Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Julho 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Mação: Ninho de empresas avança e requalificação do antigo Quartel aguarda

A Assembleia Municipal de Mação aprovou a alteração a um contrato de empréstimo que a autarquia vai contrair no valor total de cerca de 1 milhão e 600 mil euros para executar obras no concelho, onde estão incluídos 565 mil euros para a criação de uma incubadora de empresas na zona industrial.

- Publicidade -

“Tínhamos previsto reabilitar o antigo Quartel dos Bombeiros e ter ali um projeto relacionado com um centro de atividades ocupacionais para jovens deficientes, mas como esse projeto está em stand-by e entretanto adquirimos uns pavilhões devolutos na zona industrial para criarmos um ninho de empresas e um centro de negócios, a verba que estava prevista para o Quartel dos Bombeiros passa agora para este novo espaço, que pensamos que vai ser muito útil para o concelho”, explicou ao mediotejo.net Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação.

Durante a última sessão da Assembleia Municipal de Mação, onde esteve em discussão e aprovação a alteração da adenda do contrato de empréstimo celebrado entre a autarquia e a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Zona do Pinhal, Cardoso Lopes, eleito do PS, questionou a autarquia se “já há um regulamento e lista de interessados neste projeto do ninho de empresas que tem um investimento avultado”.

- Publicidade -

Na ocasião, Vasco Estrela esclareceu que “não há ainda nenhum regulamento definido, apesar de termos ideia de como as coisas devem funcionar, aquilo que é previsível que venha a acontecer” explicando ainda que está prevista “a existência de 33 espaços para empresas porque será feito de forma maleável, de maior ou menor dimensão, de acordo com as necessidades das empresas que para lá forem”.

Sobre a procura que a incubadora de empresas poderá ter por parte de pequenos empresários, Vasco Estrela referiu que “este espaço ainda não foi suficientemente divulgado porque, em bom rigor, ele ainda não existe, mas com as pessoas que temos falado temos, até ao momento, seguramente, temos cinco ou seis interessados para este espaço”.

Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, durante a última sessão da Assembleia Municipal (Foto: mediotejo.net)
Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, durante a última sessão da Assembleia Municipal (Foto: mediotejo.net)

“Achamos que é importante que a Câmara possa ter estes espaços, temos tido alguma procura para alguns terrenos na zona industrial, achamos que para as pequenas empresas será preferível ir para um espaço destes a partilhar uma renda simbólica do que estar a fazer um investimento num pavilhão que pode custar 5 mil euros e pode dificultar a sua afirmação. Este não é um espaço para grandes empresas mas poderá ser uma boa ajuda para empresários em início de atividade para que as coisas possam acontecer”, acrescentou o presidente da autarquia de Mação.

“Temos de definir a forma como vamos operacionalizar este espaço, se é por cinco anos, por 10 ou para toda a vida, se poderemos vender, quanto se pagará pelos serviços, são todas essas questões que teremos de definir, primeiro na Câmara e depois na Assembleia Municipal para que as coisas fiquem claras e transparentes”, concluiu o autarca sobre este espaço com uma área de quase 4 mil metros quadrados.

“A nossa intenção e desejo é que obviamente aquilo possa ser utilizada pelos empresas mas se virmos que aquele espaço possa ter outra utilização, o espaço será aproveitado”, clarificou Vasco Estrela.

A autarquia já gastou cerca de 230 mil euros com a aquisição dos pavilhões industriais devolutos e estima gastar cerca de 600 mil euros para adaptar o espaço a uma incubadora de empresas.

“O preço de mercado em que a Câmara comprou aqueles edifícios parece-me aceitável e pensamos que foi um bom negócio para a autarquia a recuperação daquele património e que será um bom investimento para o concelho”, salientou Vasco Estrela.

“Não temos estudos de viabilidade, mas temos a perceção de que será uma mais-valia e uma alavanca para o nosso débil empreendedorismo”, referiu Vasco Estrela respondendo a Cardoso Lopes (PS).

Sobre a criação do Centro de Atividades Ocupacionais no antigo Quartel dos Bombeiros, Vasco Estrela referiu ao mediotejo.net que “é essa a nossa ideia mas a decisão final ainda não está tomada, havia e houve conversas com o CRIA, há várias situações que têm de ser bem vistas e uma essencial tem a ver com a política do próprio governo para esta área e eventuais acordos que possam vir a existir com a instituição que vai explorar aquele espaço”.

“É algo que tem de ser muito bem ponderado até porque estamos a falar do antigo Quartel dos Bombeiros e Mação que é um edifício emblemático do concelho e, principalmente, da Vila e cujo destino final terá de ser muito bem discutido e consensualizado, nunca será seguramente uma decisão do presidente Vasco Estrela porque acha que sim ou que não, terá de ser algo muito bem ponderado para que todos nos sentamos confortáveis com isso”, concluiu o presidente da autarquia de Mação.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here