Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Maio 13, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“O que falta em Abrantes para os criativos, parte 2”, por Massimo Esposito

Na sequência do primeiro artigo com este título, acho interessante dar a conhecer o seu desenvolvimento mostrando que há interesse e interessados, apesar de algumas críticas “menos positivas” que sempre aparecem da parte de quem nada faz e muito fala.

- Publicidade -

A ideia era propor a instalação dum local para criativos das artes no centro histórico da cidade para dar voz às pessoas que se estão sentindo “comprimidas” pela falta deste espaço físico. Não se está aqui a pedir esmolas ou como alguns dizem “subsídios”, mas sim a oferecer um conjunto de expressões artísticas de e para pessoas de Abrantes.

Não se quer revitalizar o centro histórico? Então não seria ótimo ter uma pequena galeria de exposições temporárias, músicos e atores e performers à disposição, fotógrafos no início de carreira e mais experientes, e muito mais? Dar a possibilidade aos alunos da ESTA de mostrarem os seus “devaneios”? Não seria ótimo saber que naquele local podemos ir à vontade e ver o que há de novo ou adquirir um trabalho artístico feito na nossa terra? Com certeza.

- Publicidade -

Digo isto porque já há um pequeno grupo interessado em avançar com propostas de vídeo, arte visual, desenho animado, performance artística e outros, e que se vai reunir, por agora na internet, mas brevemente num local já disponibilizado, para ampliar, definir as várias propostas e o que poderá ser oferecido a esta cidade que tanto precisa.

No grupo há alguns elementos que depois do liceu tiveram de mudar de cidade para poder trabalhar. E porquê? Qual o motivo para deixar sair elementos positivos e criativos, se podemos dar a eles uma possibilidade, uma oportunidade em se realizar e exprimir na própria terra?

Lembro também que não é exatamente para mim, visto eu já ter um local físico e um nome relativamente conhecido nesta região, mas faço isto porque realmente sinto esta falta e sempre quis apoiar os jovens e os artistas.

Para quem estiver interessado em fazer propostas podem-me contactar no massimoesposito57@gmail.com

Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome