Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Terça-feira, Outubro 19, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | Conheça os trilhos culturais dos Caminhos da Pedra em cada concelho

Os Caminhos da Pedra estão de regresso, de 12 a 14 e de 18 a 21 de outubro, com dois fins-de-semana prolongados em que os caminhantes se cruzam no Médio Tejo com artistas nacionais e internacionais de teatro, música, circo contemporâneo, teatro de rua e dança. Em qualquer caminhada recomenda-se “reforço alimentar” e esta vai ser longa por isso deixamos a “papinha” feita para que possa trilhar a cultura, concelho a concelho, no Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

- Publicidade -

A segunda edição do projeto Caminhos, da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, entra na reta final com o último momento do ano em que os caminhantes podem usufruir de cultura gratuita no Médio Tejo. Entre 13 e 15 e 20 e 22 de abril, seis concelhos foram unidos pelos Caminhos do Ferro e entre 13 e 15 e 19 e 22 de julho percorreram-se oito com os Caminhos da Água. Neste mês de outubro são sete aqueles que recebem espetáculos, percursos artísticos e um projeto comunitário.

Feitas as contas, são 53 momentos distribuídos por sete dias com paragem no Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha. Os Caminhos da Pedra passam pelo Entroncamento e Tomar no primeiro fim-de-semana, por Ourém, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha no segundo e por Ferreira do Zêzere e Sardoal em ambos. Há muito caminho para percorrer por isso apresentamos o programa global, concelho a concelho.

- Publicidade -

ENTRONCAMENTO

O Concerto dos LST – Lisboa String Trio é no dia 12. Foto: DR

Os caminhos da Pedra levam à cidade ferroviária o Bestiário à Solta nos três dias com a apresentação de “Deixem-nos Ser”, a 12, no Parque Verde do Bonito, às 11h00, e no Jardim Afonso Serrão Lopes, às 14h00. O último local volta a receber as Histórias do Bestiário Tradicional Português durante o fim-de-semana, com a apresentação de “Tenho um Bicho cá por dentro”, no dia 13, e de “Curo-vos de todos os males”, no dia 14, sempre às 11h00.

O programa inclui passagem pelo Centro Cultural às 21h30, tanto no concerto de LST – Lisboa String Trio, marcado para sexta-feira, como na performance de dança e teatro de rua “Yann Lleureux”, da companhia Flagrant Délire, agendado para sábado. As mesmas áreas artísticas juntam-se novamente do dia 14, durante a performance “Mulier” que a companhia Maduixa apresenta no Complexo Desportivo (zona lateral dos campos sintéticos), às 18h00.

FERREIRA DO ZÊZERE

O espetáculo “Crassh Babies 2.0”, do projeto CRASSH, é apresentado no dia 13. Foto: DR

A edição de 2018 do terceiro momento do ano em que o projeto Caminhos anda pela região faz paragem no concelho com o teatro de rua do Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português no Centro Escolar de Areias às 10h00, 14h00 e 15h30 de de dia 12 e na Biblioteca Municipal Dr. António Baião às 15h30 de dia 13. O teatro volta a estar presente no programa de sábado com o espetáculo “Crassh Babies 2.0”, apresentado pelo projeto CRASSH, às 10h00 e às 11h30, no Centro Cultural.

As pedras (preciosas) culturais que fazem os Caminhos em outubro são muitas e no concelho de Ferreira do Zêzere também se descobrem no segundo fim-de-semana. Às 11h00 de sexta-feira, a Escola Pedro Ferreiro recebe o espetáculo de circo contemporâneo “Gigante”, da companhia espanhola La Pequeña Victoria Cen, e, às 21h30 de sábado, a companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora sobe ao palco do Cine-Teatro Ivone Silva com a produção “Aurora”.

OURÉM

O concerto de Cristina Branco encerra os Caminhos da Pedra no dia 21. Foto: DR

O percurso artístico “De mapa na mão”, criado pelo coletivo BURILAR pode ser descoberto a partir das 14h00 de quinta-feira, das 10h00 de sexta-feira e das 11 durante o fim-de-semana, tendo como ponto de encontro a Casa do Administrador / Museu Municipal de Ourém. Este concelho também recebe circo contemporâneo e música, surgindo o primeiro na Junta de Freguesia de Caxarias, às 21h30 de dia 19, com a apresentação do espetáculo “SAVAR A.M.”, da companhia Erva Daninha.

A música, por sua vez, integra o programa de sábado, data em que a Praça Luís Kondor, em Fátima, recebe o espetáculo “Marcha das Almas” a partir das 18h00, que junta habitantes deste concelho e do de Vila Nova da Barquinha, com direção musical de Rui Souza, no projeto comunitário “Voz à Solta”. No domingo, o concerto de Cristina Branco no Cineteatro Municipal de Ourém, às 21h30, encerra os Caminhos da Pedra 2018.

SARDOAL

O espetáculo “Catabrisa”, da Companhia Instável, é apresentado a 12 e 13. Foto: DR

A cultura volta a ser trilhada com inspiração nos Caminhos da Pedra no primeiro fim-de-semana da iniciativa e inclui a apresentação do espetáculo de teatro “Catabrisa”, da Companhia Instável nos dias 12 e 13, às 11h00 e às 14h00, no quartel dos Bombeiros Municipais. O percurso artístico “Pedra a Pedra”, criado por Ana Bento e com partida no Largo do Pelourinho pode ser explorado nos três dias, às 17h30 de sexta-feira, às 21h30 de sábado e às 11h30 e 16h00 de domingo. O projeto Caminhos regressa ao concelho no segundo fim-de-semana com uma proposta musical, que leva “La Negra” ao palco do Centro Cultural Gil Vicente, às 21h30 de dia 19.

TOMAR

Lula Pena atua no dia 12. Foto: DR

Os Caminhos da Pedra percorrem-se neste concelho durante o primeiro fim-de-semana e o programa inclui o percurso artístico “Iria”, criado por Tiago Correia, na Mata dos Sete Montes e tem com ponto de partida no Posto de Turismo entre as 09h30 e as 16h30 nos três dias, sendo o mesmo acompanhado pelo artista na primeira caminhada. O Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português anda pelo Parque Infantil às 10h30 de dia 12 e às 15h00 de dia 13.

Este espetáculo de teatro de rua também passa no sábado pelo Complexo Cultural da Levada e no domingo pelo Jardim do Mouchão, ambos às 11h00. A música de Lula Pena sobe ao palco no Complexo Cultural da Levada, às 21h30 de dia 12, e a de Marta Pereira da Costa ao do Cine-Teatro Paraíso à mesma hora de dia 14. Pelo meio surge o teatro de rua da companhia Madiuxa, que apresenta “Mulier” na Praça da República às 17h00 de sábado.

TORRES NOVAS

A peça “Se eu vivesse, tu morrias”, de Miguel Castro Caldas, é apresentada no dia 18. Foto: DR

Os Caminhos da Pedra atravessam o concelho torrejano no segundo fim-de-semana com diversas áreas artísticas e a primeira com a qual nos podemos cruzar é o teatro com a apresentação da peça “Se eu vivesse, tu morrias”, de Miguel Castro Caldas, às 21h30 de quinta-feira no Teatro Virgínia. Sexta-feira é dia de “descanso” para os caminhantes, que podem percorrer o percurso artístico “Andão mortos por sima dos vivos”, criado por Francisco Goulão, na zona ribeirinha às 10h30 ou às 17h30 de sábado e domingo.

No sábado, os passos dados nos Caminhos da Pedra podem levá-los até à Praça 5 de Outubro durante a tarde ou ao Teatro Meia Via à noite. No primeiro local a companhia Erva Daninha apresenta o espetáculo de circo contemporâneo “SAVAR A.M.”, às 16h00, e no segundo ouve-se a música de Norberto Lobo Trio, às 22h00.

VN BARQUINHA

O espetáculo “Marcha das Almas”, do projeto comunitário “Voz à Solta”, é apresentado no dia 21. Foto: DR

Vila Nova da Barquinha volta a fazer parte do itinerário dos Caminhos da Pedra este ano e o ponto de encontro dos visitantes é sempre o Largo 1º de Dezembro, em frente ao Centro Cultural. O concelho recebe espetáculos no segundo fim-de-semana nas vertentes artísticas do circo contemporâneo, a 19, e da música, a 21. Na sexta-feira, a companhia espanhola La Pequeña Victoria Cen apresenta “Gigante” a partir das 21h00, e no domingo, é apresentada a “Marcha das Almas”, do projeto comunitário “Voz à Solta”, pelas 18h00.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome