Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Novembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | CHMT proíbe fumar nos espaços exteriores das unidades hospitalares

A partir de terça-feira é proibido fumar nas instalações interiores e exteriores do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), anunciou o Conselho de Administração. A norma agora publicada institui a proibição de fumar em qualquer espaço das instalações das unidade hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas a partir desta terça-feira, dia 15 de setembro, sendo justificada como uma medida de prevenção do contágio por covid-19.

- Publicidade -

- Publicidade -

Na Circular Normativa, aprovada no dia 11 de setembro, pode ler-se que “a presente proibição abrange todos os espaços das três Unidades Hospitalares (Abrantes, Tomar e Torres Novas) que compõem o CHMT, incluindo-se os espaços ao ar livre interiores e exteriores”, sendo esta proibição “motivada pela necessidade de adoção de medidas de prevenção do contágio por SARS-CoV-2”.

Segundo o documento, “pretende-se evitar as aglomerações nos locais de fumo habituais, prevenindo o contágio através de gotículas respiratórias que podem conter carga viral, considerando ainda que se verificam ajuntamentos de fumadores em determinados espaços ao ar livre que constituem parte integrante das instalações hospitalares”.

- Publicidade -

Para o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo “esta questão possui ainda maior relevância, uma vez que no ato de fumar verifica-se ausência de equipamento de proteção individual (máscara), potenciando assim o risco de contágio”.

A circular normativa entra em vigor esta terça-feira, dia 15 de setembro.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome