- Publicidade -

Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Mação | Guilherme Matos é 1º classificado nacional de Português nos Prémios Milage Aprender+

O aluno Guilherme Matos, do Agrupamento de Escolas Verde Horizonte, de Mação, venceu a 3ª Edição dos Prémios Milage Aprender+ enquanto 1º classificado nacional da disciplina de Português. Esta foi a primeira edição do concurso para esta disciplina, pelo que o feito ganha maior relevo junto da comunidade escolar. Também reconhecidos foram a docente Lucília Nogueira, que implementa este projeto na escola, bem como a direção do Agrupamento por acolher o Milage Aprender+. Este é um projeto que visa um modelo de ensino mais dinâmico, digital e interativo, que se pretende instituir em todo o país, permitindo uma aprendizagem mais digital com avaliação formativa dos alunos, cada um ao seu ritmo, ao passo que permite um feedback individual e personalizado dos docentes e um acompanhamento mais imediato. De momento são cerca de 120 mil os alunos que utilizam a plataforma nas suas aprendizagens, de norte a sul do país.

- Publicidade -

Na presença da turma de 10º ano à qual pertence, Guilherme recebeu das mãos de Mauro Figueiredo, mentor e coordenador do projeto Milage Aprender+, um iPAD e um certificado. O aluno disse ter sido “uma honra ter aceite o desafio e ter cumprido este objetivo durante o ano letivo 2020/2021”, agradecendo o reconhecimento.

Já a docente de Português, Lucília Nogueira, foi galardoada com um certificado e um voucher para um fim-de-semana, para duas pessoas, no Algarve.

- Publicidade -

Também o Agrupamento de Escolas recebeu um certificado pelo mérito enquanto “um agrupamento inovador e com um extraordinário desempenho e dedicação no processo de ensino-aprendizagem da disciplina de Português, com recurso à plataforma Milage Aprender+”.

Guilherme Matos, o vencedor a nível nacional da classificação de Português. Foto: mediotejo.net

José António Almeida, diretor do AEVH, reconheceu que o programa “está a ter uma implantação cada vez maior no território nacional, e em Mação temos a sorte de estar a ter algum protagonismo na sua implementação e alargamento. Temos a trabalhar neste projeto, e como responsável na área do Português, a professora Lucília Nogueira. Nesta fase está a trabalhar praticamente a tempo inteiro no programa e faz toda a diferença”.

- Publicidade -

O docente aproveitou para deixar agradecimentos, em primeiro lugar à Câmara Municipal de Mação, na pessoa do autarca Vasco Estrela, presente na sessão, uma vez que é a autarquia a responsável pelo financiamento para aplicação do programa.

Agradecimento também ao mentor do projeto, Mauro Figueiredo, com quem a escola de Mação tem mantido uma relação estreita. José António Almeida agradeceu a ambos o apoio que permitiu que o AEVH “entrasse de uma forma tão intensa neste programa que tem a particularidade de quase não precisarem os alunos de serem incentivados a utilizá-lo”.

“Aqui têm a possibilidade de concretizar algo, de forma útil, com uma coisa que gostam muito: utilizando o telemóvel”, salientou, dirigindo-se aos alunos da turma, que assistiam à sessão no auditório da Escola-sede, esta quinta-feira, dia 16, à tarde.

Foto: mediotejo.net

Mauro Figueiredo, mentor do Milage Aprender+, lembrou que este foi o primeiro ano em que se fez classificação de Português nos Prémios Nacionais, que arrancaram na disciplina de Matemática. 

Parabenizando o 1º classificado de Português e a docente Lucília Nogueira, o coordenador reconheceu “a abertura do Agrupamento de Escolas para permitir que os alunos utilizem as tecnologias na sala de aula” bem como o apoio dado pela autarquia maçaense na implementação do Plano de Inovação e Produção de Sucesso que está a ser implementado no AEVH de Mação, “para que possam aprender de uma forma diferente, utilizando os telemóveis, potenciando o que tem de bom e as suas vantagens, para que estejam preparados e tenham sucesso”.

“O melhor investimento que pode haver, de facto, é na Educação, para que os jovens tenham futuro, concretizem os seus sonhos. Estão todos de parabéns”, reforçou.

Da parte da Câmara Municipal de Mação, o presidente Vasco Estrela começou por dar os parabéns ao aluno vencedor, esperando que seja “um bom prenúncio para outras vitórias”.

Foto: mediotejo.net

“Que sirva de estímulo para todos, porque foi o vencedor da primeira edição da classificação de Português, vai ficar sempre na História por ter sido o primeiro e na Escola de Mação”, sublinhou.

O edil notou que a autarquia apoia este projeto “na perspetiva que entendemos que esta é uma boa ferramenta para vos capacitar, para estarem em pé de igualdade, como muitos outros alunos e quiçá um bocadinho mais à frente, para as lutas que se avizinham no futuro e singrarem na vida”.

Vasco Estrela lembrou outros tempos, há várias décadas, quando estudar em Mação “era um fator de desvantagem relativamente ao que acontecia a muitos outros territórios do país”.

“Com estas e muitas outras iniciativas, a Câmara Municipal tenta dar condições aos jovens para que, com a sua inteligência e com o trabalho, serem capazes de concorrer com outros”, afirmou, pedindo que os alunos “aproveitem e vejam coisas positivas naquilo que é oferecido pela escola, pela direção e pelos senhores professores, e também por outras entidades, entre as quais a Câmara Municipal se inclui, nas condições que tentamos proporcionar para que sejam bons alunos e pessoas que concretizem os sonhos quando forem adultos”.

Aplicação desenvolvida pela Universidade do Algarve pretende dar maior autonomia ao alunos, dentro e fora da sala de aula

Foto: DR

Lucília Nogueira, professora de Português no Agrupamento de Escolas de Mação que integra a dinamização da plataforma, tem tirado partido das novas tecnologias e das diferentes abordagens e conteúdos sobre a matéria.

Não tem dúvidas das mais-valias que a aplicação traz em contexto de aprendizagens, nomeadamente junto de alunos com maior dificuldade ou cuja atenção seja mais difícil captar para os estudos.

ÁUDIO | Lucília Nogueira, professora de Português no AEVH e utilizadora da aplicação na sala de aula:

Desenvolvida pela Universidade do Algarve a app MILAGE Aprender+ para dispositivos móveis tem por objetivo dar oportunidade aos alunos de aceder a conteúdos em qualquer parte, através do seu telemóvel.

“Esta app é uma ferramenta de apoio aos alunos na resolução autónoma de fichas de exercícios e de apoio ao professor na gestão do seu tempo na sala de aula, na medida em que este não tem de resolver na sala de aula os exercícios que constam nas fichas integradas na aplicação”, refere-se no portal do projeto.

ÁUDIO | Mauro Figueiredo, coordenador do programa MILAGE Aprender+:

Por outro lado, pretende estimular com recurso a uma interface apelativa alunos com diferentes níveis de aprendizagem e interesse, permitindo apoiar de forma mais sólida os alunos com maior dificuldade de aprendizagem e incluir os alunos mais avançados no processo.

A aplicação apresenta as soluções dos exercícios e ajuda a perceber passo a passo a resolução dos mesmos, inclusive com recurso a vídeos.

Guilherme Matos, o aluno vencedor, a docente Lucília Nogueira e Mauro Figueiredo, mentor do Milage Aprender+. Foto: mediotejo.net

Em termos de avaliação, permite um esquema de auto-avaliação e de avaliação pelos pares. “Visa estimular o trabalho autónomo do aluno, a revisitação dos conteúdos para o armazenamento do conhecimento na memória de longa duração e a identificação dos passos fundamentais na resolução de exercícios”, refere o portal do MILAGE Aprender+.

Este é um projeto que está a ser alargado a nível nacional, tendo sido assinado um protocolo entre a Direção Geral de Educação (DGE) e a Universidade do Algarve (UAlg) para colaboração “a nível técnico, pedagógico e logístico, no sentido de promover a divulgação e a utilização da aplicação MILAGE APRENDER+, junto dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Não Agrupadas”. O intuito é alargar esta aplicação a outras disciplinas, gradualmente, além do Português e Matemática, do pré-escolar ao ensino secundário.

FOTOGALERIA

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome