- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Mação | Presidente da Junta preocupado com conclusão da piscina de Envendos (C/vídeo e fotos)

O presidente da Junta de Envendos está preocupado com o impasse relativamente à conclusão da piscina pública descoberta na sede de Freguesia. A obra já ultrapassou o preço de 130 mil euros estabelecido no protocolo, sendo que, apesar da inauguração do espaço em outubro de 2017, encontra-se por concluir. Toda a zona envolvente da piscina está em modo estaleiro como o mediotejo.net pode comprovar no terreno. João Luís Pereira acrescenta que o edifício de apoio não tem sequer eletricidade. Em declarações ao mediotejo.net, Vasco Estrela reiterou o que já havia garantido no passado dia 8 em sede de Assembleia Municipal: A Câmara Municipal de Mação (CMM) irá assumir o montante necessário para a conclusão da obra na mesma proporção que assumiu anteriormente, mas recusa pagar a totalidade do custo dos acabamentos. Por seu lado, João Luís apela à generosidade da Câmara argumentando com dificuldades financeiras. Lembra que para a atual Junta transitou de saldo mil duzentos e oito euros.

- Publicidade -

O presidente da Junta de Freguesia de Envendos, João Luís Pereira (PS), sabe que os seus fregueses esperam mergulhar na piscina (por estrear) no próximo verão, mas sem a obra acabada esse desejo pode muito bem transformar-se numa miragem.

A conclusão dos trabalhos de construção da zona de lazer de Envendos, com um edifício de apoio e uma piscina já concluída, tira o sono ao presidente da Junta de Freguesia, que em outubro passado venceu as eleições autárquicas destronando o anterior presidente, Joaquim Silva (PSD), o ex-autarca que assinou o protocolo realizado entre a CMM e a Freguesia de Envendos.

- Publicidade -

João Luís recusa assumir aquela obra como sua e portanto, o seu custo, ou seja o que vai para além dos 40 mil euros acordados no protocolo de uma obra com um preço de 130 mil euros já ultrapassados, como é reconhecido quer pela Junta de Freguesia quer pela CMM. O presidente do Município, Vasco Estrela (PSD), em declarações ao mediotejo.net garantiu assumir o montante necessário para a conclusão da obra na mesma proporção que assumiu anteriormente. Certo é que o valor da comparticipação está ainda por apurar, descrita que será num orçamento já pedido para a realização dos trabalhos em falta.

“Quando assumimos um cargo, assumimos todas as componentes desse cargo, não podemos excluir aquilo que não queremos assumir”, refere o presidente do Município. Sublinhando as condições impostas pela CM reconhece que foi investido naquela obra “muito dinheiro público” e espera que João Luís Pereira “tenha consciência dos compromissos que foram assumidos pela Junta de Freguesia de Envendos, que agora representa, com a CMM e com a população” de Envendos. “Não pode por uma pedra sobre o passado e partir de um ponto zero como se não tivesse nada a ver com este assunto”.

- Publicidade -

Para Vasco Estrela a primeira fase da obra está terminada. “A piscina está concluída, foi inaugurada, tem os balneários e todas as infraestruturas de apoio”, explicou ao mediotejo.net aquando da Assembleia Municipal de Mação, reconhecendo que “os arranjos exteriores” na zona de lazer dos Envendos “estão por terminar”. Não obstante, o autarca considera que a piscina pode ter um licenciamento e funcionar, “tanto assim é que foi inaugurada em outubro”, disse.

Por seu lado, João Luís não acredita na concessão a uma piscina inacabada e lembra que a Junta já investiu nesta obra 44 108,69 euros e “o facto de existirem compromissos mensais que a Junta tem de continuar a assegurar, não dispõe de capacidade financeira” que permita contribuir para a conclusão dos trabalhos, contudo a Junta “está disposta a colaborar”, vinca.

Relembrando que aquela zona de lazer é uma obra da responsabilidade da Junta de Freguesia de Envendos e “se o seu presidente considera não haver condições para abrir ao público sem estar concluída” a envolvente, o presidente da CMM afirma que João Luís Pereira, conhecedor da posição da autarquia, “tem de encontrar formas de resolver o problema. Tem obrigação de criar condições para que a mesma seja terminada”, defende.

Vasco Estrela alega que a incapacidade financeira da Junta de Envendos deve-se a opções políticas legítimas de direcionar o dinheiro para outros locais. “O presidente da Junta de Freguesia já gastou dinheiro neste mandato, em obras e eventos culturais. Se tivesse aplicado esse dinheiro na piscina com a correspondente comparticipação da CMM provavelmente já tinha tido condições para terminar” a obra.

Ainda assim João Luís insiste “na resolução do assunto” solicitando “o empenho total e inigualável da CMM na conclusão total da obra” discordando da existência de uma primeira e de uma segunda fase dos trabalhos. Pede ainda “à posteriori o apoio na manutenção e restantes operações de funcionamento” e que “à semelhança da praia fluvial de Cardigos, Carvoeiro, Ortiga e Mação” a CMM seja “gestor” da piscina de Envendos. Embora o protocolo, a que o mediotejo.net teve acesso, refira na sua cláusula nona que ambas as outorgantes terão “responsabilidades na gestão” daquele espaço.

Em resposta, Vasco Estrela insiste: “Então vamos acabar!” a obra, com a Junta de Freguesia de Envendos “a dar proporcionalmente o mesmo valor que deu anteriormente”.

Questionado sobre o porquê de ser inaugurada uma obra ainda por concluir, Vasco Estrela disse tratar-se de uma decisão da Junta de Freguesia de Envendos. “Porque o dono da obra resolveu fazer a inauguração e convidar a Câmara para estar presente”.

Por seu lado, João Luís Pereira, considerando Vasco Estrela “um excelente presidente” de Câmara em quem “acredita”, avançou que esse “empenho e dedicação” tem como objetivo a valorização do Município “pela sua aposta” e pretende que “daqui a dois meses, possamos todos dizer finalmente ‘linda menina dos olhos azuis’ e fazer-te o baptismo, uma festa e inauguração de arromba” para a qual convidou todos os eleitos da Assembleia Municipal dizendo: “a Freguesia somos todos nós”.

O presidente da Junta de Envendos, em declarações ao mediotejo.net, defende tratar-se de “uma boa aposta, uma boa opção. É pena estar nesta situação”. No entanto, garante que a Junta irá “encetar todos os esforços, energias e financeiros, para que a situação seja ultrapassada”. Sugere que seja esquecido o que “está para trás, sentar à mesa das negociações e tomar atitudes responsáveis para enaltecer o Município, a Freguesia e sobretudo os fregueses” que esperam pela conclusão daquela zona de lazer.

O edifício de apoio e a piscina inaugurada no mês das eleições autárquicas motivou acesa discussão política em Assembleia Municipal, sendo que os eleitos socialistas não se mostraram convencidos pela oportunidade da obra, alegando-se aproveitamento político em “timing eleitoral”. O apoio a Câmara Municipal foi aprovado por maioria, com 9 votos contra da bancada socialista.

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome