Mação | José António Almeida diretor do Agrupamento de Escolas por mais 4 anos

Foto: mediotejo.net

José António dos Santos Almeida tomou posse nesta terça-feira à tarde para levar a cabo a recondução do agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação. Num Conselho Geral diferente, com auditório cheio, o recém-empossado diretor fez a sua declaração de ensino, frisando ainda no seu discurso que guardou este ato como o último da iniciativa Escola Aberta 2017 como sinal de que “a escola não pode fechar as portas, tem que as abrir cada vez mais”. “Tenho muita vontade em continuar e tenho a concordância da minha família”, assumiu.

PUB

Resultado da eleição realizada pelo Conselho Geral no dia 6 de março, e após 8 anos, que segundo a presidente do Conselho Geral, Maria José Mendes, foram pautados pela “convivência saudável, respeito, onde se instalou a amizade, a solidariedade e o gosto pelo nosso trabalho entre todos os intervenientes do Agrupamento de Escolas”, José António Almeida prepara-se para liderar o agrupamento por mais 4 anos.

“Estou certa que, tomada a decisão de candidatar-se novamente ao cargo de diretor, o vai continuar a exercer com o mesmo sentido de responsabilidade e isenção, pautando sempre a sua atuação pelo princípio da transparência, sem esquecer que a qualidade da educação sempre foi a sua preocupação ao longo destes 8 anos”, disse Maria José Mendes, lembrando a referência e importância da instituição para o concelho, já com 79 anos desde o antigo colégio D. Pedro V.

PUB

José António Almeida, também deputado da Assembleia Municipal e Deputado da Comunidade Intermunicipal, disse à comunicação social estar pronto para mais 4 anos de direção. “Eu gosto imenso do que faço e ainda tenho a sorte de me pagarem, nem toda a gente se pode gabar. Se calhar é o sonho de todas as pessoas. e por isso eu tenho que me considerar um felizardo”, tendo acrescentado “Eu garanto que venho todos os dias trabalhar sem nenhum sacrifício, venho com gosto”.

Foto: mediotejo.net

O diretor espera que os próximos 4 anos decorram “com serenidade, com a mesma qualidade, tentando ir fazendo aqui e acolá coisas diferentes”, assumindo que já na primeira vez que se candidatou “foram sinais da comunidade educativa que me chamaram a vir, porque abandonar as funções que eu vinha a desempenhar com um gosto extraordinário, nem foram facilmente percebidas. Porque eu deixei um lugar que é cobiçado por muita gente e com sucesso, mais ou menos reconhecido, estava feliz naquela função”.

PUB

Reconhecendo que “foi uma opção interessante”, o docente diz continuar a ter “um gosto imenso pela atividade política. Ou seja, ao vir para o agrupamento eu não fechei completamente a porta da atividade política”, fazendo a ligação com as duas paixões, a da educação e a da política.

No plano de ação apresentado ao Conselho Geral aquando da sua recandidatura, José António Almeida frisa 3 parâmetros fundamentais: resultados, prestação de serviço educativo e liderança/gestão.

Pretende-se o enfoque no sucesso escolar, menos retenções, mais qualidade no sucesso, projetos e práticas cada vez mais inovadores, e modelos de gestão cada vez mais modernos e eficazes, apresentou durante o seu discurso perante o auditório.

A equipa mantém-se, e “aos quatro, como a todos os restantes colegas e funcionários, solicito apenas uma coisa: lealdade para comigo e para com o agrupamento”. Na Direção 2017-2021 conta novamente com a subdiretora Rufina Costa, e os adjuntos Margarida Cardoso, Ilídio Vicente e João Gonçalves.

Foto: mediotejo.net

O maior desafio, esse, remete para o número ainda significativo de retenções em alguns anos. “Ainda temos alguns anos em que as retenções são um número que não nos podem deixar associados. Muitas vezes sabemos que os alunos não querem estar na escola, sabemos que a escola não é atrativa para um conjunto de alunos, e para esses alunos, se calhar nem a escola nem coisa nenhuma”, como tal “esse é o maior desafio, ao tentarmos descobrir como é que conseguimos passar alguma formação e que tipo de formação é necessária para os podermos certificar”, referiu.

PUB

Outro desafio passa por atrair a comunidade a frequentar a Escola como instituição do concelho. Assim, a tomada de posse aconteceu no encerramento da atividade Escola Aberta 2017. “Somos uma Escola aberta todos os dias, mas nestes dias é um bocadinho mais aberta no sentido que é mais visível, ou seja, todas as nossas salas, todos os nossos laboratórios, todos os nossos cursos mostram à comunidade o que vão fazendo”, explicou José Almeida.

Contando com atividades de todos os cursos, bem como dos clubes da escola, e com colaboração dos professores, os laboratórios de Ciências estiveram abertos, os alunos de Saúde fizeram medições de níveis e houve demonstração de projetos dos alunos de Mecânica.

“Tivemos um conjunto de atividades absolutamente interessantes, tivemos o auditório cheio os dois dias com sessões como por exemplo, durante todo o dia nesta terça-feira, o I Encontro de Filosofia para Crianças, com os maiores especialistas no país, e com trabalhos e provas dadas nessa área, para nós é extremamente gratificante”, acrescentou.

Quanto à adesão da comunidade foi positiva, mas ainda está aquém do pretendido. “Há um conjunto da comunidade que não é fácil vir à escola, esse é o principal desafio. (…) Já temos as portas abertas, mas agora falta criar uma atratabilidade ainda maior, ou seja, fazer com que eles venham à escola como vão a qualquer outra instituição da comunidade. Porque nós queremos que a escola seja mais uma instituição da comunidade”, fez notar.

O auditório encheu e as cadeiras não foram suficientes para quem quis participar na cerimónia de tomada de posse do diretor José António Almeida, que reconduz por mais 4 anos o agrupamento de Escolas Verde Horizonte de Mação. Foto: mediotejo.net

Também presente na mesa esteve o presidente da CM Mação, Vasco Estrela, que abordou os 8 anos de direção exercidos por José António Almeida. “Da parte da CMM fazemos um balanço extremamente positivo daquilo que foi a sua atuação ao longo destes anos”.

PUB

Vasco Estrela apontou ainda “a abertura que a escola teve à comunidade maçaense, a interação que estabeleceu com vários agentes da nossa comunidade, o aprofundamento da relação com a CMM, a tentativa crescente e cada vez mais empenhada em inovar, em criar novas soluções para o agrupamento de escolas, em criar uma escola mais atrativa e o sonho que o Dr. José António Almeida persiste, em tentar alcançar, fazendo da escola de Mação uma escola de referência”.

O autarca concordou com a necessidade de “aprofundar a relação da escola com a comunidade”, sugerindo que isso possa ser feito através dos cursos técnico-profissionais “que tenham mais a ver com a realidade socioeconómica e com o tecido empresarial do nosso concelho”, esperando que a escola possa ser cada vez mais “uma escola aberta, para que a comunidade se sinta cada vez mais incluída”. Espaço houve também para que se demonstrasse a preocupação em “tentar contrariar o triste desígnio que todos temos pela frente em Mação e em grande parte do país” referindo-se à diminuição do número de alunos.

Enquanto representante da Associação de Pais e Encarregados de Educação, Vera Dias António, salientou o papel da escola como espaço de aprendizagem na vivência e socialização das crianças e jovens. “A escola não deve ser só o sítio onde se estuda e se tiram boas notas, deve ser basicamente o local onde se aprende a viver. Eu penso, sinceramente, senhor Diretor, que é este o grande desafio da escola. Porque este é o espaço, o local, é neste tempo de vida dos nossos filhos, vossos alunos, mais interagem com os outros. É assim na escola que o grosso da socialização dos nossos filhos é feita e é efetivamente aqui que eles aprendem a viver com o outro, com os outros”. A representante fez ainda notar que “mais do que olhar por vezes para os resultados e de apresentar resultados, e lutar por resultados (…) será importante nos próximos anos pensar no espaço que damos e no tempo que oferecemos aos alunos para aprender a viver nesta parte importante da sua perigosa vida, que é o espaço Escola”.

A acompanhar a cerimónia estiveram os jovens alunos Amélia Silva (voz), Ana Barrento (voz e guitarra), João Delgado (teclas e guitarra) e Samuel Martins (voz) que embalaram os presentes em harmoniosas intervenções musicais no decorrer da sessão. Foto: mediotejo.net

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here