Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sexta-feira, Setembro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ourém | AMO desafia estudantes a criarem projetos de arte urbana

A segunda edição do projeto Assembleia Jovem de Ourém (AJO) está já em curso, tendo a Assembleia Municipal de Ourém desafiado os estudantes a criarem projetos de arte urbana para o concelho.

- Publicidade -

Este ano, são cerca de 2500 os alunos desafiados a apresentarem projetos de arte urbana para as cidades, vilas e aldeias do concelho de Ourém, o tema mote para a segunda edição do projeto Assembleia Jovem, e que a AJO promoveu em sessões de apresentação que decorreram em todas as escolas envolvidas (Centro de Estudos de Fátima, Colégio de S. Miguel, Colégio do Sagrado Coração de Maria, Escola Básica e Secundária de Ourém, EB 2,3 D. Afonso IV Conde de Ourém, EB 2,3 Cónego Dr. Manuel Lopes Perdigão de Caxarias, Escola da Freixianda, Escola de Hotelaria de Fátima e Escola Profissional de Ourém).

Em nota de imprensa, João Moura, presidente da Assembleia Municipal de Ourém, fez um balanço “muito positivo” da ronda de apresentações da AJO nas escolas do concelho.

- Publicidade -

“Além dos alunos já estarem familiarizados com a AJO e com os seus objetivos, notei um grande interesse no tema deste ano. É algo que lhes diz respeito, que apreciam e sentem-se muito valorizados por poderem ter um papel interventivo nos seus territórios. Queremos mobilizar alunos, artistas e a comunidade num diálogo inovador que resulte numa paisagem inesperada”, referiu o autarca, citado na mesma nota.

“Vocês são a massa crítica, são o futuro, por isso é em vós que quero incutir o espírito de amor pela vossa terra e pelo bem comum”, afirmou João Moura, referindo estar assim a cumprir um dos seus principais objetivos enquanto presidente da AMO: “aproximar os eleitores dos eleitos e cativar pessoas para a vida pública”, tendo ainda desafiado os alunos a sair da sua zona de conforto.

A AJO, que vai na segunda edição, decorrerá em três etapas e em dois escalões diferentes (2º/3º ciclo e Secundário). Após a fase de apresentação do projeto nas escolas, os estabelecimentos de ensino terão até ao mês de janeiro para eleger os seus representantes, em cada um dos escalões. Nesta fase, cada equipa terá de apresentar uma proposta e defendê-la junto dos seus pares, sendo eleita a que obtiver mais votos.

Numa segunda fase, previsivelmente em maio 2020, decorrerá a Assembleia Jovem de Ourém, em que cada equipa terá assento na AJO, como se de uma Assembleia Municipal se tratasse. Nesta ocasião cada grupo apresenta e defende o seu projeto às outras escolas, sendo eleita a melhor proposta de cada escalão. A sessão da Assembleia Jovem de Ourém será liderada pelo presidente da AMO e terá um regimento próprio.

Na terceira fase, a equipa vencedora de cada escalão terá assento numa sessão da Assembleia Municipal de Ourém e apresentará a sua proposta sob a forma de recomendação ao executivo municipal.

Além da oportunidade de verem as suas propostas apreciadas pelos membros da Assembleia Municipal de Ourém, os cinco vencedores de cada escalão terão direito a bilhetes para o Festival NOS Alive. A ideia de arte urbana vencedora será a base para o trabalho a executar por um artista consagrado.

Para o presidente da AMO, “mais do que os prémios que possamos dar a estes jovens, a AJO é sobretudo a concretização de um objetivo que possibilita aos estudantes a construção de um projeto local, a sua defesa junto dos seus pares e a sua apreciação em sede de Assembleia Municipal. Na verdade, terão a oportunidade de ver concretizada a sua ideia, dentro daquilo que é razoável”, concluiu.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome