- Publicidade -

Quarta-feira, Janeiro 26, 2022
- Publicidade -

“O Festival”, por Armando Fernandes

Trata-se do Festival Nacional de Gastronomia em Santarém. A 37ª edição decorre de 19 a 29 de Outubro, nas instalações da Casa do Campino. O tema será o pão e por esse motivo o pão ganho ou não com o suor do rosto será apresentado em várias confecções desde o folar de Bragança, até às pombinhas de Santarém, passando pelas caralhotas de Almeirim, o pão Alentejano, o pão de Mafra e por aí adiante.

- Publicidade -

No recinto do Festival um forno cozerá pão durante o funcionamento do certame. Obviamente, os visitantes para lá de poderem comprar o pão do seu gosto, também podem adquirir enchidos, presunto, queijos, frutos secos e verdes, compotas e carnes salgadas.

Voltará a ser dada saliente expressão à cozinha de autor, cada cozinheiro apresentará criações e reformulações culinárias num espaço luminoso, separado da outra zona de outros comeres, o Luke 13, cujo êxito nos anos anteriores foi total. Na zona da restauração doze restaurantes representativos da cozinha portuguesa apresentarão as receitas de cada região do Minho aos Açores e à Madeira, além do espaço dedicado ao petisco.

- Publicidade -

Porque petisco sem lambisco é um aborrecimento, no espaço doceiro não faltarão representações de adoçar a boca, até porque o doce nunca amargou registou Emanuel Ribeiro num livro com esse título.

Além de outras novidades, as Edições do Gosto vão trazer ao Festival um jovem chefe português a oficiar na Califórnia, tendo sido aí galardoado com uma estrela Michelin.

- Publicidade -

No tocante a bebidas, além das enunciadas cartas de vinhos dos restaurantes, no bar do vinho os visitantes podem degustar néctares de várias proveniências e géneros, vinhos tranquilos, intranquilos, brancos, rosés e tintos.

O Festival é uma festa da convivialidade, uma festividade de acerto palatal e conversas a esmo.

Declaração de interesses: Exerço funções de consultor no Festival Nacional de Gastronomia.

Armando Fernandes é um gastrónomo dedicado, estudioso das raízes culturais do que chega à nossa mesa. Já publicou vários livros sobre o tema e o seu "À Mesa em Mação", editado em 2014, ganhou o Prémio Internacional de Literatura Gastronómica ("Prix de la Littérature Gastronomique"), atribuído em Paris.
Escreve no mediotejo.net aos domingos

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome