura em segurança e para que possam começar a faturar qualquer coisa, na esperança que consigam ultrapassar e sobreviver à pandemia”.

Neste sentido, alguns restaurante mais direcionados para turismo podem retardar a reabertura até o movimento turístico regressar a Fátima,”mas a maioria dos restaurantes estão a reabrir as suas portas. Até à data a ACISO apenas tem conhecimento de um estabelecimento de cafetaria que decidiu encerrar definitivamente”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here