Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Nuno Gomes: Uma aventura na China

Como noticiámos no final de setembro, Nuno Gomes, abrantino, professor de educação física e treinador de futebol, partiu para a China, onde passou a integrar os quadros técnicos da Academia de Futebol de Luís Figo naquele país asiático.

- Publicidade -

Agora, a nosso convite, Nuno Gomes escreve sobre o primeiro mês da sua experiência e conta-nos, na primeira pessoa, como tem sido a sua nova vida do outro lado do mundo.

“E já passou um mês desde que cheguei à China para integrar a Academia Winning League Luís Figo. E que aventura… todos os dias são preenchidos com aprendizagem profissional, cultural e essencialmente emocional.

- Publicidade -

Inicialmente estive uma semana em Pequim, que serviu sobretudo para conhecer a forma de funcionamento da academia, treinos, planeamentos, e para ir solidificando o meu processo de adaptação. Findo este período, fui para Shenzhen, para iniciar uma nova academia Winning league naquela cidade.

Apresentação da academia
Apresentação da Winning League – Figo Academia de Futebol de Shenzhen

Shenzhen situa-se a sul da China, muito perto de Macau e Hong Kong, tem cerca de 15 milhões de habitantes, o dobro da população portuguesa… e com uma temperatura média acima dos 30 graus. Senti-me em Portugal. O problema é a humidade, que chega a rondar os 70%, o que dificulta o processo de treino devido ao facto de ter de haver diversas paragens para hidratação. E os treinos ao fim de semana têm início às 8 horas da manhã…

Shenzhen (3)
Cidade de Shenzhen

Outro aspeto muito diferente do Ocidente é a alimentação. Aqui já vi de tudo. Quando digo tudo refiro-me a animais que para a nossa cultura são de estimação mas que para os chineses são uma autêntica iguaria. Ainda por cima é cara, diga-se de passagem. Apesar de ser extremamente barato comer num restaurante, uma refeição custa 10 a 15 Yuans (que equivale a sensivelmente 1 a 2 euros) opto por comer em casa para ter uma alimentação mais parecida com a que tinha em Portugal. Existem muitas especiarias idênticas às que temos no nosso país, o principal problema é o azeite, não há melhor azeite que o português!

Refeição Chinesa
Refeição chinesa

O meu dia-a-dia tem sido dividido entre reuniões preparatórias com o staff da academia, planeamentos, treinos e casa. O staff é constituído por um manager, dois treinadores portugueses (o meu colega Ricardo Marques é natural de Penalva do Castelo e foi treinador, nos últimos seis anos, na formação do Futebol Clube do Porto), dois treinadores adjuntos chineses, que falam bem inglês, e um tradutor.

Kun, Nuno Gomes, Ricardo Marques and Steven
Staff Técnico da Academia. Kun, Nuno Gomes, Ricardo Marques e Steven.

À margem do treino tenho aproveitado para conhecer melhor a cidade. Apesar de, na minha cidade natal, estar habituado a andar a pé de um lado para o outro, em Shenzhen a pé só consigo conhecer a urbanização onde moro. Mas já consegui ir à praia (neste pormenor sinto um pouco falta de Portugal), e andar de bicicleta, que é o meu meio de transporte, para zonas onde não haja prédios de trinta andares, não conheço muitas…

Vista da minha casa
Shenzhen vista da casa de Nuno Gomes

Relativamente à parte prática, treinamos todos os dias exceto à segunda-feira. Nesta fase inicial, o planeamento é composto unicamente pelo desenvolvimento e aptidão motora com base no treino, posteriormente começaremos a organizar convívios desportivos entre academias. A Winning league está num espaço muito bom, composto por 10 campos de futebol recentemente inaugurados, onde existem mais 6 academias a funcionar, desde a Academia do Borussia de Dortmund, à do Athletic Club de Bilbau e também a própria academia da cidade de Shenzhen, que tem treinadores exclusivamente oriundos do Brasil.

As crianças chinesas adoram futebol, as que fazem parte da academia adoram o treino, querem aprender e falam muito no “C lao” (Cristiano Ronaldo) Os pais idolatram o “Figuee” (Figo).

No geral, não apresentam uma desenvolvida motricidade, pois não existe futebol de rua na China e a grande maioria das crianças chinesas passa parte do tempo livre em casa. Poderá haver uma relação causa-efeito.

Eu, Yu Lao, e o meu amigo Ricardo Marques o outro treinador português
Nuno Gomes, Yu Lao (atleta da academia) e Ricardo Marques

Está a ser uma enorme aprendizagem. Um desafio futuro, no que à alimentação diz respeito, será o de ganhar coragem para provar uma das melhores iguarias, dizem eles, da China: cobra.

Um forte abraço para Portugal, especialmente para a cidade de Abrantes, e um saudoso olá para a minha família e amigos.”

 

Tem 41 anos e uma profissão que tudo tem que ver com jornalismo e informação... Engenheiro Eletrotécnico. O gosto pela informação desportiva ganhou-o ainda criança com o pai e a mãe na rádio. A informação escrita é uma nova aventura. Acredita que o desporto é fator de promoção e desenvolvimento regional e de aproximação "das gentes", pelo que noticiá-lo é um imperativo. Praticou várias modalidades, foi treinador e árbitro de basquetebol. É casado e tem uma filha que o obriga a correr. Colabora na Antena Desportiva da rádio Antena Livre, sendo a rádio uma das suas maiores paixões.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here