Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo | Carregadores de carros elétricos estão todos desligados na região

Os carregadores de carros elétricos em toda a região do Médio Tejo foram desligados por não estarem certificados. Alguns, poucos, chegaram a funcionar, mas tiveram de ser desligados. Nunca mais funcionaram. A maior parte dos carregadores nunca chegaram sequer a ser instalados, apesar de um protocolo assinado em 2017 com os 13 municípios da região, em que estava previsto um carregador público em cada concelho, de forma a promover a “mobilidade inteligente”.

- Publicidade -

A situação “é lamentável” e “desprestigia a aposta que se quer fazer na descarbonização e na mobilidade elétrica”, afirma o secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT).

“É uma situação lamentável porque ao mesmo tempo que incentivamos a compra de carros elétricos negligencia-se a rede de carregadores para esses mesmos veículos”, disse Miguel Pombeiro ao mediotejo.net, tendo aquele responsável da CIMT feito notar as “inúmeras tentativas, todas elas infrutíferas” de tentar perceber e resolver um processo que resulta de um protocolo assinado em junho de 2017 com a Mobi.E, responsável pela instalação dos postos de carregamento e entidade que gere as transações e a interoperabilidade da rede de carregadores de carros elétricos.

- Publicidade -

“Os municípios assumiram nesse protocolo o pagamento da ligação do ramal da eletricidade ao carregador elétrico mas a Mobi.E, que gere a plataforma de carregamentos elétricos à escala nacional, poucos postos instalou no Médio Tejo, e o estado atual, que é de inexistência total de carregamentos na região, é da responsabilidade da Mobi.E que nem satisfações nem perspetivas de solução dá”, reiterou Miguel Pombeiro.

A maior parte dos carregadores nunca chegaram sequer a ser instalados, apesar de um protocolo assinado em 2017 com os 13 municípios da região, em que estava previsto um carregador público em cada concelho. Foto: DR

“É uma insatisfação total, seja ao nível da CIMT seja ao nível de cada município individualmente, sem resposta a todas as interpelações e diligências efetuadas, e é uma descredibilização de uma prioridade que todos reconhecemos em termos de objetivos nacionais da descarbonização e promoção da mobilidade elétrica”, lamentou, tendo feito notar que a situação “não é exclusiva na região do Médio Tejo”.

Miguel Pombeiro, Secretário Executivo da CIM do Médio Tejo. Foto: mediotejo.net

A alternativa, neste momento, são os carregadores elétricos que cada um possa ter para carregar a sua viatura elétrica, privados, portanto, prejudicando quem se queira deslocar de outras localidades, tendo em conta a autonomia do próprio veículo, efetuando carregamentos em pontos públicos de abastecimento. Não há informação sobre a entrada em funcionamento dos postos públicos de carregamento elétrico nos 13 municípios da região.

Com uma população na ordem dos 250 mil habitantes, a CIMT é composta pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome