- Publicidade -

Médio Tejo | CIM quer dinamizar região com programação cultural em rede no verão (C/ÁUDIO)

Com a programação cultural em rede ‘Caminhos’ suspensa devido à pandemia, a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo pretende retomar o projeto em julho, com o ciclo da água e, em seguida, em outubro, com o ciclo da pedra. O novo projeto cultural denominado “Os Caminhos das Pessoas” poderá estrear-se já em junho, se as condições pandémicas o permitirem.

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, o secretário executivo da CIM do Médio disse o objetivo é voltar a “caminhar” este verão de 2021, para promover o encontro da cultura com o território e o encontro das comunidades com visitantes e artistas emergentes, com a promoção do projeto Caminhos – programação cultural em rede, e também com a concretização do novo projeto denominado “Os Caminhos das Pessoas”.

Nesta fase, e devido à situação da pandemia COVID-19, não será possível concretizar o primeiro ciclo do projeto – Caminhos do Ferro, que habitualmente se realiza em abril, havendo a expectativa de se retomar a programação cultural em rede em julho de 2021 com os Caminhos da Água, afirmou.

- Publicidade -

ÁUDIO: MIGUEL POMBEIRO, SECRETÁRIO EXECUTIVO CIM MÉDIO TEJO:

Durante os últimos anos da sua concretização, o projeto Caminhos, cofinanciado pelo Centro2020, tem promovido momentos de música, teatro de rua, circo contemporâneo, projetos comunitários, percursos artísticos, conversas com artistas, entre outros momentos, garantindo a realização de eventos diversificados e para todas as idades, envolvendo a itinerância de espetáculos pelo território do Médio Tejo.

É sob este desígnio que a CIM do Médio Tejo pretende “retomar o projeto em julho, com o ciclo da água e, em seguida, em outubro, com o ciclo da pedra”, sendo que, numa “aposta continuada” pela programação cultural em rede, também em setembro de 2020, foram submetidas ao Centro2020, novas candidaturas de programação, tendo a CIM do Médio Tejo apresentado a candidatura: “Os Caminhos das Pessoas”.

A candidatura foi aprovada e iria arrancar no primeiro trimestre deste ano. Contudo, devido às atuais restrições, foi deliberado no último Conselho Intermunicipal o adiamento do projeto, possivelmente, para junho ou julho deste ano 2021.

Esta candidatura “Os Caminhos da Pessoas” será concretizada através de um programa de ação de 12 meses e tem como objetivo valorizar e animar o património do território, potenciando o usufruto da arte em locais públicos de acesso livre, procurando manter uma relação direta entre o espetáculo e o contexto espacial e social em que se insere.

No âmbito do projeto está prevista a concretização de várias iniciativas, como seja: ações de dinamização de práticas artísticas e culturais por e ou para grupos em risco de exclusão ou socialmente desfavorecidos; ações de intermediação que favorecem o desenvolvimento de atitudes e capacidades de aprendizagem, com vista à aquisição de competências básicas, pessoais e sociais; desenvolvimento de projetos que concorram para a melhoria do acesso à cultura e à arte, entre outras.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).