Obras no Ramal de Tomar obrigam a transbordo rodoviário até outubro

Foto: DR

A CP adverte que, devido a obras no Ramal ferroviário de Tomar, será necessário proceder a transbordo rodoviário aos comboios Regionais 4435 e 4437 a partir de segunda-feira, dia 27 de julho e até ao dia 9 de outubro. O transbordo de passageiros decorrerá sempre de segunda a sexta-feira. As obras estão a cargo da IP – Infraestruturas de Portugal e representam um investimento global na ordem dos 2,4 milhões de euros.

PUB

Segundo a CP, entre 27 de julho e 9 de outubro o transbordo rodoviário irá decorrer da seguinte forma:

Comboio Origem Destino Serviço rodoviário de substituição* entre:
Regional 4435 Lisboa Sta. Apolónia 21:45 Tomar 23:49 Entroncamento e Tomar
Regional 4437 Lisboa Sta. Apolónia 22:45 Tomar 00:40

 

Paragens referentes às estações:

Entroncamento – parque de estacionamento da estação;

Lamarosa – junto à estação;

Soudos-Vila Nova – Vila Nova, Largo Francisco da Silva;

Carrascal – Casal de Baixo, cruzamento da Rua do Apeadeiro com a Rua de Santa Catarina;

Curvaceiras – Casal da Capela, cruzamento da Rua 19 de Dezembro com a Rua do Apeadeiro;

Santa Cita – Cruzamento da Estrada CM 1134 com a Rua do Apeadeiro;

Carvalhos de Figueiredo – Cruzamento da EN 110 com a Rua do Apeadeiro;

Tomar – Junto à estação.

Mais informa a CP que neste serviço rodoviário de substituição “não é permitido o transporte de bicicletas nem de animais de estimação e não é possível o transporte de cadeiras de rodas”.

Recorde-se que foi, no início do mês de julho, consignada a empreitada de reabilitação de via entre os km 2,156 e 6,274 do Ramal de Tomar. Segundo a IP, a obra tem um prazo de execução de 180 dias de calendário, e foi adjudicada à empresa Fergrupo-Construções e Técnicas Ferroviárias, S.A. por 1.649.926,65 euros, valor ao qual acresce o custo dos materiais fornecidos pela IP, de cerca de 750 mil euros, o que representa no global um investimento de dois milhões e 400 mil euros.

A primeira fase do projeto de renovação de via do Ramal de Tomar pretende “reabilitar a via-férrea num troço onde os materiais que a compõem se encontram no fim de ciclo de vida útil, situação particularmente relevante por se tratar de um traçado em curva, onde os esforços laterais na via não são negligenciáveis”.

A obra irá contemplar trabalhos de substituição integral das travessas de madeira por travessas de betão bibloco; substituição de carril em barra curta por carril em barra longa soldada; desguarnecimento, rebalastragem e ataque mecânico pesado; beneficiação do sistema de drenagem em toda a extensão do troço; a gestão, coordenação e fiscalização dos trabalhos da empreitada será assegurada por meios internos da IP, tendo o projeto de execução sido desenvolvido pela IP Engenharia.

PUB

Refira-se que o Ramal de Tomar é uma ligação ferroviária de via única eletrificada com 14,755 metros de extensão que assegura a interligação entre a cidade de Tomar com a Linha do Norte, na Estação da Lamarosa. Foi inaugurado em setembro de 1928 com a denominação de Caminho de Ferro de Lamarosa a Tomar.

Fonte: CP e Infraestruturas de Portugal

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here