Terça-feira, Março 2, 2021
- Publicidade -

Médio Tejo | Número de desempregados é o mais baixo desde que há registos

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego ficou em junho abaixo das 300 mil pessoas. Este é, segundo o Ministério do Trabalho, o número mais baixo dos últimos 27 anos. E, tal como se verifica a nível nacional, também na região do Médio Tejo nunca houve tão poucos desempregados inscritos nos centros de emprego.

- Publicidade -

Em junho, na soma dos 13 Municípios da região, estavam registados pouco mais de 4.800 desempregados, sendo o concelho com maior número o de Abrantes, 1.242 pessoas. Seguem-se os Concelhos de Tomar (788), Torres Novas (590) e Ourém (569).

Na região do Médio Tejo a maioria dos desempregados encontra-se na faixa etária dos 35 – 54 anos e são maioritariamente mulheres.

- Publicidade -

Quanto a desempregados com formação superior, estão inscritos nos centros de emprego 123 pessoas em Abrantes, 115 em Tomar, 101 em Ourém e 97 em Torres Novas.

Os motivos apontados pela maioria das pessoas que se inscrevem nos centros de emprego dizem respeito ao fim de trabalho não permanente. A segunda razão mais invocada é o despedimento, revela o Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Segundo dados do IEFP, o número de desempregados inscritos nos serviços de emprego em junho desceu 10,3% em termos homólogos e 2,3% em termos mensais. Ao todo, estão inscritas 298,2 mil pessoas.

“Para encontrar um número mais baixo é preciso recuar a dezembro de 1991, altura em que se registaram 296,6 mil desempregados inscritos”, destaca o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social em comunicado.

Se for tido em conta apenas o desemprego em território continental, o número chega aos 280 mil, o mais baixo dos últimos 30 anos. Aliás, na região Centro (40,8 mil desempregados), no Alentejo (13,5 mil) e na região de Lisboa e Vale do Tejo (88,9 mil) foram registados os valores mais baixos de que há registo.

Na zona norte, onde existem 124,9 mil desempregados, o valor é o mais baixo dos últimos 17 anos. Também no Algarve, que registe 7,9 mil desempregados, o valor é comparável com os registados nos primeiros anos da década de 2000.

Com sede em Tomar, o Centro de Emprego e Formação Profissional do Médio Tejo está inserido na Delegação Regional de Lisboa e Vale do Tejo e tem como área de intervenção os concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

Os serviços de Abrantes, além deste Concelho, abrangem Constância, Mação e Sardoal. Em Tomar, concentram-se os serviços para os concelhos de Tomar, Ferreira do Zêzere e Ourém. Em Torres Novas, a área abrangida inclui os concelhos de Torres Novas, Entroncamento, Alcanena e Vila Nova da Barquinha. E por fim Sertã dá também apoio a Vila de Rei.

No site da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo é disponibilizada semanalmente uma lista de todas as ofertas de emprego do Centro de Emprego e Formação Profissional do Médio Tejo.

Número de desempregados na região do Médio Tejo/junho 2019

Concelhos Desempregados
Abrantes 1.242
Alcanena 165
Constância 113
Entroncamento 412
Ferreira do Zêzere 124
Mação 150
Ourém 569
Sardoal 121
Sertã 373
Tomar 788
Torres Novas 590
Vila de Rei 50
Vila Nova da Barquinha 114
TOTAL 4.811

Fonte: IEFP

*Atualizada às 13h35 de 26/07/2019

C/ Agência Lusa

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).