Domingo, Dezembro 5, 2021

Médio Tejo | Utentes dos distrito de Santarém fazem propostas aos Grupos Parlamentares

O secretariado do Movimento de Utentes dos Serviços Públicos do Distrito Santarém (MUSP) enviou, aos Grupos Parlamentares da Assembleia da República, um conjunto de sugestões a serem incluídas no Orçamento de Estado (OE) para 2018, nomeadamente “a renegociação da dívida, quer nos prazos quer nos juros, a moralização das rendas, quer na energia quer nas Parcerias Público-Privadas (PPP) rodoviárias e na saúde, e mais rigor nas isenções fiscais”.

- Publicidade -

Na proposta enviada aos deputados, o MUSP diz saber “dos constrangimentos financeiros impostos pela Comunidade Europeia”, mas diz também ter conhecimento “da melhoria progressiva das contas públicas que só terá algum significado se isso se traduzir na prática em corrigir injustiças sociais e regionais e na construção de uma sociedade mais justa”, sublinha o Movimento de Utentes.

“Com bom senso e responsabilidade”, o MUSP sugere que no OE de 2018, seja feita “discriminação positiva no reforço do financiamento do SNS, com o objectivo da prestação de cuidados de saúde de proximidade e qualidade, no investimento em instalações e equipamentos das unidades de saúde, numa melhorar a gestão de recursos humanos nos serviços públicos com a valorização das condições e remuneração do trabalho e na abolição das Taxas Moderadoras”.

- Publicidade -

Quanto à saúde pública, o MUSP propõe o “reforço das acções, nomeadamente no combate à sinistralidade rodoviária” e no âmbito da Educação o Movimento defende o “reforço dos meios humanos e financeiros”, bem como o “melhoramento de instalações na escola pública”.

Neste conjunto de sugestões o Movimento destaca também “a valorização do transporte público de passageiros, especialmente da ferrovia e transportes rodoviários a montante, a manutenção e melhoria das vias rodoviárias e alternativas na travessia do Tejo (pontes de Constância e da Chamusca), a abolição das portagens na A23 e na A13, a melhoraria da qualidade técnica das telecomunicações e da distribuição postal, a redução dos encargos das famílias no consumo de energia, a concretização pelas entidades competentes da despoluição do Tejo e dos seus afluentes, a atualização extraordinária das pensões e reformas mais baixas e a valorização das prestações sociais”, lê-se no documento enviado aos Grupos Parlamentares.

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome