Miss Ourém: Coroa atraiu 20 candidatas a Miss Portuguesa (c/vídeo)

A gala da Miss Ourém, Coroa que dá acesso direto à semifinal da Miss Portuguesa 2016, decorre este domingo, 12 de junho, pelas 21 horas no Cine-teatro municipal. Apesar de várias inscrições, aos castings vieram apenas 20 candidatas, das quais se escolheu um grupo de 12 para a competição final. Ainda assim a organização encara com otimismo este “ano zero” em que se descentralizou o concurso para ir ao encontro de mais caras. O Miss Portuguesa é o novo nome do anterior Miss Portugal, concurso de beleza com grande fama nos anos 90. A final nacional realiza-se dia 30 de julho na Batalha, distrito de Leiria.

PUB

Em 2014 a ouriense Zita Oliveira venceu o Miss Portuguesa. Esta vitória foi um dos impulsos à realização do Miss Ourém, nova modalidade de acesso ao certame que engloba apenas alguns municípios no país, tais como Porto de Mós, Gondomar, Estremoz e Alcácer do Sal. Com raízes em Ourém está já na final deste ano Carina Frasão, Miss Portuguesa África do Sul. Se alguma das ourienses conquistar a Coroa principal terá acesso ao Miss Mundo.

O concurso já não desperta a atenção de outrora, mas ainda assim duas dezenas de jovens, entre os 17 e os 25 anos, arriscaram a sua sorte, quer pela experiência, o desafio ou até mesmo pela promoção de causas sociais. A própria organização do certame pedia às candidatas que doassem material escolar, roupa, calçado ou bens alimentares a favor da Casa Dr. Alves, em Ourém, instituição que acolhe raparigas em risco dos 4 aos 20 anos. Os castings decorreram durante a tarde de sábado, dia 11 de junho.

PUB

Cerca das 18 horas, quando o mediotejo.net passou pelo Cine-teatro municipal de Ourém, sete das finalistas ensaiavam a rotina que terão que cumprir em palco na noite de domingo. Alguns nervos, risos, mas também bastante descontração e entusiasmo pela experiência, com a hipótese de utilizar roupa nova (apoio do comércio local), maquilhagem profissional e uma noite de glamour.

Ana Nunes, 24 anos, de Ourém, concorreu ao Miss Ourém com um objetivo específico: ajudar a promover e divulgar a associação “Casota Comunitária”, que se formou em março deste ano e precisa de apoio urgente. Ana integrou o projeto já organizado por duas amigas e decidiu entrar no Miss Ourém para dar o rosto pela causa. O grupo cuida de cerca de 50 animais e aguarda neste momento a autorização para instalar uma sede na antiga escola da Tacoaria, freguesia de Seiça. Acolher animais abandonado e proceder à esterilização faz parte dos objetivos deste projeto. Mas precisam ainda de ajuda, sobretudo para a ração.

PUB
foto mediotejo.net
foto mediotejo.net

Descontraída, Ana Nunes vê com bons olhos a experiência no Miss Ourém. Já Patrícia Vieira, 18 anos, de Seiça, entrou impulsionada pela mãe, que é cabeleireira e tomou conhecimento do projeto. Envergonhada, comenta que concorreu pela experiência e o querer sentir “o outro lado”, de quem está em palco e é fotografada.

Nos bastidores, enquanto se experimenta roupa e combinações de óculos de sol, avisa-se as sete jovens que terão que esconder as tatuagens. Ana Sousa surpreende-se, tem várias. Mas faz parte das regras não ter tatuagens, explica a organização, o que significa que quem tem terá que disfarçar com a maquilhagem. Há problemas com sapatos, acessórios, há quem não goste muito do vestido que lhe coube em sorte, a roupa interior de cor de pele é aconselhada à maioria dos conjuntos. Desfila-se. Já todas tomaram o jeito, embora ainda se cometam alguns erros.

Cerca de duas dezenas de lojas de Ourém acederam ao apelo de participar no Miss Ourém, divulgado pela ACISO – Associação Empresarial Ourém Fátima. Rita Nunes, da loja “Chicc Cool”, soube da iniciativa pelas redes sociais e inscreveu-se, sendo dela os vestidos que as sete finalistas experimentavam na tarde de sábado. Satisfeita com a iniciativa, comenta que se poderia realizar mais vezes “para divulgar a loja, as marcas, para dinamizar o comércio que está parado”. “Tentei selecionar roupas diferentes e dinâmicas, coisas distintas”, explica. A Rita Nunes juntaram-se cabeleireiros, um rent-a-car, cafés, ópticas, fotógrafos, ginásios e maquilhadoras.

Isidro Brito, presidente da organização do Miss Portuguesa, salientou ao mediotejo.net ser este o “ano zero” deste modelo de acesso ao concurso, num momento em que ainda se procura revitalizar o projeto Miss Portuguesa. Adianta assim que o Miss Ourém terá nova edição em 2017. Este ano encontrou “caras bonitas, com corpos elegantes”, embora sejam jovens que “não tem experiência nenhuma na área”. “É sempre um caminho que tem que ser percorrido”, defende, mas “estamos satisfeitos com as finalistas”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here