- Publicidade -

Mação | Projetos para unidades de cultivo de canábis no concelho “estão de pé”

O processo para instalação das três unidades do setor do cultivo de canábis para fins medicinais/terapêuticos no concelho de Mação está a avançar, com o presidente da Câmara de Mação a assumir que os projetos de instalação das empresas “estão de pé” e a decorrer passo a passo até à aprovação para execução efetiva. Para já, as empresas estão a debater os projetos com os serviços da autarquia, submetendo documentação. O projeto previsto para o Alto da Caldeirinha já deu entrada na totalidade, enquanto os restantes aguardam ainda apreciação para posterior aprovação em sede de executivo camarário.

- Publicidade -

Recorde-se que as empresas em causa já tinham recebido pré-licença por parte do Infarmed. Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, deu conta do processo no final de maio de 2020, referindo que se trata de investimentos de muitos milhões de euros, geradores de postos de trabalho e que vêm dinamizar a economia da região.

“As coisas não evoluíram tão rápido quanto era expectável, e a situação que todos vivemos e sabemos não está a favorecer muito a evolução”, começa por comentar.

- Publicidade -

Ainda assim, dá conta de que um projeto já deu entrada “na sua totalidade”, referindo-se ao que será instalado no Alto da Caldeirinha, perto da aldeia de Casas da Ribeira. “Está em análise e necessita de um parecer para merecer a sua aprovação final. Não vemos grandes problemas nesta circunstância em concreto”, admite o autarca.

Quanto às outras duas empresas, quer para a zona industrial da Ortiga, quer para o empreendimento junto à EN 3-12, entre Casal da Barba Pouca e Rosmaninhal, já houve discussões e apresentação de pré-projetos, prevendo-se entrega dos respetivos projetos para avaliação da Câmara e respetiva aprovação.

Na empresa que se instalará na zona industrial de Ortiga, também o ante-projeto foi apresentado à Câmara, tendo sido apreciado e validado. Agora será feito o projeto de execução para que depois, em sede de reunião de Câmara, o executivo se possa pronunciar.

A 10 de fevereiro foi publicado em Diário da República o reconhecimento de “empreendimento com relevante interesse geral o projeto de investimento referente à instalação de uma unidade de cultivo e extração de canábis para fins medicinais na União das Freguesias de Mação, Penhascos e Aboboreira, concelho de Mação, em área percorrida pelo incêndio florestal ocorrido em 2017”, referente à unidade que ficará instalada junto à EN3-12, e que segundo Vasco Estrela se tratou de um procedimento administrativo “importante” por ter sido a área em causa atingida pelos fogos florestais.

“As coisas estão a caminhar, sem a rapidez que todos nós gostaríamos, mas penso que se mantém tudo conforme previsto. Acho que todos estes projetos serão concretizados, é esta a expetativa que tenho neste momento”, assume o autarca. “Os três projetos estão de pé”, remata.

Recorde-se que estes três projetos receberam no ano passado a pré-licença do Infarmed, num processo que a autarquia considera que se desenrolou de forma relativamente célere tendo em conta a atual conjuntura de pandemia.

Em causa estão investimentos que poderão rondar os 25 milhões de euros, algo inédito nas últimas décadas e que poderá espoletar uma nova dinâmica da economia local, elevando o desenvolvimento socioeconómico, não só do concelho como de toda a região, a outro patamar.

Notícia relacionada:

Mação | Três empresas de cultivo de canábis com pré-licença do Infarmed

 

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).