Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Dezembro 1, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém | Caminhos da fé e da espiritualidade com garantia de segurança sanitária

O Turismo Centro de Portugal apresentou hoje a estratégia de promoção dos Caminhos da Fé e Espiritualidade, que desafia os turistas a usufruírem de uma “experiência de valorização pessoal”, com a segurança sanitária assegurada. A diretora do Departamento de Desenvolvimento de Recursos do Turismo de Portugal, Teresa Ferreira, desafiou hoje, numa conferência de imprensa em Fátima, no concelho de Ourém, os turistas a experienciarem a dimensão dos caminhos da fé.

- Publicidade -

“Os Caminhos de Fátima, os Caminhos de Santiago e a herança judaica são uma abordagem que a própria estratégia nacional de turismo realça como estruturante para o desenvolvimento turístico do país, porque assenta em ativos que nos diferenciam, não só na dimensão do património material, como no património imaterial, paisagem e património natural”, destacou Teresa Ferreira.

Segundo esta responsável, esta é uma “proposta de experiência turística que pode ser usufruída durante todo o ano e permite descobrir muitos percursos, muitos cantos deste país que ainda não estão demasiado visíveis na promoção turística”.

- Publicidade -

Considerando que estas propostas vão ao encontro das expectativas dos turistas no pós-pandemia, Teresa Ferreira afirmou que se trata de “experiências de valorização pessoal e seguras”.

“Neste momento, a segurança é particularmente relevante. Estas são experiências alternativas a destinos mais massificados. Por outro lado, são experiências que podem ser feitas individualmente e em pequenos grupos”, reforçou.

A responsável lembrou ainda que as empresas prepararam-se para as necessidades do ponto de vista da segurança sanitária e que já existem “mais de 11.400 empresas com o selo ‘clean&safe’, com um verdadeiro compromisso de assegurar as regras de segurança de higiene e sanitária que são exigidas e que reforçam aquilo que já era uma prática bastante cuidada”.

Nesta fase, o objetivo do Turismo de Portugal é “captar o mercado nacional”, que será “importante nestes primeiros meses de retoma”.

“Continuamos atentos e a acompanhar muito de perto os mercados emissores internacionais para atuar quando for possível”, afirmou.

Teresa Ferreira destacou que a mensagem do futuro é comunicar Portugal como “um destino seguro e sustentável”.

Além de Fátima, existem outros locais de culto em destaque neste guia, nomeadamente o Caminho de Santiago, a Rota Carmelita, o Património Judaico (rotas das judiarias) entre outros, assim como os lugares que propiciam a paz interior e espiritual, e que revelam algum potencial por explorar. Foto: CMO

Para o presidente do Turismo Centro Portugal, Pedro Machado, esta proposta desafia os portugueses “que não tinham pensado fazer uma experiência espiritual ou religiosa a poderem fazê-lo com muito pouco custo do ponto vista material, mas cheio de significado do ponto de vista da dimensão espiritual”.

Pedro Machado destacou o exemplo “extraordinário” que Fátima deu a Portugal e ao mundo, cancelando as peregrinações e missas presenciais.

O responsável, que informou que os guias lançados trazem as recomendações imprescindíveis em articulação com a Direção-Geral da Saúde, apelou aos portugueses para que façam férias em Portugal e no centro de Portugal.

“É uma forma de ajudar Portugal e as empresas portuguesas a resistir e a ultrapassar esta fase difícil”, reforçou.

Pedro Machado salientou ainda a forma como todos os agentes turísticos estão preparados para esta fase, revelando que o Centro de Portugal tem atribuídos 1.700 selos ‘clean&safe’, “distribuídos nas suas múltiplas áreas de serviço”.

“Já ultrapassamos mais de 12% daquilo que é a oferta nacional de Portugal. É um extraordinário indicador. É uma mensagem de segurança para quem queremos receber e simultaneamente também observa o sentido da responsabilidade dos empresários”, disse Pedro Machado.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome