- Publicidade -

Segunda-feira, Dezembro 6, 2021
- Publicidade -

Médio Tejo | Governo termina com interdição da pesca lúdica

O Governo aprovou o decreto-lei que estabelece que os planos de gestão das zonas de pesca profissional podem incluir a pesca lúdica, terminando com a interdição desta em áreas tão vastas como as ocupadas pelas zonas de pesca profissional (ZPP). Na região existem duas ZPP que, juntas e de forma ininterrupta, entre Ortiga (Mação) e Chamusca, compõem desde 2015 um troço de 52 quilómetros sem área de permissão de pesca lúdica, situação que gerou ao longo dos tempos protestos de pescadores, autarcas e cidadãos.

- Publicidade -

“Foi aprovado o decreto-lei que estabelece que, para além da prática da pesca desportiva, os planos de gestão e exploração das zonas de pesca profissional possam prever, também, a prática da pesca lúdica”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

A proibição de pesca lúdica motivou ao longo dos tempos manifestações públicas de desagrado de autarcas de municípios ribeirinhos do Médio Tejo, nomeadamente Mação, Abrantes, Constância, Entroncamento e Vila Nova da Barquinha, que afirmaram não compreender o porquê de a pesca lúdica estar vedada enquanto atividade de recreio.

- Publicidade -

A medida agora aprovada permite que seja levantada a proibição da pesca lúdica dentro das Zona de Pesca Profissional do Médio Tejo, em vigor desde 2015. Numa extensão de 52 quilómetros do rio, entre Ortiga (Mação) e Chamusca, que na prática se traduz em 104 quilómetros tendo em conta que abrange as duas margens, não se pode pescar, atividade que tem exceção para os profissionais da pesca, que são poucos.

Esta proibição era aplicada à zona com regulamentação especial para pesca, desde o troço do rio Tejo compreendido entre 200 m a jusante da barragem de Belver, freguesia de Ortiga, concelho de Mação, na margem direita, e freguesia e concelho de Gavião, na margem esquerda, a montante, e a captação de águas do Taínho, freguesia de Alferrarede, na margem direita, e freguesia do Pego, na margem esquerda, concelho de Abrantes, a jusante.

De referir que, no Médio Tejo e municípios contíguos, existem dois troços onde era interdita a pesca lúdica desde 2015, ao contrário do que sucedia com a pesca profissional e desportiva, afetando a população, essencialmente entusiastas da prática e reformados, dos municípios ribeirinhos de Gavião, Mação, Abrantes, Constância, Vila Nova da Barquinha, Entroncamento, e Chamusca.

Um dos troços é a denominada ‘Zona de Pesca Profissional (ZPP) Rio Tejo – Ortiga’, que compreende o espaço do Tejo entre Belver e a ribeira do Taínho, em Alferrarede (Abrantes), e a ‘ZPP Constância/Barquinha’, que vai desde a ribeira do Taínho até à ponte da Chamusca.

Com o decreto-lei agua aprovado termina a interdição da pesca lúdica em “áreas tão vastas” como as que são, atualmente, ocupadas pelas zonas de pesca profissional.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

  1. Belisssíma noticía e muito esperada por todos os pescadores lúdicos estão todos de parabéns bem haja para todos os que de uma ou outra maneira foram intervenientes grato a todos

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome