Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Junho 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | CHMT quer levar consultas do Centro de Desenvolvimento da Criança aos três hospitais (C/ÁUDIO)

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) está a readequar os seus recursos, passada que está a fase mais crítica da pandemia, tendo a diretora clínica, Ivone Caçador, assegurado que o Centro de Desenvolvimento da Criança (CDC) vai regressar à Unidade Hospitalar de Tomar mas não ao espaço que chegou a ocupar. É objetivo ainda que o CDC “expanda a possibilidade de as consultas de desenvolvimento poderem ser efetuadas nas três unidades” do CHMT, ou seja, em Abrantes, Tomar e Torres Novas.

- Publicidade -

Em declarações aos jornalistas, a nova dIretora clínica do CHMT disse que aceitou e viu o convite para o cargo como “um desafio”, numa linha de continuidade profissional com cerca de duas décadas no CHMT, tendo feito notar que, com o regresso de todos os Serviços que foram temporariamente transferidos aos seus locais de origem, iniciou-se uma nova fase de reposição da atividade assistencial, faltando apenas que o Centro de Desenvolvimento da Criança regresse à Unidade Hospitalar de Tomar. Mas o objetivo passa depois por alargar as consultas aos outros hospitais, numa lógica de proximidade e equidade de serviço. 

ÁUDIO: IVONE CAÇADOR, DIRETORA CLINICA CHMT:

- Publicidade -

Com a atividade assistencial desenvolvida nos últimos anos e com a “crescente valorização” do Centro Hospitalar do Médio Tejo, abrangendo as suas três unidades hospitalares, a administração afirma que “não há espaços devolutos no CHMT” e que na Unidade hospitalar de Tomar “encontra-se apenas uma Enfermaria inativa mas que será afeta à nova valência de Reabilitação do Serviço de Fisiatria”.

Em comunicado, o CHMT refere que, “decorrente do avançar da pandemia, está em curso uma grande transformação da atividade assistencial prevista para a Unidade Hospitalar de Tomar, nomeadamente no âmbito do doente com sequelas Covid-19 e sua reabilitação”.

Assim, e com as mudanças que estão a ser implementadas no hospital de Tomar, o Centro de Desenvolvimento da Criança “terá de se adaptar à partilha de espaços” naquela Unidade Hospitalar, “não sendo possível que este mesmo Centro de Desenvolvimento continue a ocupar a imensidão de espaço que ocupava antes da pandemia”, refere o CHMT, dando conta esperar que este regresso “se efetue o quanto antes, por forma a estabilizar a dinâmica de atividade assistencial aos utentes do CHMT”.

Os diversos Serviços assistenciais “voltaram aos seus espaços de origem”, existindo, no entanto, “necessidade de readaptação de espaços que continuam condicionados pela resposta assistencial que tem de ser dada a doentes covid-19”, fez notar a administração hospitalar, relativamente a uma readaptação que “a maioria dos Serviços plenamente percebeu e colaborou”, no encontrar das soluções implementadas.

Nesse sentido, continua, é no âmbito desta restruturação que se espera que o Centro de Desenvolvimento da Criança, através dos seus profissionais, “regresse não só à Unidade Hospitalar de Tomar, mas que expanda a possibilidade de as consultas de desenvolvimento poderem ser efetuadas nas três Unidades do Centro Hospitalar do Médio Tejo”.

O CHMT recorda que o Centro de Desenvolvimento da Criança é uma das valências do Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar do Médio Tejo, serviço que desenvolve a sua atividade nas áreas de pediatria geral, ambulatório, consultas, internamento, urgência, Hospital de Dia da Diabetes e Hospital de Dia Pediátrico. Entre outras atividades tem uma colaboração ativa na área oncológica com o IPO de Lisboa e dá um apoio importante à consulta de imuno-alergologia.

O CHMT referiu ainda a Unidade de Cuidados Neonatais, lembrando que estas valências estão distribuídas pelas três unidades hospitalares que integram o CHMT, sendo as crianças e jovens referenciados consoante a sua zona de residência.

“É neste quadro de readaptações internas que o Centro de Desenvolvimento da Criança se terá que ajustar como qualquer outra atividade assistencial fez e no âmbito da pandemia, contando com toda a colaboração  do Serviço de Pediatria em que está integrado e do próprio Conselho de Administração para expandir os seus meios técnicos e recursos humanos para que a resposta clínica à criança e ao adolescente seja cada vez mais global e interdisciplinar no conjunto de todo o Centro Hospitalar do Médio Tejo”, conclui.

Ivone Caçador, a nova diretora clínica do CHMT. Foto: mediotejo.net

Ivone Caçador, a nova diretora clínica do CHMT

Na sequência do pedido de demissão da médica Ana Maria Vila Lobos, da Direção Clínica do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, o Conselho de Administração propôs à tutela a nomeação da médica Ivone Caçador, à data diretora do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, para as funções de Diretora Clínica do CHMT.

Especialista em Obstetrícia /Ginecologia, Ivone Caçador exerce atividade no CHMT há mais de vinte anos, possuindo um fortíssimo conhecimento da Instituição e das suas potencialidades.

A nomeação de Ivone Caçador como Diretora Clínica do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE. foi assinada a 5 de abril, produzindo efeitos, com o início de funções no dia 6 de abril.

Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração, congratulou a médica pela nomeação e disse estar “certo do enorme contributo” que Ivone Caçador dará ao projeto de afirmação assistencial do CHMT, no contexto do Serviço Nacional de Saúde (SNS), “evidenciando toda a enorme competência assistencial desta Casa”.

O presidente do Conselho de Administração do CHMT, EPE, deixou igualmente expresso o agradecimento à ex-diretora clínica, Ana Vilas Lobos, pelo trabalho que desenvolveu.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome