Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Agosto 5, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Nersant: Secretário de Estado da Indústria inaugura Startup em Santarém

O Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, inaugurou na manhã deste sábado, 19 de março, o CIES – Startup Santarém, um centro de inovação empresarial que resulta de uma parceria entre a NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém e a Câmara Municipal de Santarém. A valência situa-se num dos principais edifícios da antiga Escola Prática de Cavalaria de Santarém e foi visitada por uma extensa comitiva que integrava empresários, autarcas, deputados, dirigentes da Nersant e representantes de diversas entidades.

- Publicidade -

Na ocasião referiu que o atual Governo, no âmbito dos incentivos Portugal 2020, quando tomou posse tinha 4 milhões de euros pagos às empresas mas neste momento tem 130 milhões. “Temos como prioridade permitir que as regiões com este espírito empreendedor tenham todos os instrumentos necessários à sua disposição”, aludiu.

“Temos como meta, até ao final do ano, transmitir para as empresas mais 350 milhões. O Portugal 2020 está aberto a candidaturas e os empresários devem acreditar que este programa, que está a entrar a velocidade cruzeiro, é vosso parceiro”, salientou.

- Publicidade -

IMG_3735
Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos no uso da palavra

O governante começou por elogiar a “magnífica entrada” desta incubadora de empresas – a Porta de Armas do antigo quartel – referindo que é testemunha do espírito empreendedor deste distrito que “ainda não é muito conhecido no resto do país”.

João Vasconcelos disse que, no atual momento, “é difícil encontrar um melhor exemplo – dinamizado entre câmara, empresários e administração central – onde vale mesmo a pena aplicar dinheiro público. “É isto a que eu chamo um projecto bem feito”, elogiou o governante.

IMG_3706
João Vasconcelos visitou as instalações com Maria Salomé Rafael e António Campos

O Secretário de Estado da Indústria referiu que a prioridade deste Governo passa pelo empreendedorismo e pela criação de novas empresas. “As empresas que estão a nascer pensam muito mais numa escala global e há um tecido empreendedor mais ambicioso e, nesse sentido, lançamos há cerca de uma semana o Startup Portugal com medidas muito concretas e que pretende levar ao país o que Santarém está aqui a fazer”, disse.

IMG_3703
Convidados marcaram presença na inauguração oficial

O CIES – Startup Santarém surge como resultado da aprovação de uma candidatura submetida pela Câmara Municipal de Santarém ao Inalentejo, que consistiu na empreitada de reabilitação de um dos principais edifícios da antiga Escola Prática de Cavalaria, que transformou o mesmo num espaço dedicado à capacitação e instalação de novas empresas em fase de implementação no mercado (startups).

A presidente da Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém, salientou a colaboração da Câmara Municipal de Santarém, na pessoa do seu presidente, Ricardo Gonçalves, que desde a primeira hora respondeu positivamente a este desafio. A Nersant investiu cerca de 150 mil euros (financiamento não comparticipado pela União Europeia) na recuperação do edifício.

IMG_3726
Maria Salomé Rafael, presidente do Nersant, salientou parceria da Câmara de Santarém

Atendendo à importância do projeto para a economia do Ribatejo, a NERSANT é parceira deste projeto desde o início, tendo assinado em setembro de 2013 com o Município de Santarém um protocolo de colaboração que lhe confere a gestão do espaço, bem como a cobertura financeira da componente de auto-financiamento desta candidatura bem como das despesas consideradas não elegíveis por este programa.

Salomé Rafael, revelou no seu discurso que “estão a decorrer conversações” com a Câmara de Santarém para recuperar mais uma ala do edifício onde se encontrava a antiga porta de armas do quartel. A intenção passa por disponibilizar mais espaço para empresas em fase de arranque e implementação no mercado.

Nesse sentido, a Câmara de Santarém pretende candidatar o projecto ao Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), para tentar obter financiamento comunitário que permita a criação de mais 32 gabinetes para empresas no último piso desse edifício. “Apesar de estarmos ainda numa fase inicial do processo, destacamos a receptividade e disponibilidade da autarquia para dialogar”, sublinhou Salomé Rafael.

“A Nersant pretende que este seja verdadeiramente um espaço de instalação e crescimento de novas empresas, onde os empreendedores podem receber apoio técnico, partilhar questões, encontrar parceiros, ter formação, procurar financiamento, capacitar-se e acelerar o seu projecto. Tudo faremos para que o  CIES – Startup Santarém seja um espaço de referência a nível distrital”, disse.

IMG_3734
Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara de Santarém, elogiou trabalho da Nersant

O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves devolveu os elogios à Nersant, afirmando acreditar que, com o contributo de projectos como esse, “Santarém vai ser uma das cidades médias do país que mais vai crescer nos próximos anos”.

O presidente da AIP – Associação Industrial Portuguesa, José Eduardo Carvalho –  sublinhou a congregação de esforços entre autarquia, Nersant e empresas, não poupando nos elogios ao Secretário de Estado da Indústria João Vasconcelos, classificando-o como “uma força da natureza” e “com quem dá gosto trabalhar”.

IMG_3731
José Eduardo Carvalho sublinhou a congregação de esforços entre autarquia, Nersant e empresas

A NERSANT fica responsável pela coordenação, administração e manutenção da Startup Santarém, tendo aqui centralizado os seus serviços de apoio ao empreendedorismo, bem como o seu pólo de Santarém, que funcionava anteriormente na zona industrial.

IMG_3757
Aspecto das instalações

IMG_3758
Incubadora de empresas nasce em Santarém

O CIES – Startup Santarém será um espaço de referência a nível distrital, complementando uma lacuna que existia no ecossistema empreendedor da região e tem disponíveis um conjunto de valências entre as quais espaços de co-working para recém-empresários e potenciais empreendedores, espaços de formação e capacitação, espaços de instalação e incubação de novas empresas e espaços de instalação de empresas de natureza inovadora que possam contribuir para o fortalecimento do ecossistema empreendedor da região.

No Centro de Inovação Empresarial – Startup Santarém, os empreendedores podem receber apoio técnico, recorrer a mentoria, encontrar parceiros, ter formação, procurar financiamento e acelerar o seu projeto.

No espaço existem salas para instalação de empresas e para “co-working” reservado e gratuito, sala de reuniões, estacionamento gratuito, apoio técnico da Nersant, entre outras facilidades.

Em declarações à Lusa, Salomé Rafael afirmou que a associação a que preside foi pioneira no incentivo e apoio ao empreendedorismo, área em que começou a trabalhar há mais de 18 anos.

“Só nos últimos três anos, analisámos 1.380 ideias de negócio, 107 das quais nos primeiros meses deste ano. Acompanhámos 319 planos de negócio, ajudámos a criar 281 empresas, das quais 17 já em 2016”, o que representa um investimento inicial de quase 4,3 milhões de euros e 413 posto de trabalho criados, afirmou.

A responsável referiu ainda a Bolsa de Mentores, com 61 empresários e gestores disponíveis para apoiar novos empreendedores, e a Rede Regional de Apoio ao Empreendedorismo, que integra 23 entidades, das quais 17 são municípios do distrito de Santarém.

Por outro lado, destacou os projetos de empreendedorismo nas escolas do distrito, desde o primeiro ciclo até ao ensino secundário, que já envolveram mais de 7.600 jovens e mais de 400 professores.

Salomé Rafael apontou o dinamismo da região, indicando que, entre 2013 e 2014, as exportações de bens e serviços das empresas ribatejanas aumentaram, “situando-se nos 5,6%, acima da média nacional, que no mesmo período se ficou nos 1,7%”.

Salomé Rafael reafirmou preocupações recorrentes das empresas nos últimos anos, como “os custos de energia, a carga fiscal elevadíssima, a burocracia excessiva, as demoras dos processos de licenciamento industrial”.

Para a representante, é fundamental que se resolva com urgência a falta de capitalização das empresas e que se regularizem os atrasos em relação aos fundos comunitários.

C/LUSA

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome