Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | Utentes da saúde pedem melhorias nas urgências da região

O Movimento de Utentes do Serviço Público de Santarém entregou hoje no Ministério da Saúde um abaixo-assinado pela melhoria das urgências e anunciou ter sido informado da futura abertura de 22 novas vagas para médicos de família na região.

- Publicidade -

O movimento (MUSP) entregou o abaixo-assinado ‘Vamos melhorar as urgências do Médio-Tejo!’, com cinco mil assinaturas, em que são mencionados problemas como a falta de médico de família para cerca de 70 mil utentes, principalmente nos concelhos do Sardoal, Abrantes, Torres Novas, Ourém e Salvaterra de Magos.

Numa reunião com o chefe de gabinete do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Vítor Alves, foi deixada, segundo o movimento, a informação de que “para o concurso para o Médio Tejo e para a Lezíria serão abertas 22 vagas para os médicos de família”.

- Publicidade -

Numa conferência de imprensa após a reunião, Augusto Figueiredo, do MUSP, destacou também as dificuldades enfrentadas com “as unidades móveis de saúde, as condições de trabalho dos profissionais de saúde – os médicos, os enfermeiros, os paramédicos – e a exigência de qualidade das empresas que prestam serviços”.

O movimento acredita que “o melhor para o Serviço Nacional de Saúde seria criar equipas estáveis” e afirma serem necessários incentivos que levem os profissionais de saúde a fixarem-se naquela que desde janeiro passou a ser considerada uma zona carenciada na área de medicina geral.

O abaixo-assinado refere também os “os episódios frequentes de poluição no meio hídrico”, que afeta a saúde pública, bem como a necessidade de reforço nas “campanhas de saúde pública para práticas de prevenção e de vida saudáveis”.

O MUSP do distrito de Santarém, um grupo de cidadãos que afirmam “sentir na pele” os efeitos do mau funcionamento do Serviço Nacional de Saúde, garante que continuará a “lutar pelos direitos” de quem vive em Santarém e que voltará a fazer-se ouvir caso não existam melhorias.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome