Mação | Fraca oferta de ATL para as crianças leva Câmara a ponderar novas soluções

Foto: Getty Images

A falta de capacidade do ATL para crianças em Mação, da responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia, tem deixado alguns candidatos de fora. Perante a fraca oferta, e ausência de iniciativa privada, a autarquia não deixa de lado a hipótese de encontrar em conjunto com a Santa Casa da Misericórdia e/ou o Agrupamento de Escolas uma solução para a afluência de interessados na ocupação de tempos livres para os mais novos.

PUB

Vasco Estrela disse, após o assunto ter sido falado na passada reunião de Câmara pelo vereador Nuno Barreta (PS), que só a Santa Casa da Misericórdia de Mação detém ATL para as crianças mais pequenas.

“Tem havido alguma oscilação, e prevejo que nos próximos anos esta dificuldade seja mais gritante, até porque temos esperança que algumas coisas possa correr bem e possa haver necessidade de reforçar a capacidade do ATL”, referiu o autarca, aludindo aos investimentos anunciados que irão criar postos de trabalho no concelho, nomeadamente no setor da canábis.

PUB

O presidente da Câmara disse que irá reunir com o Provedor da Santa Casa no sentido de “perceber se há alguma possibilidade de alargamento nas atuais instalações” ou se “a atual direção tem interesse em fazer algum tipo de obras” para fazer face à questão, que entende “não ser fácil”.

A Câmara Municipal já pensou em algumas soluções, nomeadamente através de criação de resposta em conjunto com o Agrupamento de Escolas.

PUB

“Tem algumas questões de legalidade, por um lado, de concorrência, por outro. Temos de ver qual a solução mais indicada. De alguma forma, pode haver aqui espaço para a iniciativa privada, mais ou menos formal, de poder colmatar esta dificuldade. Quiçá, pode surgir oportunidade ‘de negócio’ para que alguém possa fazer o acompanhamento destas crianças nos tempos livres”, notou.

O presidente da Câmara reconhece que se trata de algo “complicado”, mas que não se pode colocar a questão de não dar condições aos pais para poderem criar no concelho os seus filhos.

“É uma situação a acompanhar e tentar perceber em concreto de quantas pessoas se trata, sendo que foram apontadas pelo vereador cerca de 9 a 10 interessados”, afirmou.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here