Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | Centro Hospitalar assinala dois anos de atividade cirúrgica do Hospital de Santarém

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) deu conta de se terem completado na quarta-feira, dia 3 de abril, dois anos de utilização do Bloco Operatório da Unidade Hospitalar de Torres Novas pelo Hospital de Santarém, situação que decorre das obras em curso no Hospital de Santarém.

- Publicidade -

- Publicidade -

Em nota de imprensa, o CHMT refere que essa disponibilização deriva do constrangimento dessas mesmas obras, tendo o hospital de Santarém passado a utilizar o Bloco Operatório da Unidade de Torres Novas, “potenciando esta ocupação a operacionalidade de um espaço em condições de servir a população do distrito de Santarém”.

Para além do Bloco Operatório totalmente equipado, foram disponibilizados as infraestruturas de apoio, nomeadamente uma enfermaria, com capacidade para 26 camas.

- Publicidade -

“Estas sinergias permitiram que centenas de doentes pudessem ser intervencionados no âmbito do Serviço Nacional de Saúde, em condições de segurança clínica, de conforto e maior proximidade das suas áreas de residência, sempre numa perspetiva de partilha dos recursos do Serviço Nacional de Saúde”, sublinha o CHMT.

“A exemplo do que tem acontecido por diversas circunstâncias, a atitude do Centro Hospitalar do Médio Tejo será sempre de plena colaboração e cooperação, de modo a minimizar constrangimentos no acesso aos cuidados de saúde da população do Distrito de Santarém”, pode ainda ler-se na mesma nota.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome