Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém: Atendimento hospitalar encaminha-se para Leiria

O Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, esteve em Ourém na sexta-feira, 3 de junho, para dar conta das mudanças que estão a ser implementadas a nível do atendimento hospitalar. O discurso abstrato levantou dúvidas à oposição PSD-CDS, que na reunião camarária dessa tarde questionou o executivo sobre o que efetivamente vai mudar para Ourém.

- Publicidade -

O presidente da Câmara, Paulo Fonseca, explicou que se trata da livre escolha do cidadão pelo hospital que mais lhe convier, no caso do concelho de Ourém o Hospital de Leiria.

A ambição de passar a ter como Hospital de referência o Hospital de Santo André, em Leiria, é antiga no concelho, uma vez que este se situa a cerca de 30 quilómetros, enquanto que o de Abrantes fica a cerca de 70 quilómetros. Até agora, mesmo que o ouriense se encaminhasse em urgência para Leiria, caso houvesse necessidade de internamento seguia para o Hospital de Abrantes.

“O Ministro anunciou que os cidadãos vão poder usufruir de todas as valências” no Hospital da sua escolha, já explicara Paulo Fonseca aos jornalistas, num processo que neste momento está a ser implementado pelo Ministério da Saúde.

Trata-se de um despacho de 2 de maio, em que a primeira consulta de especialidade passa a ser marcada em conjugação com o médico de família, no Hospital que este considerar mais conveniente para o utente.

Também em comunicado, na sexta-feira, a Câmara de Ourém refere que “o Ministro da Saúde garantiu esta manhã, em Ourém, que os utentes deste concelho poderão aceder aos cuidados de saúde no hospital mais próximo, neste caso, Leiria”.

Continua referindo que “para Adalberto Campos Fernandes «não faz sentido que, se a resposta está a 20 km, forçar que o cidadãos se desloquem 60 ou 70 quilómetros», frisando que, com as novas regras anunciadas «os cidadãos têm o direito a escolher dentro do SNS aquilo que lhes é mais conveniente em concertação com o seu médico de família»”.

 

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here