Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Mação: Praia fluvial de Carvoeiro é sinónimo de sucesso e Bandeira Azul (C/VIDEO)

Galardoada pelo décimo ano consecutivo com a Bandeira Azul, a praia fluvial de Carvoeiro, em Mação, hasteou hoje o símbolo máximo de excelência que se pode atribuir a uma praia fluvial [Bandeira Azul] e é um caso raro num país onde a falta de qualidade da água afasta daquele prémio a maioria das zonas balneares interiores.

- Publicidade -

“A água é excelente, a praia é muito bonita e muito bem arranjada, tem uma envolvência verde muito agradável e é uma praia que merece este galardão de excelência” destacou hoje ao mediotejo.net Margarida Nunes, da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), na cerimónia do hastear da Bandeira Azul 2016, em Carvoeiro, Mação.

“Esta praia fluvial passou todos os critérios com distinção, logo no primeiro ano, e tem vindo a melhorar de ano para ano porque a autarquia de Mação vai melhorando e investindo neste equipamento. Todos os anos vemos que há aqui uma coisa nova”, destacou aquela responsável sobre a praia de Carvoeiro, a cerca de 20 quilómetros de Mação.

- Publicidade -

Margarida Nunes lembrou ainda os “critérios muito apertados” para que uma zona balnear possa ostentar o galardão Bandeira Azul, desde a qualidade da água, às questões dos acessos, segurança, separação de lixos, wc, entre muitos outros, tendo sublinhado “não ser fácil chegar ao topo” e manter o nível de excelência.

MAÇÃO2A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade ambiental atribuído anualmente às praias e portos de recreio e marinas que se candidatam e que cumpram um conjunto de critérios, sendo que estes Critérios do Programa Bandeira Azul estão divididos em 4 grupos: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da Água; Gestão Ambiental e Equipamentos e Segurança e Serviços.

“A envolvente natural, as acessibilidades e a inexistência de habitações a montante da nascente, contribui para a excelência da qualidade da água” da praia de Carvoeiro, afirmou, por sua vez, o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela (PSD).

“Dez anos consecutivos de Bandeira Azul dá muito trabalho a concretizar e tenho de destacar, em primeiro lugar, todos aqueles que contribuíram para este feito, desde a 1ª pessoa que teve a ideia, aos autarcas, e até ao simples funcionário do município e que tem a responsabilidade de tratar da limpeza ou da eletricidade. E o povo de Carvoeiro, claro está, porque esta riqueza está nesta freguesia e neste concelho”, relevou, a propósito de um equipamento que demorou quase 20 anos a concretizar-se para fazer daquele lugar um espaço agradável e aprazível.

Situada a 25 minutos da sede do concelho, a praia fluvial de Carvoeiro “oferece condições fantásticas de natureza e permite usufruir de sossego, em ambiente intimista e familiar”, afirmou Vasco Estrela, tendo lembrado que todos os anos a autarquia efetua ali um grande investimento para manter o nível de excelência e cumprir os cerca de 30 critérios exigidos.

Com oferta de segurança, serviço de vigilância e qualidade das suas águas, a praia fluvial de Carvoeiro dispõe ainda da Bandeira de Qualidade de Ouro, atribuída pela Quercus, Bandeira Praia Acessível e de equipamentos como balneários, cadeira anfíbia para pessoas com mobilidade reduzida, bar, parque de merendas, churrasqueiras, toldos de palha, espreguiçadeiras e zona de banhos para adultos e para crianças, para além de posto de Primeiros Socorros e amplo parque de estacionamento.

“É uma aposta na qualidade de vida, mas também no aumento da capacidade económica, uma vez que temos conseguido captar cada vez mais pessoas e gerar mais receitas para o Carvoeiro, para Mação e para a região”, afirmou Vasco Estrela, tendo lembrado que Mação tem ainda as praias fluviais de Ortiga e de Cardigos e muitos recantos paradisíacos e de natureza” por onde escolher.

“É um ótimo concelho para quem queira vir à descoberta”, rematou.

As praias fluviais de Carvoeiro (Mação), Bostelim (Vila de Rei) e Aldeia do Mato (Abrantes) foram as únicas três praias fluviais na região do Médio Tejo galardoadas com a Bandeira Azul 2016, uma distinção que é um símbolo de qualidade ambiental atribuído anualmente às praias.

A cerimónia do hastear da Bandeira Azul em Aldeia do Mato (Abrantes) vai decorrer no dia 5 de julho, às 14:30, e em Bostelim (Vila de Rei) no dia 8 de julho, às 11:30.

Praias fluviais com Bandeira Azul passaram em 10 anos de três a 22

As praias fluviais em Portugal com bandeira azul passaram, entre 2006 e 2016, de três a 22, com o investimento autárquico em infraestruturas e no tratamento de águas a garantir um aumento substancial das praias distinguidas.

A bandeira azul é atribuída desde 1987, mas só em 1998 uma praia fluvial recebeu a bandeira azul: a Praia do Arnado, em Ponte de Lima.

Os maiores aumentos registados aconteceram de 2011 para 2012, em que duplicaram de sete para 14 distinções, e de 2015 para 2016, em que passaram de 16 a 22 praias galardoadas.

Segundo a coordenadora nacional do programa, Catarina Gonçalves, as praias do interior tinham no passado “dificuldade em ter qualidade de água excelente”.

Tal mudou, quando surgiu investimento “nos tratamentos de águas e nas limpezas dos rios e ribeiros”, explanou, considerando que, com o aumento da qualidade da água, surgiu também “mais investimento dos municípios relativamente às estruturas das praias”, de forma a darem resposta “à pressão populacional” sentida no verão.

No entanto, as praias da região Norte e Algarve têm “uma maior dificuldade em manter a classificação”, face a uma “maior pressão da poluição à volta”, assim como as praias que se servem de cursos de água que nascem em Espanha (Tejo e Guadiana, nomeadamente), disse à agência Lusa Catarina Gonçalves.

Hoje, são 22 as praias distinguidas, com a maioria a localizar-se na região Centro, com 17 praias fluviais galardoadas com a bandeira azul – atribuição conquistada, na maioria dos casos, desde 2014 até ao presente ano.

O foco no Centro, sublinha Catarina Gonçalves, deve-se a um investimento “muito grande” em estações de tratamentos de água, ajudando à equação o facto de os rios destas praias nascerem em Portugal, facilitando o seu controlo.

Para além disso, há também “um efeito dominó”, constata. “A partir do momento em que uma praia tenha uma bandeira azul, os municípios vizinhos” começam também a investir e a dotar as suas praias de melhores condições, com o galardão no horizonte.

É na região mais distinguida pela classificação da ABAE que se vai realizar a cerimónia do 1.º hastear da bandeira azul 2016 em praia fluvial, na sexta-feira.

A iniciativa, que começa às 11:00, decorre na praia Peneda-Pego Escuro, em Góis, contando com a presença da presidente da Câmara Municipal, Lurdes Castanheira, e do presidente da ABAE, José Archer.

C/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome