Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Município do Entroncamento distinguido com “Marca de Entidade Empregadora Inclusiva”

No âmbito de uma candidatura feita ao IEFP, o Município do Entroncamento foi distinguido com a marca de “Entidade Empregadora Inclusiva” pela sua estratégia de políticas de inclusão no mercado de trabalho de pessoas com deficiência.

- Publicidade -

É a segunda vez que a autarquia entroncamentense recebe esta distinção do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), atribuída em parceria com a Associação Portuguesa de Ética Empresarial (APEE), a Associação Portuguesa da Gestão das Pessoas (APG) e o Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD Portugal).

Esta menção é atribuída às entidades empregadoras que contribuam para um mercado de trabalho aberto e inclusivo das pessoas com deficiência e que se distingam por práticas de referência, nos domínios do recrutamento, desenvolvimento e progressão profissional, manutenção e retoma do emprego, acessibilidades, serviço e relação com a comunidade.

- Publicidade -

Distinção “Marca de Entidade Empregadora Inclusiva” atribuída ao Município do Entroncamento. Imagem: IEFP

Nesta edição de 2021 o Município apresentou candidatura com dados de 2019 e 2020, nos quais se insere a criação do balcão de inclusão e acompanhamento de pessoas com deficiência, em 2019, e atualmente a funcionar no edifício da Biblioteca Municipal, conforme explica a vereadora da Câmara Municipal do Entroncamento Tília Nunes.

ÁUDIO | Vereadora Tília Nunes fala sobre distinção “Marca Entidade Empregadora Inclusiva”

Já para o presidente do Município, Jorge Faria, esta distinção é “o reconhecimento do esforço desenvolvido pela autarquia enquanto entidade empregadora que promove uma gestão inclusiva e tem preocupações no domínio da responsabilidade social, na igualdade de oportunidades e de não discriminação no acesso ao emprego”.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome