- Publicidade -

Ourém | CIM Médio Tejo presta contas e esclarecimentos em Assembleia Municipal extraordinária

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo foi chamada a prestar um ponto de situação da sua atividade aos eleitos da Assembleia Municipal de Ourém. A presidente da CIM do Médio Tejo, Anabela Freitas, fez uma exposição de vários projetos de instituições, em particular os que envolvem o concelho de Ourém, explicou a importância do trabalho desenvolvido ao nível supra municipal, de que é exemplo as candidaturas a fundos de apoio, e respondeu às dúvidas levantadas pelos deputados.

- Publicidade -

Anabela Freitas, que também preside ao município de Tomar, deu conta de vários projetos que estão em cima da mesa para receberem fundos europeus, num trabalho concertado entre aquele município e a Comunidade Intermunicipal.

No concelho de Ourém o destaque foi para a reabilitação das extensões de saúde de Caxarias e de Rio de Couros, a reconversão do jardim de infância de Atouguia para Centro Escolar, a construção do Centro Escolar Fátima Sul, a primeira fase da Rota das Azenha do Olival e a requalificação do edifício da Escola Básica de 2º e 3º ciclos Dr Manuel Lopes Perdigão.

- Publicidade -

Assembleia decorreu em videoconferência Foto: mediotejo.net

A responsável fez ainda uma exposição das várias candidaturas em análise e outras concluídas, assim como a execução das mesmas, em vários setores de intervenção. Foi dado também a conhecer aos deputados os vários projetos da CIM, como a melhoria da mobilidade no Médio Tejo, o desenvolvimento do cadastro das infraestruturas em baixa ou, num plano mais alargado, a estratégia de desenvolvimento territorial da região.

No que toca à pandemia em 2020, a CIMT investiu em bens 794 mil euros. “Continuamos ainda este ano a fazer esse investimento”, garantiu a presidente, referindo que é a CIMT que paga um hotel em Abrantes para profissionais de saúde que assim o necessitem.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, elogiou a iniciativa da mesa da Assembleia Municipal de Ourém de trazer a CIM Médio Tejo à sessão, dando assim a conhecer aos deputados o que a instituição faz. “É um órgão importante no território”, frisou, que abrange 13 concelhos, cada um com as suas realidades.

Luís Albuquerque enumerou onde foram gastos os 5,4 milhões de euros que o município foi buscar, através da CIM Médio Tejo, para reabilitação urbana, como a requalificação do Cineteatro ou a requalificação da avenida D. Nuno Álvares Pereira. Adiantou ainda outros projetos que receberam cerca de 2 milhões de fundos comunitários, referindo que se está a iniciar um processo de investimento no arquivo digital, na virtualização do trabalho e formulários online. Abordou ainda uma candidatura em curso para conseguir elaborar um cadastro do concelho.

Todas as bancadas tiveram hipótese de fazer perguntas. Na fase das respostas, Anabela Freitas incidiu nas críticas levantadas pelo deputado António Gameiro à Tejo Ambiente, sobre o aumento das taxas de saneamento. Apelaria assim aos dois deputados da Assembleia da República presentes, António Gameiro (PS) e João Moura (PSD), para abordarem nesse órgão o aumento, a nível nacional, exigido a essas taxas.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).