Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Junho 14, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo contraiu 20% nas exportações arrastado pela MFTE em ano de pandemia

A Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém já apresentou o balanço do projeto Ribatejo Global. A pandemia não foi favorável às exportações, com uma queda de 20% no Médio Tejo, em particular devido às quebras na Mitsubishi. Ainda assim, expôs o presidente da comissão executiva da Nersant, António Campos, os resultados são positivos, havendo atualmente 30% de capital estrangeiro no território.  

- Publicidade -

Iniciado em 2018, o projeto Ribatejo Global consistiu em várias iniciativas para promover a região junto de investidores internacionais, por forma a aumentar as exportações e atrair investimento. Foram criadas várias plataformas de dinamização empresarial e promovidas viagens de negócios em vários países.

Segundo António Campos, a região tem sido cada vez mais procurada por países asiáticos devido à qualidade dos produtos. Atualmente, adiantou, o território conta com 30% de capital estrangeiro.

- Publicidade -

Face a uma questão do mediotejo.net, António Campos explicou que a Nersant está atualmente a trabalhar com 120 países, sendo os mais importantes a Espanha, França e a China (que procura sobretudo pedra). “O que temos procurado fazer é encontrar novos mercados” que apreciem a qualidade dos produtos portugueses, referiu. Neste sentido, a América do Sul e a costa africana, em países como o Gana e a Costa do Marfim, estão na mira das oportunidades para os empresários nacionais. 

A Nersant também estabeleceu recentemente um protocolo com a Câmara do Comércio Portugal – China e estão a ser dados os primeiros passos nesta nova estratégia. Encontra-se a decorrer assim uma candidatura para levar empresários portugueses à China, adiantou. 

Não obstante as boas perspetivas, o ano de pandemia não foi bom para o Ribatejo Global. O território contraiu 6,2% ao nível das exportações, sendo que o Médio Tejo em particular teve uma queda de 20%.

Segundo António Campos, tal deveu-se sobretudo ao impacto da crise sanitária na fábrica da Mitsubishi Fuso no Tramagal, não obstante Abrantes, assim como Santarém, sejam dos concelhos que mais exportam na região. 

A fábrica da MFTE em Tramagal é o centro de produção da FUSO na Europa e emprega cerca de 400 trabalhadores diretos, integrando a Daimler Truck, a maior construtora mundial de veículos pesados, sendo a maior empresa exportadora do distrito de Santarém.

Já a Lezíria do Tejo conseguiu crescer cerca de 8%, não obstante a queda global.  

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome