Mação | Município distinguiu os melhores alunos no Centro Cultural

Cerimónia de 2017, com os alunos distinguidos. Foto: mediotejo.net

Decorreu na tarde de quarta-feira, dia 27, a entrega das bolsas de estudo, prémios de mérito e Prémio Gonçalo Matos aos melhores alunos do concelho, desde o ensino básico até ao ensino superior. Este ano foram atribuídas 3 novas bolsas e efetuadas 15 renovações para frequentadores do Ensino Superior.

PUB

A Câmara Municipal de Mação atribui anualmente, desde 2004, bolsas de estudo a jovens do concelho de Mação que frequentem o Ensino Superior. As bolsas são atribuídas a alunos que ingressam no ensino superior público e a posterior renovação das bolsas dos alunos sucede até que concluam os seus cursos sem reprovações.

Este ano, o município atribuiu 3 novas bolsas e 15 renovações de bolsa pois, após deliberação em reunião de Câmara, foi determinado pelo executivo atribuir 18 Bolsas anualmente sendo o número de novas Bolsas determinado pelo número de renovações. O valor de cada bolsa é de 150 euros mensais, atribuídos pelo período de 10 meses aos 18 alunos do ensino superior público, somando já mais de meia centena os alunos apoiados nos últimos anos pela autarquia. As Bolsas de Estudo são atribuídas por concurso, de acordo com o rendimento per capita comprovado.

PUB

Quanto aos prémios de mérito escolar, a CMM brinda os melhores alunos do 2º e 3º ciclo e secundário que estudam em Mação, enquanto reconhecimento pelo seu esforço e pela sua prestação escolar. Os prémios de 2º e 3º ciclo são de 250 euros, e do ensino secundário de 500 euros, e a atribuição é feita com base na informação disponibilizada pelo Agrupamento de escolas. Este ano foram distinguidos Bruno Serras, com média de 4,7 valores (2º ciclo), Mónica Silva, com média de 5 valores (3º ciclo) e Inês Pereirinha com média de 19 valores (Secundário).

Por fim, o Prémio Gonçalo Matos, que premeia a excelência e tem o nome do aluno do concelho que, até à data, teve a melhor média de entrada no Ensino Superior desde a instituição dos prémios, foi atribuído a Inês Pereirinha, uma vez que ingressou na Universidade com média de 18,6 valores.

PUB
Foto: mediotejo.net

 

Cada ano o prémio é atribuído ao aluno com residência no concelho, mesmo não sendo estudante em Mação, que tenha a melhor média de entrada no Ensino Superior. Quando a média de Gonçalo Matos for ultrapassada o prémio receberá o nome do aluno que a superar, o que, apesar dos 18,6 valores de média de Inês Pereirinha, ainda não aconteceu este ano, tendo a média do Gonçalo Matos sido de 19,1 valores. O valor do prémio Gonçalo Matos é de 500 euros.

No palco, para proceder à entrega das distinções, esteve o presidente da CMM, Vasco Estrela, e os vereadores do executivo municipal António Louro, Vasco Marques, Margarida Lopes e Nuno Barreta, bem como o diretor do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação, José António Almeida.

Na ocasião, o diretor do AEVH frisou que “é um prazer enorme estar presente na cerimónia, porque nós estamos aqui a reconhecer e premiar os melhores e quando estamos perante os melhores temos que render a devida homenagem. Porque o trabalho é essencialmente deles, mas também é um trabalho de retaguarda de muita gente”, disse, referindo-se ao trabalho das famílias, mas também do agrupamento de Escolas, dos docentes e não docentes.

Foto: mediotejo.net

“Se tivermos o cuidado de ir verificar o sucesso de cada um dos alunos, por norma, salvo raríssimas exceções que dificilmente encontramos, têm famílias que são capazes de os acompanhar nas suas capacidades, no seu trabalho. Mas também estamos a premiar o trabalho do agrupamento, dos professores, dos funcionários, da comunidade… Porque é preciso uma conjugação de fatores para que o sucesso aconteça”, acrescentou José António Almeida.

A Câmara Municipal foi também referenciada pelo diretor do Agrupamento de escolas pelo seu compromisso em relação às famílias. “É cada vez mais difícil a estudar no Ensino Superior, os encargos são de dimensão tal que alguns agregados familiares teriam dificuldade em os cumprir na íntegra. E a CMM, ao longo dos anos, tem tido claramente a convicção de que pode associar-se a esse esforço e tem-no feito (…) Esta opção de associar-se aos agregados familiares é digno de registo. Agora todos vocês têm o compromisso de fazer a vossa parte: o trabalho e a renovação de 15 bolsas, porque se não houver sucesso não há renovação”.

PUB

“A comunidade maçaense está claramente de parabéns porque está a investir numa geração de jovens de sucesso, e isso é ganhar o futuro. Mação convosco ganhará o futuro”, terminou o docente.

Por sua vez, Vasco Estrela, presidente da CM Mação, deixou algumas considerações sobre os critérios de atribuição das bolsas de estudo, que por vezes geram alguma desconfiança na comunidade ou mesmo desconforto.

“Os critérios são muito claros e objetivos, e conforme sempre tenho dito, a CMM baseia a atribuição das bolsas naquilo que são os documentos que são disponibilizados. E não temos razões para colocar em causa documentos que são oficiais, e disponibilizados para a Câmara emitidos por entidades oficiais”, começou por afirmar.

Foto: mediotejo.net

O autarca referiu que não há “hipótese de conhecer a vida de todos os alunos” e existem algumas situações “complicadas, difíceis de analisar, mas peço que acreditem que aquilo que é analisado, é aquilo que nos é disponibilizado”, insistiu, agradecendo também aos elementos do júri, que não estando presentes, trataram da avaliação das candidaturas para atribuição de bolsas de estudo.

“Peço aos que viram as suas bolsas renovadas mas também, e principalmente, àqueles que agora têm bolsas que aproveitem esta disponibilidade que a CMM tem para fazerem aquilo que têm a fazer, a vossa parte: estudar, tentar tirar boas notas e concluir com sucesso o vosso percurso escolar. É isso que a Câmara espera de vocês, e é isso que seguramente a vossa família espera de vocês e que é isso que vocês querem de vocês próprios”, disse, dirigindo-se aos alunos sentados na plateia, e recordando a “sensibilidade” necessária para cumprir as condições que constam no regulamento das bolsas de estudo.

PUB

Em 13 anos, indicou Vasco Estrela, a CM Mação investiu mais de 500 mil euros em bolsas de estudo, uma quantia que disse ser “significativa” e mencionando, a título comparativo, que o próprio Centro Cultural é um equipamento orçado em cerca de 600 mil euros.

“Dinheiro que era de todos nós, foi direcionado para os estudantes, para as famílias, e este é só um dos muitos apoios que a CMM tem dado agora e no passado”, enquanto uma “política adequada” e que é “uma questão de opções”, uma vez que a autarquia não é obrigada a atribuir bolsas de estudo.

Foto: mediotejo.net

Em jeito de balanço, quanto ao apoio dado ao longo da última década, o autarca referiu que “era bom que o retorno tivesse sido outro. Que o concelho tivesse possibilitado que muitos desses alunos fizessem a sua vida na sua terra. Bem sabemos que é difícil e que a esmagadora maioria não está cá e provavelmente dificilmente voltará, muitos até foram para o estrangeiro. Mas nós cumprimos a nossa parte e tentamos diariamente fazer com que o concelho ou a região possam absorver estes jovens”, concluiu, esperando que os órgãos autárquicos possam trabalhar em conjunto para que o concelho seja terra de esperança e de futuro para os jovens que estão no Ensino Superior.

Vasco Estrela deixou ainda uma palavra aos alunos premiados por mérito escolar, frisando que “o concelho esteve neste momento a reconhecer os melhores” e “para a história fica gravado que, no dia 27 de dezembro de 2017, vos rendeu homenagem e vos distinguiu como os melhores”.

Também na cerimónia estiveram a subdiretora do AEVH, Rufina Costa, o presidente da Junta de freguesia de Ortiga, Rui Dias, e o secretário da Junta de Freguesia de Amêndoa, João Bragança.

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here