Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

“O amor à arte…em Entroncamento”, por Massimo Esposito

Qual será a motivação duma pensionista da PT, dum engenheiro civil desempregado, uma trabalhadora fabril, uma ex-empresária, uma educadora de infância..e assim por diante, inscrever-se num curso de pintura?…O AMOR A ARTE.

- Publicidade -

Todos temos uma vida atarefada, o mais comum é ouvir dizer  “gostava de fazer….mas não tenho tempo”. O tempo sempre é escasso, o trabalho cansa, as preocupações acumulam, a ansia do amanha aumenta e as vezes não sabemos o que fazer. Uma parte da sociedade procura então diversão: ginástica, pesca, bike, viagens, Yoga e..ARTE.  Posso dizer que nos meus 20 anos de experiencia já vi muitas pessoas aproximarem-se da arte e treinando-a , conhecendo-a, tendo encontrado uma amiga, uma “válvula de descompressão“ e nunca mais a deixaram.

 O AMOR A ARTE é algo impalpável, difícil da explicar mas que existe e age com poder. Seria impossível acreditar se isto não fosse verdade, que uma educadora de infância, depois de uma semana com os meninos e com as preocupações que isto envolve, na sexta-feira  se dirige exausta ao atelier de pintura e  se obriga a realizar algo que nunca fez. E vejo isto semanalmente, entrar pessoas carrancudas, cansadas, tristes e depois sairem alegres, satisfeitas e com algo agradável realizado.

- Publicidade -

Um engenheiro civil de menos de 30 anos, desempregado podia ser desiludido da vida e até zangado, mas o AMOR A ARTE dá-lhe um sentido nestes momentos difíceis, está procurando a sua maneira de expressão, faz desenhos preparatórios e desenvolve técnicas..quem sabe se não sai artista?

As vezes no atelier há muito calor, as vezes frio, há confusão e barulho no exterior, o tempo pode ser horrível com chuva e frio, mas a percentagem de faltas é irrisória, a vontade de estar presente para continuar a própria obra faz sim que aquele tempo programado para pintar seja cumprido ao cavalete.

Mas há mais de incrível no AMOR A ARTE. Abri o atelier no Entroncamento em abril de 2015, no verão foi fechado por um mês e meio para ferias, e em fevereiro 2016 há uma exposição, muito digna, das obras dos alunos na galeria municipal desta cidade. O próprio presidente da Camara (que conhece a historia desta iniciativa desde o inicio) ficou de “olhos arregalados” ao ver a qualidade das obras, a diversificação das técnicas e dos temas e sobretudo a ver as caras felizes e compenetradas dos alunos que pela primeira vez expõem o fruto do seu trabalho.

Sim! O AMOR A ARTE é motivador e age com força nas pessoas, os empurra a se olhar para dentro e sentir a alegria em realizar algo próprio que antes não existia, uma obra criativa.

Sim o AMOR A ARTE é “molto bello” e se tiver duvidas, vejam a exposição e falem com os alunos ou comigo que sou “professor satisfeito”.

Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here