Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Setembro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo inaugura percursos turísticos com espetáculos gratuitos na semana da Páscoa (C/VIDEO)

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) apresentou na quinta-feira o primeiro de três roteiros de turismo cultural que vai passar a promover anualmente, decorrendo esta primeira iniciativa entre os próximos dias 11 e 16 em cinco cidades da região.

- Publicidade -

Inserido no projeto de programação em rede “Caminhos”, que conta com financiamento do Portugal 2020, o “Caminho do Ferro” vai colocar em destaque municípios da região com estações ferroviárias – Abrantes, Entroncamento, Mação, Tomar e Vila Nova da Barquinha -, onde vão decorrer, na semana que antecede a Páscoa, espetáculos multidisciplinares gratuitos que têm por tema central a dança.

Parte da apresentação do programa teve como cenário o Rio Nabão, em Tomar, que conheceu uma vivência diferente ao final da tarde de quinta-feira, ocasião em que Violant pintou um graffiti num dos paredões junto à margem. No Complexo da Levada, a artista Aldara Bizarro fez um exercício de dança com um grupo bastante heterogéneo que prendeu a atenção de quem ali estava.

- Publicidade -

Tomar / Apresentação do projeto Caminhos / Complexo da Levada

Publicado por mediotejo.net em Quinta-feira, 6 de Abril de 2017

E foi este novo espaço museológico que acolheu a visita de vários autarcas do Médio Tejo, com a presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, Maria do Céu Albuquerque, a explicar aos presentes as linhas orientadoras dos “Caminhos de Ferro”, sublinhando com veemência que este é o primeiro projeto de programação cultural em rede entre os 13 municípios do Médio Tejo.

Maria do Céu Albuquerque, que também preside à Câmara Municipal de Abrantes, considera que este projeto vai servir para atrair outros públicos ao território de modo a criar mais riqueza na região. “Queremos ter um conjunto de atividades, de iniciativas que sejam capazes de trazer as pessoas e as manter por cá porque neste momento vêm visitar o que nós temos e regressam a suas casas no mesmo dia. Temos que deixar de olhar para o nosso património como algo estanque”, disse, considerando que este é um projeto “capital” e que vai fazer a diferença.

A presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas, por sua vez, considera que a criação de novos públicos é uma peça fundamental neste projeto Caminhos. “Uma criança que vive em Lisboa tem muito mais oportunidades do que uma criança que vive na região. Por isso, temos a obrigação de criar a igualdade de oportunidades. Fazer com que quem viva aqui tenha a oportunidade de assistir, vivenciar, de experimentar e de se apropriar dos espaços”, retorquiu, momentos antes do jantar temático que encerrou a apresentação do projeto, e do primeiro de três roteiros de turismo cultural , junto ao espelho de água do Rio Nabão.

Os outros dois “caminhos” têm por temáticas a Água, a decorrer em julho e com atividades centradas na música, e a Pedra, agendado para outubro e dedicado ao teatro.

As iniciativas, que envolvem os 13 municípios do Médio Tejo – Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha – têm por objetivo colocar a região “na rota do turismo cultural”.

Na informação divulgada pela organização sobre o que vai acontecer ao longo da próxima semana, destaca-se o espetáculo “Andar”, da coreógrafa Aldara Bizarro.

Projeto de criação que envolve 50 bailarinos amadores dos cinco municípios, o espetáculo, que “reúne a poesia de Ana Hatherly e o movimento de andar pelas ruas”, poderá ser visto, sempre às 18:30, nos dias 14, no Café Paraíso em Tomar, 15, no Parque Ribeirinho de Vila Nova da Barquinha, e 16, no centro histórico de Mação.

Quem se ‘perder’ pelo Médio Tejo na próxima semana poderá ainda assistir, e participar, nos dias 14 no Castelo de Almourol, às 21:30, e 15 no centro histórico de Entroncamento (Praça Salgueiro Maia), às 21:30, no “Baile dos Candeeiros”, um “espetáculo mágico em que o corpo dos bailarinos dá vida à luz de belíssimos candeeiros de época e que envolve o público num baile espontâneo”.

As praças José Raimundo Soares, em Abrantes, e da República, em Tomar, vão receber os concertos do grupo Galandum Galundaina (música tradicional portuguesa), dia 13 às 23:00, e do fadista Ricardo Ribeiro, dia 16, às 21:30, respetivamente, atuando a Dixie Band dos Xaral´s Dixie no dia 13 às 19:00 na estação ferroviária do Entroncamento.

Para famílias estão agendados os espetáculos “Sopa Nuvem” (dias 13 e 15, às 12:00, em Mação) e o “O cão que corre atrás de mim…” (dias 15 e 16, às 17:30, no Entroncamento), que aliam cinema e música ao vivo, teatro físico e de objetos, “propondo viagens emocionantes e poéticas pelas memórias de infância e interpelando-nos para as relações preciosas entre pais e filhos, avós e netos”.

Paralelamente aos espetáculos, os criadores Marina Palácio, Paulo Carmona, o Teatro de Ferro, Violant e Yola Pinto estão a realizar residências artísticas nestas cidades.

O objetivo é “criarem percursos pedestres únicos que podem ser vivenciados nestes dias e posteriormente se tornarão um ativo para o turismo da região”, destaca a organização.

“Esta é uma iniciativa idealizada com a consciência de que os ‘Caminhos’ são feitos por quem os percorre, seja numa base quotidiana seja pontualmente, cruzando-se com as paisagens, os monumentos, os espaços culturais, as casas, as praças e as ruas. E serão estes os espaços que acolhem os concertos, os espetáculos, os projetos de criação comunitária e os projetos criadores de percursos dos três roteiros”, acrescenta.

c/ Elsa Gonçalves e LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome