Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

“O leite das vacas castanhas e as cabeleiras de Trump e da Rainha”, por Hália Santos

Então parece que 16 milhões de adultos norte-americanos acham que o leite achocolatado vem de vacas castanhas… Isto corresponde a 7% da população!

- Publicidade -

Isso faz-me lembrar o espanto de uma vizinha minha quando, em miúda, descobriu que o puré era feito com batata. É que lá em casa só se fazia puré instantâneo. Na altura, o meu espanto foi saber que havia puré que vinha numas caixinhas…

Talvez este caso dos norte-americanos seja um bocadinho pior. São adultos. Já foram expostos a várias situações. Quanto mais não fosse, podiam dar-se ao trabalho de ver a composição do leite que bebem.

- Publicidade -

Alguém lhes deve ter dito que o leite tem o sabor da mãe que o produz!!

Essa é boa. Uma coisa é o leite materno até poder saber à comida que a mãe possa ter ingerido. Outra coisa é a cor de pele da mãe afetar o sabor do seu leite. Será que o leite das mães ruivas sabe a cenoura ou a laranja??

O problema que está subjacente a isto tudo é mesmo uma grande iliteracia, um enorme desconhecimento do mundo. Nem sequer me surpreende.

Nem a mim. Há uns 25 anos fui aos EUA, a uma localidade bem no interior. A pergunta que mais me faziam (para além de quererem saber onde é Portugal porque não faziam a mais pequena ideia) era se tinha visto o mar e como é que ele é. Com raras exceções, as únicas pessoas que tinham visto o mar eram os homens que tinham estado na guerra do Vietname. Para todos os outros, o mar era um mistério como para mim era a Lua.

Mas isso foi há muito tempo…

Pois foi, mas a sensação que tinha e com que sempre fiquei é que boa parte dos americanos vivem muito localmente. Nem as novas tecnologias os terão afastado dessa forma de vida. Naquele caso, sabiam de gado, de milho e de tabaco. Tudo o resto eram mundos à parte. Só iam às grandes cidades para levar ou ir buscar alguém ao aeroporto.

Não sei se isso ainda será assim, nem sequer sei se se pode generalizar essa ideia a um país gigantesco.

Mas tens que reconhecer que esta iliteracia em questões de agricultura é quase tão grave como a iliteracia política. São pessoas que vivem sem conhecimento essencial e sem noção das consequências desse mesmo desconhecimento.

Não compares! Beber leite achocolatado a pensar que é de uma vaca castanha não tem nada a ver com o exercício do voto.

Pois não! Porque a primeira não tem qualquer tipo de consequências a não ser a ignorância e a segunda pode ter consequências gravíssimas.

Às vezes penso se não faz parte de uma estratégia manter as pessoas num certo alheamento.

Talvez faça… Mas ainda estou aqui às voltas com a notícia que deu origem a toda esta conversa. É do Público, que cita o Washington Post. Portanto, dará garantias de credibilidade. Mas as informações que lá vêm deixam-me sem saber o que pensar.

Então porquê?

Porque diz que 25% dos norte-americanos não sabem que a Terra anda à volta do Sol e que outros 25% não sabem que os EUA se tornaram independentes do Reino Unido.

Como? Será por isso que votaram no Trump? Confundiram a cabeleira dele com a da Rainha de Inglaterra?

Finalmente encontrou-se a explicação para os resultados das eleições nos EUA!

Professora e diretora da licenciatura em Comunicação Social da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA), do Instituto Politécnico de Tomar, doutorou-se no Centre for Mass Communications Research, da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Foi jornalista do jornal Público e da Rádio Press. Gosta sobretudo de viajar, cá dentro e lá fora, para ver o mundo e as suas gentes com diferentes enquadramentos.
Escreve no mediotejo.net à quinta-feira.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here