- Publicidade -

Médio Tejo | População cumpre regras mas multas e vigilância das autoridades também aumentaram (c/vídeo)

Em mais um fim de semana em que é proibida a circulação entre concelhos, no âmbito das medidas de combate à pandemia de Covid-19, a GNR de Torres Novas montou este domingo, 7 de fevereiro, uma operação STOP que passou por Alcanena e Torres Novas. Mais de uma dezena de autos foram levantados e um café foi fechado em Vila Nova da Barquinha.

- Publicidade -

“Onde vai?” “Vou às compras…”. O argumento é recorrente, mas nem sempre é verdadeiro. Em Nicho de Riachos, Torres Novas, os carros iam parando, em fila, face à presença da Guarda junto à rotunda.

A circulação na via pública sem justificação, mediante as exceções previstas pelo estado de emergência, está passível de multa entre 200 a 1000 euros. Se o supermercado for noutro concelho que não o de residência, é violação da lei na mesma. É raro ver alguém sem máscara, mesmo se vai sozinho no carro.

- Publicidade -

Vídeo com Capitão David Lopes na operação STOP

Na última semana foram levantadas cerca de 150 multas relacionadas com o incumprimento das medidas de combate à Covid-19 Foto: mediotejo.net

Ana Mendes, residente em Torres Novas, admite ao mediotejo.net que saiu de casa este domingo para ir até casa do pai. O portátil precisa de arranjo e ia pedir ajuda ao irmão para formatar o aparelho. Antecipou uma eventual presença da GNR, mas “vinha naquela”, confessa. “Há semanas que não venho a casa dos meus pais, vim mesmo por causa do computador”, explica, garantindo que tem cumprido as normas e só sai pontualmente, para ir ao supermercado.

O casal recebe uma advertência da GNR, mas segue sem pagar multa. Pouco depois um outro carro chama a atenção da Guarda. Quatro pessoas de máscara, duas mulheres na frente e dois homens atrás, todos jovens. Após algumas questões, os militares desconfiam que poderá estar a ser transportado material ilícito e pedem aos ocupantes para sair.

Vem o cão pisteiro e fareja todo o carro. Faz sinal que há presença de droga. Os militares fiscalizam todo o veículo, mas não encontram material. Ao fim de algum tempo, o grupo segue o seu caminho.

Nestas operações STOP, explica posteriormente o capitão David Lopes ao mediotejo.net, é normal encontrar-se pontualmente droga. Os militares estão habituados a identificar certos sinais. Frequentemente o palpite está correto, comenta.

GNR alerta que é proibido circular na via pública sem justificação e sempre dentro do próprio concelho Foto: mediotejo.net

Numa manhã de operação, as forças de segurança mandam parar, em média, mais de uma centena de carros. Cerca do meio dia deste domingo já haviam sido levantadas uma dezena de multas, adiantou o capitão David Lopes, frisando porém que a tendência é o cumprimento. “Mesmo aqueles que estão em infração percebem que estão em infração”, constatou, salientando que a Guarda procura também ter uma ação pedagógica. “Regra geral verificamos que existe o cumprimento”.

Na última semana, adiantou, foram cerca de 150 os autos levantados no âmbito da legislação do estado de emergência. “As pessoas estão cansadas”, reconhece, “mas também estão conscientes” do problema, frisa.

As multas e a vigilância das forças de segurança também se tornaram mais pesadas, com estas a sancionarem imediatamente e não a apenas alertarem, como acontecia noutras fases da pandemia. Na manhã de domingo, adiantou o capitão David Lopes, a GNR fechou um café em Vila Nova da Barquinha por estar a servir bebidas.

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).