Médio Tejo | Centro Hospitalar assinala Dia Mundial da Saúde Mental

Desde 2013 que o Serviço de Psiquiatria do CHMT, EPE comemora o dia Mundial da Saúde Mental. Foto: CHMT

Desde 2013 que o Serviço de Psiquiatria do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT, EPE) comemora o dia Mundial da Saúde Mental com um programa de atividades que marca esta data junto da Comunidade.  O programa anual das comemorações tem sido organizado em parceria com as autarquias da área de abrangência do Centro Hospitalar Médio Tejo.

PUB

Em 2013, 2014 e 2015 a celebração deste dia foi na cidade de Tomar, em 2016 na cidade de Torres Novas, em 2017 em Abrantes, 2018 em Constância e no ano passado em Ourém.

Este ano, e por contingência da pandemia não é possível levar à comunidade os trabalhos realizados pelos utentes do Serviço de Psiquiatria do CHMT, EPE .

PUB

Apesar da Covid-19, a equipa do Serviço de Psiquiatria do CHMT, EPE evoca esta data com um registo das atividades realizadas durante os últimos anos, e um texto que reproduzimos.

“Evocação do DIA MUNDIAL DA SAÚDE MENTAL

PUB

A Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health) estabeleceu em 1992 o dia 10 de Outubro como o Dia Mundial da Saúde Mental, com a finalidade de aumentar o conhecimento público sobre saúde mental.

O Serviço de Psiquiatria do CHMT, EPE habitualmente comemora este dia. Desde 2013 tem vindo a desenvolver um programa de atividades que marquem esta data junto da Comunidade. Mantendo um foco especial no tema do combate ao estigma relativo à doença mental, todos os anos promove-se um programa de intervenção com várias atividades, nomeadamente sessões de ginástica, jogos tradicionais, contadores de histórias e visitas culturais.

A Exposição IntegrArte é a Iniciativa que se tem mostrado como denominador comum a todos os acontecimentos. Já decorreu em várias galerias de arte, bibliotecas entre outras instituições.. É uma exposição inspirada no estigma e preconceito das pessoas com doença mental e à aceitação social plena.

A ideia deste projeto nasceu pela observação da vertente artística existente em algumas pessoas seguidas no serviço de psiquiatria, surgindo a ideia de partilhar as suas obras de arte com a comunidade em geral. Nesta exposição encontramos a dimensão artística de Arte Bruta/Outsider.

O Conceito anteriormente referido de “Arte Bruta/Outsider” foi criado pelo artista francês Jean Dubuffet (1901-1985) para designar a criação artística livre. São obras de arte que nascem num contexto distanciado das belas- artes, os artistas não têm nenhum conhecimento erudito sobre arte e de uma forma genuína e espontânea produzem peças artísticas. São criadores livres com produções muito diversificadas, muitos deles têm mesmo que ser criativos em relação aos materiais que utilizam por terem baixos recursos económicos.

O sucesso da exposição IntegrArte é sem dúvida a desmistificação do estigma associado à doença mental. Tem um impacto muito positivo pois causa no público a perceção da importância da aceitação destas pessoas, pela admiração da qualidade dos seus trabalhos.

O estigma representa um dos maiores obstáculos para a recuperação e reabilitação dos indivíduos portadores de doença mental. As ideias preconcebidas representam uma injustiça social que pode ser tão prejudicial como a própria doença. O combate ao estigma é fundamental para que as pessoas portadoras de doença mental possam viver o mais autónomas possível e com a desejada dignidade, prosseguindo com os seus objetivos de vida, usufruírem das oportunidades, para que desta forma construam uma vida condigna e inserida na sociedade.

Estudos revelam que motivadas pela discriminação, as pessoas com doença mental são profundamente afetadas na sua autoestima, dada a desvalorização que lhes é atribuída, assim como, a rejeição social que constantemente as penaliza.

Iniciativas como a comemoração do Dia Mundial da Saúde Mental contribuem para a erradicação do estigma, através da promoção da educação da comunidade em geral acerca destas doenças. Neste sentido, é muito importante que a divulgação deste tema seja realizado pelas instituições de saúde e por nós profissionais para garantir que a informação transmitida seja fidedigna e adequada à compreensão global.

Este ano, não obstante a sua atipicidade decorrente da atual Pandemia, não podemos deixar de evocar o referido dia. A alusão ao passado recente demonstra o respeito à Comunidade que somos e servimos. Bem Hajam!”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here