Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Julho 31, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Médio Tejo: ACES assinala Dia Mundial da Alimentação com atenção ao clima

“O clima está a mudar. A alimentação e a agricultura também” foi o mote este ano definido pela ONU como tema alusivo à comemoração do Dia Mundial da Alimentação. No âmbito do Plano Local de Saúde/Comportamentos Favorecedores de Saúde, este dia foi assinalado e celebrado em todas as unidades do ACES Médio Tejo das mais variadas formas.

- Publicidade -

Por iniciativa da Unidade de Saúde Pública, os recibos de pagamento de taxas moderadoras incluíram nos dias próximos à data comemorativa mensagem alusivas a uma alimentação saudável, mais concretamente aos benefícios de comer leguminosas, sendo 2016 o Ano Internacional das Leguminosas.

A Equipa da USF Almonda festejou o Dia Mundial da Alimentação convidando todos os profissionais do ACES Médio Tejo a participar no Workshop “Aprender a escolher para bem viver!”. O evento realizou-se no Auditório do Hospital de Torres Novas, teve como palestrante Andreia Revez (Licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar e Mestranda em Nutrição Clínica) e contou com cerca de uma centena de participantes abarcando várias categorias profissionais do ACES Médio Tejo.

- Publicidade -

aces1
A iniciativa contou com cerca de uma centena de participantes abarcando várias categorias profissionais do ACES Médio Tejo. Foto: DR

Entre ensinamentos sobre a base de uma alimentação saudável e a sua importância no bem estar bio-psico-social da população, houve oportunidade para uma partilha de conhecimentos e experiências entre os profissionais de saúde e a palestrante, esclarecimento de dúvidas e pequenas dicas para a escolha dos alimentos e truques a utilizar na sua confeção.

Para consolidar os conhecimentos seguiu-se uma pequena sessão de questões com resposta por televoto. No final do Workshop seguiu-se a apresentação do Livro de Receitas da USF Almonda, editado pelo Município de Torres Novas. Uma compilação de receitas saudáveis sugeridas pelos membros da equipa, confecionadas com produtos regionais e revistas por Andreia Revez.

Ao nível da Saúde Escolar desenvolveram-se algumas atividades que abrangeram todos os alunos do Ensino Pré-Escolar e 1º ciclo, da área geográfica do ACES Médio Tejo. Foram desenvolvidas diversas fichas de trabalho dirigidas a cada um dos anos. Uma das fichas foi dirigida aos Encarregados de Educação das crianças do pré-escolar, tendo sido colorida pelas crianças na escola e no dia 14/10 enviada para casa, contendo duas receitas culinárias. Foram ainda recolhidas receitas elaboradas pelos alunos/famílias das crianças do 4º ano de escolaridade, para posteriormente serem editadas num livro, atividade que foi acompanhada do respetivo “Regulamento para o Livro de Receitas”, de modo a serem atingidos os objetivos propostos.

A equipa da USF Nove Torres desenvolveu uma sessão de Educação para a Saúde relacionada com a alimentação. Devido à preocupação e dificuldades demonstradas pelos pais e com o objetivo de incentivar o aparecimento de alternativas alimentares mais saudáveis, simples e exequíveis, a equipa selecionou como grupo alvo os pais/encarregados de educação das crianças em idade escolar do 1º ciclo de escolaridade.

A sessão de Educação para a Saúde teve como tema: Preparação de Lanches Saudáveis para crianças em idade escolar. A mesma teve como finalidade capacitar os pais/encarregados de educação para escolhas mais saudáveis aquando da preparação dos lanches para os filhos levarem para a escola, bem como, reforçar a importância da interpretação dos rótulos dos produtos selecionados e prevenção de doenças relacionadas com a má alimentação, das quais a mais conhecida e difundida – a obesidade.

A equipa também elaborou um cartaz de sensibilização para a importância da alimentação saudável no dia-a-dia, com as 10 boas práticas para proteger o meio ambiente através da alimentação, o qual está exposto na unidade.

 

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome