- Publicidade -

Mação | Liga dos Combatentes aproxima-se dos sócios da região interior

A Liga dos Combatentes, através do Núcleo de Abrantes, presta apoio médico e social a todos os sócios combatentes e seus familiares, disponibilizando um acompanhamento gratuito e dando várias regalias aos sócios com quotas em dia (descontos em serviços, comércio, saúde,…). Pretendendo fazer um trabalho de proximidade, num território vasto (7 concelhos), o Núcleo de Abrantes conta com o apoio das autarquias e das Redes Locais de Intervenção Social para efetivamente chegar a todos os sócios e poder prestar atendimento em condições favoráveis, evitando deslocações longínquas ou acudindo em casos de impedimento de deslocação, quer pela idade, quer pela vulnerabilidade do combatente.

- Publicidade -

Sérgio Augusto de Matos, presidente da direção do Núcleo de Abrantes, disse ao mediotejo.net que a “divulgação é muito importante”, apontando que “de 2015 para 2016, houve um aumento de mais de 50% dos casos sinalizados, e das respostas”.

Na quarta-feira à tarde, o CC Elvino Pereira recebeu uma ação informativa e de divulgação do Programa Cuidados de Saúde e Apoio Social, que a Liga dos Combatentes promove através da Direção Central e que pretende que seja uma realidade nos concelhos do Interior do país, caso de Mação.

- Publicidade -

img_7704
Sérgio Augusto de Matos, presidente da direção do Núcleo de Abrantes da Liga dos Combatentes, esteve em Mação a apresentar aquele que é o trabalho de proximidade feito junto dos sócios. Foto: mediotejo.net

Segundo Sérgio Augusto de Matos, o Núcleo de Abrantes tem “um objetivo a curto prazo de poder levar este apoio médico e social a outros concelhos que ainda não dispõem. Estamos a dar uma resposta em que todos os combatentes, sócios que se enquadrem dentro do âmbito para serem apoiados por este programa, podem ser convocados, e em Abrantes, em instalações adequadas nós fazemos esse atendimento”.

Ainda assim, existe uma tentativa de atendimento descentralizado. “Vamos tentando chegar a outros municípios, e no início do ano 2017, até muito em breve, fazer aquilo que fizemos aqui no município de Mação em Gavião”, referiu.

O presidente da direção deste Núcleo abrantino frisa a importântica de um “apoio de proximidade” e “apoio gratuito, que se tem revelado de extrema importância na qualidade de vida dos combatentes. (…) De 2015 para 2016, houve um aumento de mais de 50% dos casos sinalizados, e das respostas”, notou.

“Nem todos os núcleos têm esta capacidade de poder chegar a todo o lado. O Núcleo de Abrantes tem uma responsabilidade acrescida porque está na Liga desde muito perto da sua origem, tem uma área geográfica com implantação de apoio em 7 concelhos, e todos os sócios têm de ser apoiados de igual forma. Daí termos de ser nós a ir ter com eles, também devido à vulnerabilidade e à idade não têm capacidade de vir ter connosco”, explicou o responsável.

img_7701
Segundo Sérgio Augusto de Matos, o Núcleo de Abrantes tem “um objetivo a curto prazo de poder levar este apoio médico e social a outros concelhos que ainda não dispõem. Foto: mediotejo.net

Neste sentido, o apoio das autarquias tem também o seu peso. “Apoiamo-nos nos municípios, que nos podem dar aqui um apoio nas instalações, e na coordenação da Rede Local para podermos chegar aos seus municípios. Mas de facto, estamos quase especialistas nesta área. Como se trata de combatentes, e nestas patologias, a equipa técnica tem 71 pessoas que trabalham a nível nacional neste programa, têm formação e conseguem ir ao encontro daquilo que eles procuram. Estamos mais formatados”, disse, fazendo notar que “os resultados têm sido fantásticos, e servem um complemento da RLIS (…) O feedback tem sido bastante bom, não só para o combatente, mas também para sua a família”.

15310709_1277866252275689_2062896065_n
Luís Correia, psicólogo e especialista em Stress Pós-Traumático fez uma breve apresentação sobre o trabalho feito no âmbito do Programa Cuidados de Saúde e Apoio Social. Foto: mediotejo.net

A Liga dos Combatentes conta com o CEAMPS (Centro de Estudos e Apoio Médico, Psicológico e Social), um órgão de apoio e aconselhamento da Direcção Central (DC).

Este Centro de Estudos desenvolve a sua ação através do Centro de Estudos e Projectos de Investigação (CEPI), dos Centros de Apoio Médico, Psicológico e Social (CAMPS) e do Centro de Apoio à Inclusão Social (CAIS).

Os CAMPS são estruturas de Apoio Médico, Psicológico e Social. Atualmente estão a funcionar o CAMPS 1 (Lisboa e Vale do Tejo); CAMPS 2 (Sul e Algarve – Núcleo de Loulé); CAMPS 3 (Norte – Núcleo do Porto); CAMPS 4 (Centro – Núcleo de Coimbra); CAMPS 5 (Norte Interior – Núcleo de Chaves) e CAMPS 6 (Alto Alentejo – Núcleo de Évora), Ilha Terceira, Beja e Beira Interior, abrangendo todas as zonas do país com ligação aos Núcleos da Liga (108 núcleos) que funcionam como Postos de Triagem e Encaminhamento. Os CAMPS são constituídos por equipas multidisciplinares (Médicos, Psiquiatras, Psicólogos Clínicos, Assistentes Sociais, Técnicos de Reabilitação, Enfermagem, etc.) centradas no combatente e sua família.

Pretendem estes dar apoio médico, de enfermagem, apoio psicológico (acompanhamento individual, terapia de grupo, apoio psicossocial (domiciliário), fazer avaliação psicológica, e intervenção em caso de crise.

15310284_1277866215609026_802704693_n
Na plateia estiveram alguns combatentes sócios da Liga de Combatentes. Foto: mediotejo.net

 

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).