Ourém | Caxarias não quer EcoCentro junto a escola

EcoCentro de Fátima Foto: CM Ourém

A notícia de um estudo prévio para um EcoCentro junto à Escola Básica de 2º e 3º ciclos Cónego Doutor Manuel Lopes Perdigão, em Caxarias, anunciado a 5 de junho pelo presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, não terá caído bem naquela freguesia. O tema originou uma circular, de autor anónimo, a apelar ao boicote do projeto e a população tentou levar o tema à Assembleia de Freguesia, não tendo conseguido devido às regras da pandemia, que fecharam as sessões ao público até 30 de junho. Luís Albuquerque acredita que a animosidade em relação ao projeto se deve a falta de informação.

PUB

O estudo prévio para este EcoCentro foi apresentado no Dia do Ambiente como parte integrante da estratégia ambiental do executivo PSD-CDS. Segundo Luís Albuquerque, há “carência” no norte do concelho de uma estrutura dedicada à reciclagem, tendo sido analisada a hipótese de estabelecer o equipamento em Caxarias, num terreno municipal perto da escola. O plano, que contempla também um pequeno anfiteatro para atividades didáticas, está ainda em desenvolvimento, mas existe uma estimativa geral de investimento, ainda em aberto, na ordem dos 130 mil euros.

Poucas semanas depois desta notícia, uma carta anónima a manifestar-se contra o EcoCentro começou a circular em Caxarias. Destacava o texto, a que o mediotejo.net teve acesso, que há dois EcoCentros do município no concelho, em Fátima e Gondemaria, que são um local de deposição temporário de resíduos a céu aberto. “Em nenhum dos casos é possível verificar a existência de rodilúvios e sistemas de lavagem e desinfeção de viaturas que acedem a esta zona, que por muito limpa que possa ser, será sempre uma zona suja com resíduos no pavimento, escorrências e materiais em decomposição”, refere.

PUB

Libertação de odores, aumento de circulação de veículos, libertação de poeiras e resíduos arrastados pelo vento, propensão para acesso a pragas (insetos, roedores, aves, etc.) “porque não são considerados meios de contenção/acesso eficazes que cumpram a sua função e ambientalmente aceitáveis”, são algumas das consequências apontadas caso surja o EcoCentro em Caxarias.

“Não existe nenhuma entidade ou organismo que garanta a higienização adequada do local, bem como os materiais rececionados, sabemos que por o meio alguém se tenta livrar de resíduos que podem não estar contemplados na lista de resíduos a receber pelo ecocentro ou que as entidades venham a dizer que irão rececionar, de forma a minimizar o efeito sobre a opinião da população”, afirma o mesmo texto.

PUB

Na segunda-feira, 6 de julho, após a reunião camarária, a comunicação social interpelou Luís Albuquerque sobre o tema, nomeadamente a ida à Assembleia de Freguesia. “Tudo isso tem a ver com a falta de informação das pessoas, que acham que é uma fonte poluidora”, afirmou o presidente.

Segundo o autarca, o EcoCentro será sobretudo um espaço de recolha de monos e algum material de construção civil. Sobre a proximidade à escola, Luís Albuquerque referiu que o terreno não se vê da estrada e está relativamente resguardado.

“Já mostrámos a nossa disponibilidade para mostrar o projeto” à população, garantiu. O presidente adiantou que se vai tentar chegar a consenso, mas caso o município verifique muita contestação em Caxarias o equipamento será implementado noutra freguesia mais recetiva ao projeto.

Contactado pelo mediotejo.net, o presidente da junta de Caxarias, Filipe Graça, esclareceu que a população não está contra o EcoCentro em si, mas contra a localização paredes meias com a escola. “Se for longe não vejo inconveniente”, comentou.

O autarca confirmou que houve uma intenção da população levar o tema à discussão à Assembleia de Freguesia, mas como a sessão, realizada dia 29, ainda estava fechada ao público devido às regras de prevenção da pandemia a questão acabou por não ser discutida.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here