PUB

“Nick Alm”, por Massimo Esposito

“O que pretendo como pintor é tornar a minha obra de arte vibrante de vida, a minha principal fonte de inspiração vem do mundo contemporâneo ao meu redor”. Estas palavra resumem bem o objetivo deste jovem pintor sueco, Nick Alm. Um belo artista que já tem nome internacional e que conseguiu encontrar um sublime equilíbrio entre pintura realista e temas atuais.

PUB

Retratos e figuras de jovens post-party, naturezas mortas com objetos de uso diário, figuras a descansar ou atónitas muito bem realizadas. A paleta de cores é limitada: pretos, brancos, terras e laivos de violetas e verdes.

A composição lembra os primeiros impressionistas como Degas e Manet mas com um toque moderno que, pessoalmente, acho muito delicada mas formalmente impecável.

PUB

Uma coisa importante a saber deste e de muito outros artistas é que atrás destas belas obras há um período extenso de exercícios, estudos e empenho pessoal.

Nick começou como ilustrador, mas virou-se para a pintura e estudou na Academia de Arte de Firenze onde se tornou professor assistente e ganhou uma bolsa de estudo para a Hudson River Fellowship nos Estados Unidos para pintar paisagens. Nesta altura frequenta os grandes e ricos museus de New York onde adquire uma cultura mais abrangente a nível cultural.

Diariamente trabalha no seu estudo, analisa como compor as figuras, que desenha com modelos ao vivo (não gosta de usar fotos) e tenta simplificar ao máximo os pormenores e detalhes inúteis. Pessoalmente acho Nick Alm um artista digno deste nome, um passado de análise, esforços, erros e recuos, mas sempre pensando em melhorar e progredir.

E isto é uma mensagem maravilhosa e importante para todos os jovens que querem seguir uma carreira artística (ballet, pintura, teatro canto…). Nada se pode alcançar sem esforço e trabalho. Há ainda muito espaço neste mundo “pandémico”, mas só se pode vencer com labuta e positividade.

PUB
PUB
Massimo Esposito
Pintor Italiano, licenciado em Arte e com bacharelato em Artes Gráficas em Urbino (Itália), vive em Portugal desde 1986. Em 1996 iniciou um protejo de ensino alternativo de desenho e pintura nas autarquias do Médio Tejo que, após 20 anos, ainda continua ativo. Neste projeto estão incluídas exposições coletivas e pessoais, eventos culturais, dias de pintura ao ar livre, body painting, pintura com vinho ou azeite, e outras colaborações com autarquias e instituições. Neste momento dirige quatro laboratórios: Abrantes, Entroncamento, Santarém e Torres Novas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).