Médio Tejo | Serviços de Saúde lançam recomendações para crianças e idosos resistirem ao calor (c/AUDIO)

Alerta para temperaturas elevadas e cuidados a ter de proteção da população mais vulnerável. Foto: David Monje | Unsplash

Por causa do tempo quente, os Serviços de Saúde do Médio Tejo recomendam medidas para crianças e idosos resistirem ao calor. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê até sexta-feira a manutenção de temperaturas muito elevadas, especialmente da máxima, podendo esta atingir valores na casa dos 40ºC na área geográfica do ACES Médio Tejo. “Os valores de temperatura estão acima do habitual para a época do ano e esta persistência poderá levar a uma situação de onda de calor em diversos locais do país, em especial no interior”, alertou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

PUB

Em nota informativa, Maria dos Anjos Esperança, coordenadora da Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, lembra que esta é uma situação perigosa, uma vez que o excesso de calor provoca com frequência a desidratação e a descompensação das doenças crónicas, atingindo em especial as crianças e pessoas idosas, doentes ou acamadas.

Para se evitarem as complicações associadas às altas temperaturas, muitas vezes de enorme gravidade, ou até de morte, a melhor solução será afastar essas pessoas da causa do problema, isto é, assegurar a sua permanência em locais frescos e fazer com que bebam água suficiente para não desidratarem. 

PUB

Assim, os serviços de saúde pública do Médio Tejo vêm apelar à população e em particular às famílias e amigos de pessoas que habitam casas sem condições de conforto, sem ventilação apropriada para fazer face a estas situações, que vivam sozinhas ou tenham por companhia pessoas em situação semelhante (idosos com doença crónica e acamados), que se disponibilizem para retirar essas pessoas dos seus locais habituais de permanência, nos dias de ocorrência destes dias de muito calor, que se prevê estendam, pelo menos, até sexta-feira.

As temperaturas elevadas no país deverão continuar até ao final desta semana, com os termómetros a atingirem os 35ºC no litoral e 40ºC no interior, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). De acordo com informação do IPMA, durante a próxima semana a temperatura máxima deverá “variar entre 30 e 35ºC no litoral, devendo atingir valores entre 35 e 40ºC nas regiões do interior”.

Trazer um pai, um familiar, um amigo para a nossa casa durante um período (necessariamente curto) em que ele corre perigo de vida, ou assegurar que durante esses dias de calor ele permanecerá em lugares frescos e apropriados à sua condição de pessoa fragilizada, é um ato de solidariedade e cidadania que, estamos certos, ninguém recusará.

Essa é a forma mais eficaz de combater as consequências nefastas para estes dias de muito calor. A manutenção da saúde de cada um de nós é uma responsabilidade coletiva. Ajude as pessoas em risco. 

CONSELHOS 

PUB

“Os valores de temperatura estão acima do habitual para a época do ano e esta persistência poderá levar a uma situação de onda de calor em diversos locais do país, em especial no interior”, alertou o IPMA.   As temperaturas elevadas são consequência de um “anticiclone localizado a nordeste dos Açores, que se estende em crista até ao golfo da Biscaia, em conjunto com um vale depressionário desde o norte de África até à Península Ibérica” e que origina o “transporte de uma massa de ar quente do norte de África”.

Se é familiar ou cuidador de idosos, em especial se forem doentes crónicos ou acamados, tenha em atenção estas indicações da Delegada de Saúde do Médio Tejo.

Os idosos devem: 

  • Ingerir líquidos frescos com frequência, em especial água e sumos naturais de fruta (evitar bebidas com açúcar e alcoólicas); 
  • Beber pelo menos 1,5 litros de água por dia, em intervalos regulares; 
  • Fazer refeições mais frequentes (5-6 por dia), leves e pouco condimentadas; 
  • Vestir roupa leve, larga e fresca, adequada ao Verão; 
  • Evitar fazer atividades físicas, saídas ou exporem-se ao sol nas horas de maior calor, isto é, entre as 11 horas e as 17 horas; 
  • Usar menos roupa na cama; 
  • Pulverizar com água a face e todas as partes descobertas do corpo (podem usar um nebulizador de água). 

Mantenha o local onde os idosos se encontram o mais fresco possível:

  • Durante o dia, feche as janelas e as persianas (ou portadas), enquanto a temperatura exterior for superior à interior, para não entrar ar quente;
  • Ao entardecer, quando a temperatura exterior for inferior à interior, abra as janelas provocando correntes de ar para arrefecer a habitação;
  • Se possível, à hora de maior calor, lance água nos terraços, varandins, telhados e outras superfícies envolventes da habitação;
  • Escolha a divisão mais fresca para a permanência dos idosos durante a hora de maior calor;
  • Se nas divisões da casa onde permanecem pessoas idosas a temperatura ambiente for superior a 25º, use ventoinhas para facilitar o arrefecimento;
  • Se houver sistema de climatização (ar condicionado), mantenha a temperatura ambiente agradável, não superior aos 25º centígrados.

SINAIS DE ALERTA   

Modificação do comportamento habitual, grande fraqueza e/ou fadiga, dificuldade recente em se mobilizar, tonturas, vertigens, perturbações da consciência, convulsões, náuseas, vómitos, diarreia, cãibras musculares, temperatura corporal elevada, sede e dores de cabeça.

Caso  tenha  dúvidas  ou  precise  de  esclarecimentos  adicionais,  contacte  o Médico de Família ou o Serviço Saúde 24 (Tel. 808 24 24 24).

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here