Ourém | Administração Regional de Saúde diz que enfermeira com covid-19 ficou “voluntariamente” a trabalhar

Em resposta a um pedido de esclarecimento do mediotejo.net, a Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo afirma que as funcionárias do Lar Geração de Elite, em Casal dos Bernardos, Ourém, infetadas com o vírus SARS CoV-2, ficaram a trabalhar voluntariamente, contrariando a denúncia de Susana Poeta, enfermeira daquela instituição, que na passada sexta-feira, 13, disse que tinha sido  “obrigada a trabalhar no lar durante 10 dias seguidos”, depois de ter testado positivo para a covid-19, o que motivou uma denúncia e a intervenção da bastonária da Ordem dos Enfermeiros.

PUB

A 4 de novembro, 41 utentes e 18 colaboradores do Lar Geração de Elite foram testados, sendo que apenas três deram negativo (“duas eram imunes porque já tinham padecido de covid-19”, adianta a ARS). “A maioria dos profissionais desta instituição, concordou cumprir o isolamento de 10 dias dentro da instituição, para salvaguarda dos seus familiares e redução de risco de propagação da covid-19 na comunidade. Quem não concordou, cumpriu o isolamento no seu domicílio”, garante a ARS, acrescentando que “a autoridade de saúde local também não emitiu qualquer orientação no sentido de obrigar as colaboradoras a trabalhar contra a sua vontade durante o isolamento na instituição”.

Na passada sexta-feira, dia 13 de novembro, referem, “a autoridade de saúde informou o lar que tinha agendado um novo rastreio Covid-19 para o dia seguinte, 14 de novembro e 10º dia de isolamento, após o qual todos os colaboradores, independentemente dos resultados, poderiam regressar a casa”, esclarece a ARS.

PUB

Nos 10 dias de isolamento a instituição foi acompanhada pela autoridade de saúde local, proteção civil, segurança social e médicos de medicina geral e familiar, e “foi inclusivamente disponibilizado apoio psicológico para os colaboradores e utentes que dele necessitassem”, reforça. “A autoridade de Saúde Pública Local, em articulação com a direção do lar, a Proteção Civil e a Segurança Social determinou as medidas de Saúde Pública adequadas à situação em conformidade com as orientações da DGS”, conclui.

A enfermeira Susana Poeta recebeu um teste positivo no dia 4 de novembro e diz que posteriormente foi impedida de sair do Lar Residência Sénior Geração de Elite (onde, como o mediotejo.net noticiou a 5 de novembro, 56 funcionários ficaram infetados com o novo coronavírus), até obter um resultado negativo para a covid-19. “Estou exausta, sou a única enfermeira, trabalhei todos os dias porque tinha que dar temperaturas e sintomas dos utentes, vigiar dia e noite, há 10 dias que mal durmo (…) Estou a cuidar de pessoas, quem cuida de mim?”, escreveu a enfermeira nesse grupo do Facebook, na passada sexta-feira, 13.

“Estás positiva, vais imediatamente para casa até estares bem. Palavra de honra”, respondeu-lhe a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, que pouco depois deixou um “aviso” no seu mural no Facebook: “Ou deixam sair de imediato esta enfermeira, cumprindo a norma da DGS que é muito clara, ou terão uma queixa-crime por sequestro.” No sábado a enfermeira regressou a sua casa.

O mediotejo.net solicitou esclarecimentos ao Lar Geração de Elite sobre este caso, não tendo recebido resposta.

PUB
Cláudia Gameiro
Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).