Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Setembro 18, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | É nos concelhos mais interiores que mais aumenta a população ativa

Vila de Rei, Ferreira do Zêzere e Mação são os concelhos da região do Médio Tejo onde mais aumentou a população ativa, segundo dados apresentados pelo Instituto Nacional de Estatística, num estudo recente sobre evolução demográfica.

- Publicidade -

Os dados revelam que Vila de Rei é o concelho de Portugal Continental que mais aumentou a percentagem da sua população ativa (e o quarto a nível nacional).

Segundo o INE, entre 2011 e 2017, Vila de Rei aumentou em mais de cem pessoas a sua população ativa, ao mesmo tempo que baixou o número de pensionistas, contrariando assim a tendência que se fez sentir em grande parte do país e do interior em Portugal.

- Publicidade -

Entre 2011 e 2017, dos 13 concelhos da região do Médio Tejo, são Vila de Rei, Ferreira do Zêzere e Mação que registam variação positiva, contrariando a tendência de perda de contribuintes. Tal acontece apenas em 80 dos 308 concelhos portugueses, facto que põe em causa a sustentabilidade do sistema de pensões. Em sete anos, o número de pessoas em idade ativa por pensionista caiu de duas para 1,8.

“Os concelhos que têm uma evolução positiva, mais estranha, são exatamente os do interior onde se esperaria uma evolução contrária”, assinala ao jornal Dinheiro Vivo Armindo Silva, economista e antigo responsável da direção-geral de Emprego da Comissão Europeia.

Amílcar Moreira, especialista em Política Social, do Instituto do Envelhecimento da Universidade de Lisboa, citado pelo mesmo jornal explica: “o que pode estar a acontecer aqui são processos de migrações internas ou processos em que começou a morrer muita gente. Ou até a conjugação das duas coisas”.

Para o presidente do Município de Vila de Rei, Ricardo Aires, “as medidas de incentivo à natalidade, à fixação da população e os apoios na área da educação – onde estudar, desde o ensino pré-escolar ao Secundário, é praticamente gratuito – no nosso concelho encontram-se já a dar frutos, conforme se constata também neste estudo do INE”.

“A juntar a isto, temos também os apoios à fixação de empresas e à dinamização do comércio local, que ajudam na criação de novos empregos e, consequentemente, trazem mais riqueza ao território, tornando-o mais atrativo para todos”, acrescenta o autarca.

Ricardo Aires faz saber que “estes apoios fazem com que Vila de Rei seja um local que deve ser sempre equacionado para a localização de novas empresas e o nosso GDAE – Gabinete de Dinamização de Atividade Económica encontra-se disponível para prestar todo o tipo de esclarecimentos neste sentido”.

O autarca faz questão de salientar que “a continuação destes bons resultados depende do trabalho conjunto do município e de toda a comunidade, pois só todos juntos poderemos cativar e atrair novos residentes, novas empresas e novos serviços que dinamizem o nosso concelho.”

Variação da população ativa entre 2011 e 2017

Região do Médio Tejo

Concelho Variação
Alcanena -8,85%
Abrantes -8,44%
Constância -13,16%
Entroncamento -7,66%
Ferreira do Zêzere 2,23%
Mação 3,95%
Ourém -4,78%
Sardoal -0,34%
Tomar -7,02%
Torres Novas -5,22%
Sertã -1,96%
Vila de Rei 14,11%
Vila Nova da Barquinha -7,76%

Fonte: INE

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome