Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo: Empresas Couro Azul e Digidelta destacadas pelo London Stock Exchange Group

A Couro Azul (Alcanena) e a Digidelta (Torres Novas) estão entre as 22 pequenas e médias empresas portuguesas consideradas como “inspiradoras” pelo London Stock Exchange Group. O relatório anual “1000 Companies to Inspire Europe 2016” destaca o crescimento e o dinamismo presentes nestas empresas, com receitas anuais superiores a 35 milhões de euros.

- Publicidade -

O relatório “1000 Companies to Inspire Europe 2016” apresentado pelo London Stock Exchange Group destacou as empresas Couro Azul e Digidelta, ambas com sede no Médio Tejo, como dois exemplos inspiradores de crescimento e dinamismo empresarial anível europeu. No levantamento anual realizado pela empresa britânica proprietária da Borsa Italiana (bolsa de valores italiana) e da London Stock Exchange (bolsa de valores de Londres), surgem 22 empresas localizadas em Portugal Continental e na Região Autónoma dos Açores.

As duas empresas situadas no Médio Tejo desenvolvem a sua atividade industrial na região há mais de um quarto de século. A Digidelta foi fundada no concelho de Torres Novas em 1989 por Rui Leitão. A Couro Azul, do Grupo Carvalhos, surgiu quatro anos mais tarde, no concelho de Alcanena. A empresa torrejana expandiu-se e atualmente tem instalações no Prior Velho (Loures), Santo Tirso e Villaviciosa de Odón (Espanha).

- Publicidade -

O grupo empresarial torrejano dedica-se ao mercado grossista na área da impressão digital como importador e distribuidor da marca Mimaki (equipamentos e consumíveis) e fabricante dos consumíveis Decal. Ao nível da comunicação visual, a Digidelta fabrica painéis LED com a tecnologia NetScreen, que alia à prestação de serviços de comunicação digital através da marca Brand Digital. A receita anual da Digidelta situa-se acima dos 35 milhões de euros.

Este valor é superior a 60 milhões de euros no caso da unidade industrial mais recente do Grupo Carvalhos, fundado em 1939 por António Nunes de Carvalho. A Couro Azul deu continuidade ao trabalho desenvolvido pela unidade anterior, Curtumes do Lys, tendo as novas infraestruras localizadas em Gouxaria sido concebidas para a transformação de peles inteiras de bovino e direcionadas para os setores automóvel e aeronáutico.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome