Ourém | Agrupamento de Escolas de Caxarias recebeu prémio EdSex (c/vídeo)

O Agrupamento de Escolas Cónego Dr.Manuel Lopes Perdigão recebeu na quinta-feira, 22 de fevereiro, o prémio pelo 1º lugar no concurso “EdSex”, promovido pela associação de solidariedade social Casa Qui. Através do Seminário Júnior Contra a Violência e a curta-metragem “Flores”, a EB 2/3 de Caxarias, Ourém, destacou-se a nível nacional num concurso que pretendia promover a igualdade através da educação sexual.

PUB

“São importantes estes prémios porque trazem às escolas uma dinâmica muito específica” de construção da cidadania, referiu em mensagem de vídeo Sofia Neves, professora de psicologia no Instituto Superior da Maia, apresentado no decorrer da entrega de prémios. Estes trabalhos são importantes não só do ponto de vista social, salientou, como do ponto de vista político.

“Muito obrigada pelo desafio lançado”, agradeceu a diretora do agrupamento de escolas Cónego Dr.Manuel Lopes Perdigão, Cláudia Campos. “É uma temática que tem que ser debatida todos os dias”, mas que no interior do país nem sempre é fácil, constatou. O trabalho entre professores e alunos permitiu no entanto que se captasse a mensagem.

PUB

Da parte da Casa Qui, Rita Paulos elogiou os dois agrupamentos de escolas que alcançaram os três primeiros prémios (o agrupamento de escolas do Fundão ficou em 3º e 2º lugar), mostrando um envolvimento nos temas sociais e fazendo algo que vai além da sua obrigação diária.

A responsável salientou que há cada vez mais jovens a assumir a sua sexualidade, no entanto aumentaram os números da violência no namoro. Tanto jovens como adultos parecem não saber identificar os sinais de violência na relação, alertou

“O concurso teve muito impacto”, constatou, incentivando-se com este modelo a que mais trabalho seja realizado em prol da educação sexual. “Queremos conhecer as boas práticas”, referiu, “a educação é o pilar da nossa sociedade”.

Na EB 2/3 de Caxarias, o projeto que concorreu ao EdSex teve como responsável o professor Paulo Marques. “Dou muito de mim aos alunos”, confessou, salientando o trabalho dos professores e de como “somos muitas vezes heróis no silêncio”.

A curta-metragem “Flores” foi pensada como forma de abrir o Seminário Júnior Contra a Violência, em 2015, tendo recebido o apoio da APAV – Associação de Apoio à Vítima e dos Bombeiros de Caxarias. “Os alunos envolvidos tiveram logo a perceção” do impacto do trabalho que tinham realizado, constatou.

No agrupamento o professor não conhece casos de violência no namoro. Constata porém que é um meio pequeno, onde certas situações são facilmente identificadas. “Temos que começar a educar por baixo, pelas crianças”, defendeu.

Na cerimónia de entrega de prémios, que decorreu na sede em Caxarias, estiveram também presentes os representantes do agrupamento de escolas do Fundão, o escritor Bruno Magina, a jornalista Catarina Marques Rodrigues e o presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, que elogiou o trabalho realizado em prol da igualdade de género.

PUB
PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).