PUB

“O pior ano das nossas vidas”, por Vasco Damas

Numa visão global e coletiva, 2020 será relembrado durante muito tempo como o pior ano das nossas vidas. Não o afirmo em nome próprio, mas escrevo-o solidarizando-me com todos aqueles que o sentiram no decorrer do ano que agora termina.

PUB

Em defesa do rigor, sem precisar de recuar para lá do século passado, é muito provável que a história recente nos tenha “oferecido” anos piores, com mais destruição, mais mortes, mais fome e maiores dificuldades, mas como é no presente que se sentem as “dores” com maior intensidade e, enquanto não tiverem passado os anos que transformem este presente em passado, e enquanto não tiver passado o tempo que permita fazer uma rigorosa leitura histórica deste ano, acredito que ele continue a ser relembrado durante bastante tempo, porque foi vivido e sentido pela maioria de nós, como o pior ano das nossas vidas.

No entanto, apesar dos impactos reais e profundos na vida, na saúde, no emprego e na economia de todos nós e da generalidade da maioria dos países, acho que 2020 tem um fio condutor com os thrillers psicológicos assinados por M. Night Shyamalan, onde a incerteza, o desconhecido e os “males” que nos esperam a qualquer momento no futuro, nos causam maior medo e terror que todos os problemas que temos que resolver e gerir no presente.

PUB

Não sou negacionista e não minimizo, de todo, os problemas trazidos por esta pandemia mundial. Limito-me a colocar as coisas em perspetiva, comparando o que é, com aquilo que achámos que ia, ou ainda, pode vir a ser.

É óbvio que 2020 não poderá ser pior para todos aqueles que, diretamente ou indiretamente, perderam a vida por causa desta pandemia. Também é um facto que todos sentimos alterações brutais nas nossas vidas, nas nossas relações sociais e nos nossos afetos. Mas, para mim, apesar de todos estes pesares, a grande revelação que esta pandemia nos trouxe em 2020, foi a confirmação da falta de empatia que existe na generalidade da humanidade, onde foi visível o exacerbamento do egoísmo, do oportunismo, da estupidez e do interesse.

PUB

Talvez, devido a esta confirmação, 2020 seja de facto o pior ano das nossas vidas. Desaproveitarmos esta oportunidade para construir um mundo melhor e um futuro com mais oportunidades para todos, mostra a verdadeira essência da nossa humanidade. E nesta matéria, temo que a ciência não nos possa ajudar e que não se consiga “produzir” uma vacina contra este vírus!

PUB
PUB
Vasco Damas
É gestor e trabalhar com pessoas, contribuir para o seu crescimento e levá-las a ultrapassar os limites que pensavam que tinham é a sua maior satisfação profissional. Gosta do equilíbrio entre a família como porto de abrigo e das “tempestades” saudáveis provocadas pelos convívios entre amigos. Adora o mar, principalmente no Inverno, que utiliza, sempre que possível, como profilaxia natural. Nos tempos livres gosta de “viajar” à boleia de um bom livro ou de um bom filme. Em síntese, adora desfrutar dos pequenos prazeres da vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).