Mação | Rotas começam a ganhar forma no território das “montanhas azuladas”

Foto: mediotejo.net

“Mundo esmagador e deslumbrante é o das montanhas azuladas…”, escreveu Maria Amélia Horta Pereira sobre o património de Mação. E foi este o mote que abriu a apresentação do projeto «Rotas de Mação» durante a cerimónia oficial de assinatura de protocolos entre a Comissão Instaladora, o município, as juntas de freguesia e associações do concelho. Está dado o primeiro passo que vai converter a “maior fraqueza” daquele território na “melhor oportunidade”: unificando e fortalecendo os laços entre todas as freguesias e as gentes maçanicas, deixando para trás a terra queimada e olhando em frente para um horizonte que começa a pintar-se de verde esperança.

PUB

O projeto começou por unir voluntários, depois de Leonel Mourato, o porta-voz do grupo, ter mergulhado na vontade de fazer mais e melhor pelo território de Mação. Não foi difícil unir 40 pessoas com um objetivo comum: amor à sua terra.

Talvez por isso tenha sido mais fácil preparar quatro percursos para homologação em quatro meses, trilhando o caminho e desbravando incertezas, sempre de gps na mão, calcorreando montes e vales, consultando especialistas na matéria, nomeadamente na área da História local, da Geologia, da Arqueologia, entre outros, mostrando que Mação tem valor e que muito há por descobrir e fruir na natureza, na vida local, nos usos e costumes.

PUB

Em novembro foi iniciado um périplo “inédito”, com 35 membros fundadores que assinaram o protocolo que visa garantir as várias áreas de compromisso da rede de membros nomeadamente no que toca à vigilância, apoio, promoção e colaboração nesta que, brevemente, será também uma imagem de marca do concelho de Mação, visto que se está a trabalhar já no seu registo.

Leonel Mourato, porta-voz do projeto, contextualizou o plano de atividades e missões futuras, numa sessão aberta ao público que contou com dezenas de participantes. Foto: mediotejo.net

Este protocolo é então firmado entre a Comissão Instaladora das “Rotas de Mação” e várias entidades e instituições do concelho, entre as quais a Câmara Municipal de Mação, as Juntas de Freguesia de Amêndoa, de Cardigos, de Carvoeiro, de Envendos, de Ortiga e a União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira. Também o Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, os Bombeiros Voluntários de Mação e a Guarda Nacional Republicana se farão representar nesta rede, sendo que foram também convidadas a ser parte ativa no projeto as associações e coletividades do concelho.

PUB

O compromisso ganha forma e força com o facto de quatro dos 16 percursos previstos estarem prontos a seguir para homologação pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal. Além do PR01, que já existem em Mação, será a vez de cada uma das freguesias ter, no mínimo, um percurso que a una aos percursos das freguesias vizinhas, garantindo um dos pilares deste projeto que é o espírito coletivo e de pertença interligado pelas Rotas.

Seguiram para homologação o PR02-MAC: Rota do Brejo e do Bando dos Santos, o PR03-MAC: Rota do Carvoeiro, o PR04-MAC: Rota da Ortiga Sul e o PR05-MAC: Rota da Queixoperra.

Mas para 2020 já se está a trabalhar na homologação da Rota da Amêndoa, Rota do Penhascoso, Rota Casas da Ribeira/Caratão e Rota dos Envendos. No segundo semestre, o projeto prevê trabalhar em mais quatro percursos, sendo a vez da Rota da Aboboreira, Rota das Matas, Rota da Ortiga Norte e Rota de Cardigos Norte.

Por fim, projetados para 2021, surgem os percursos da Rota do Bando do Codes, Rota de Cardigos Sul e Rota da Ladeira.

Os 16 percursos pedestres previstos pelo projeto. Fonte: Rotas de Mação

Estes percursos pedestres têm a benesse de estarem a ser pensados com variantes e a maioria ser também ciclável, tendo normas de segurança e planos de evacuação pensados, e sendo feito levantamento das características endógenas do concelho, do seu Património Imaterial, Material e Natural que serão elementos-chave para a aposta forte na divulgação e promoção através de um portal informático já em desenvolvimento e para a presença nas redes sociais, que pretende chegar ao maior número de utilizadores de norte a sul do país e além fronteiras.

Com vista a potenciar a economia local, alavancar a atração e fixação de população e contribuir para a coesão territorial e progressiva melhoria da qualidade de vida, o projeto tem pensadas outras vertentes a desenvolver em fases futuras, nomeadamente a criação de passaportes das “Rotas de Mação”, o voluntariado, a designação de “Estabelecimento Recomendado” e de “Membro Fundador”.

Um projeto que tem tudo para tornar “Impossível esquecer Mação”. Que o diga Leonel Mourato, para quem o objetivo final é alcançar um Geoparque em Mação, talvez em 2025.

O território das “montanhas azuis” que “mais que um destino” é uma origem

A fechar a cerimónia de assinatura de protocolos que oficializaram as sinergias e parcerias entre as várias entidades e a Comissão Instaladora das Rotas de Mação, tempo para perceber qual o significado deste momento para os dinamizadores.

Leonel Mourato não cabia em si de contente pelo rumo do projeto, iniciado em julho de 2018 e que veio até maio de 2019, onde efetivamente nasceu. “Em quatro meses temos quatro rotas prontas”, disse, relevando que há muito trabalho feito por um grupo de 40 pessoas, por quem dá a cara e voz.

“Nós vamos fazer da nossa maior fraqueza, a nossa maior oportunidade. Vamos pegar num concelho ardido e dizer que temos aqui pessoas que querem fazer o concelho nascer”, afirmou.

O foco está no futuro, apontado o ano 2025 como baliza para o remate final de um projeto de sucesso que tem tudo para culminar num projeto-maior: o Geoparque de Mação.

Leonel acredita que o concelho “tem tudo para candidatar-se a Geoparque” sendo que falta apenas a vertente do conhecimento, através do Instituto Terra e Memória. “Isto nunca foi feito no Médio Tejo, não há nenhum concelho que tenha feito isto (…) temos um sonho e enquanto não nos derem com a parede na porta, vamos andando”, desabafou.

“Temos vontade, temos pessoas, temos um regulamento… E temos tudo isso e muito mais. Agora é pegar no chapéu, na mochila, no gps, e seguir o caminho (…) O único ponto que sabemos é o ponto A, de onde partimos, o resto é desconhecido”, indagou.

Nos discursos finais, após assinatura dos protocolos para homologação dos primeiros quatro percursos pedestres, Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, lembrou o início de tudo isto, com a intervenção de Leonel Mourato numa sessão de Assembleia Municipal, onde lançou alguns desafios e deixou algumas reflexões junto dos eleitos. Também o evento de geocaching, modalidade na qual Leonel é jogador, promovido em Ortiga, serviu de mote para colocar os olhos no futuro e pôr mãos à obra.

O autarca sublinhou ter sido sempre seu apanágio que “só com união conseguiríamos inverter algumas tendências extremamente negativas que o concelho estava e está a viver” e “sempre disse que precisávamos do contributo de todos para tentar inverter estas situações”.

Foto: mediotejo.net

Vasco Estrela disse que a Câmara nunca será “fator de bloqueio” que impeça o projeto de avançar, afirmando que “haverá toda a abertura para levar o projeto por diante”.

Mencionou ainda que, independentemente do protocolo assinado, a Câmara Municipal continuará a prestar apoio, tendo dito que a marca já está em processo de registo, foram assumidos compromissos para a criação do website. “Estamos a falar de investimentos que vão ser pedidos à Câmara Municipal de algumas dezenas de milhares de euros”, disse, prestando contas à população quanto aos encargos.

“Vamos continuar a apoiar, a investir e, de certeza absoluta, tudo fazer para que as coisas corram bem”, frisou, adiantando que a autarquia “não se irá apropriar” do projeto que é “de todo o concelho de Mação”, onde cada um “tem as suas competências e as suas responsabilidades” e onde será imperativo o respeito pela autonomia de cada um para que seja um projeto “ganhador e de sucesso”.

Por fim, terminou o autarca deixando “um enorme agradecimento” a Leonel Mourato e a todas as pessoas que integram a equipa das Rotas de Mação, às freguesias, às entidades, instituições e associações concelhias, vendo como um “bom sinal de vitalidade” a sua participação voluntariosa nesta matéria.

“A história far-se-á um dia, 2018 foi há um ano e meio, já fizemos alguma história. O que foi feito até ao dia 11 de outubro de 2019, por esta hora, já está feito e já está escrito. Daqui para a frente, será feito e escrito da forma que nós quisermos”, concluiu.

Por sua vez, José Fernando Martins, presidente da União de Freguesias de Mação, Penhascoso e Aboboreira, mostrou-se agradado com o projeto Rotas de Mação, que entende que irá dar “muito dinamismo ao concelho” e que os dois percursos do território que dirige “são uma enorme satisfação”, em especial aquele que inclui os Trilhos do Brejo, que têm vindo a ser dinamizados pela freguesia e pela associações locais, levando ali anualmente muitos visitantes. ”

Para o presidente da União de Freguesias o objetivo passa por “bem receber para que as pessoas possam sair do concelho satisfeitas”, e tal é possível por um conjunto de “ingredientes”, entre eles “um potencial humano espetacular para receber e para bem servir, temos as melhores paisagens, os melhores monumentos e locais com interesse para poder oferecer a quem venha visitar”, que se junta “ao esforço, dedicação e boa vontade” e faz com que estejam “reunidas todas as condições para que este projeto integrado do concelho seja um sucesso”, concluiu José Fernando Martins.

Já Nuno Bragança, presidente da Junta de freguesia de Carvoeiro, também presente na cerimónia, começou por congratular a forma como todo o processo se desencadeou, e deu os parabéns à Comissão Instaladora pela “forma como têm agarrado este projeto, como têm trabalhado”. O presidente de junta agradeceu ainda às associações da freguesia que aderiram ao projeto, assinando o protocolo de cooperação.

Foto: mediotejo.net

Seguiu-se Rui Dias, presidente da Junta de freguesia de Ortiga, terra natal de Leonel Mourato. O presidente de Junta começou por relembrar o início de toda a aventura, em que Leonel se propôs a cumprir com o desafio lançado pelo município, em 2018.

“Foi-te lançado um desafio pelo Dr. Vasco Estrela, que em boa hora aceitaste e começaste logo a trabalhar. Calçaste os ténis, chamaste alguns amigos dispostos a ajudar e puseste-te a caminho. E hoje, passado um ano e alguns meses, já estamos a assinar um protocolo para certificar algumas rotas. É de louvar este trabalho”, referiu o presidente de Junta de Ortiga.

Rui Dias disse ainda reconhecer o esforço pela “causa que é de todos os maçaenses”, acreditando que há “um longo caminho a percorrer no sentido de reformar a visibilidade e a credibilidade deste ambicioso projeto, afirmando o nosso valor conjunto, sendo certo que está ancorado no património”.

Visivelmente feliz e com alguma emoção, Rui Dias terminou o seu discurso. “Temos de continuar a trabalhar no sentido de acrescentar valor e continuar a ajudar a nossa Câmara Municipal a inverter a desertificação do interior, em que nos estamos a afundar (…) não vai ser fácil, mas a união que impuseste e os valores que traçaste tudo tem para triunfarmos e o concelho de Mação merece”, terminou.

No dia seguinte, o projeto “Rotas de Mação” foi também apresentado no Encontro de Maçaenses, uma iniciativa da Câmara Municipal de Mação, que teve lugar no dia 12 de outubro, no Fórum Lisboa, e que juntou centenas de filhos da terra na capital para discutir sobre o futuro do concelho, debater ideias e sugestões sobre a valorização e gestão do território.

Fotogaleria: alguns dos momentos da cerimónia de assinatura de protocolos

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

2 COMENTÁRIOS

  1. Joana,

    Obrigado pelo teu empenho e profissionalismo sobre Mação, os seus territórios e os seus povos.
    Sorte quem te tem como jornalista.
    Estiveste no momento zero das ROTA DE MAÇÃO.

    Sabes o que é o Projecto e aquilo que somos.
    Temos-te como uma de Nós.

    Tens percorrido os nossos caminhos
    Continuarás a percorrer ao nosso lado.

    Temos pela frente, um projecto fascinante. Tu sabes disso.
    Iremos continuar a caminhar, sorrindo e sendo felizes.

    #rotasdemacaooutdoor

  2. És mesmo engraxador.
    Um projecto de amigo para amigo.
    De dinheiros públicos para carteiras privadas.
    Que loucura, mas o dinheiro gasto não é vosso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here