Mação | Emigrantes voltaram a encontrar-se para reforçar laços à sua terra (c/fotos e vídeo)

Foto: mediotejo.net

Dezenas de emigrantes e ex-emigrantes voltaram a juntar-se no Jardim Municipal de Mação (Jardim dos Peixinhos) para o quinto Encontro de Emigrantes. Uma tarde de convívio para rever familiares, conhecidos e amigos, e, acima de tudo, fortalecer as raízes na terra que, por força da vida e/ou profissão, foram levados a deixar. A tarde de festa terminou à volta da mesa, com uma prova dos produtos típicos de Mação e com a tradição e património a serem elevados pelos cantares de música tradicional, à boa maneira maçaense.

PUB

O presidente da Câmara Municipal, Vasco Estrela, acompanhado da vereadora Margarida Lopes e dos presidentes de Junta Rui Dias (Ortiga) e Nuno Bragança (Carvoeiro), deu início à iniciativa, e frisou que o objetivo passa por “tentar manter a ligação destas pessoas ao seu concelho”.

Por outro lado, “é também de um simbolismo importante, porque queremos manifestar que estas pessoas, independentemente de nesta altura da sua vida não estarem a viver em Mação – alguns já regressaram – todos são poucos para ajudar a construir o nosso concelho e a ultrapassarmos as dificuldades que temos”, disse o presidente de Câmara maçaense, insistindo que serve ainda para que “a esmagadora maioria das pessoas, apesar de não viverem cá, sintam Mação como a sua terra, não percam as suas raízes e possam contribuir para ajudar a desenvolver o nosso concelho”.

PUB

“Aquilo que tentamos é que as pessoas sintam que têm um concelho que as reconhece, porque o afastamento leva normalmente a um maior esquecimento e desapego, e com isto tentamos solidificar esta relação que nos parece importante”, frisou.

A festa, que já vai na quinta edição, tem contado com animação musical ao vivo por parte de grupos de cantares do concelho, e este ano foi o Grupo de Cavaquinhos da Academia de Cooperação e Cultura e do Grupo de Cantares da Serra (Associação Recreativa e Cultural de Serra) a ser responsável pelo repertório tradicional com ritmo marcado pelas palmas dos participantes.

Os participantes tiveram direito também a uma pequena lembrança do município. Foto: mediotejo.net

E que, à boa maneira portuguesa, puderam rodear as mesas com comes e bebes, onde não faltaram os produtos típicos de Mação, como o presunto, a doçaria, os vinhos e outros.

Vasco Estrela lembrou ainda a realização de um outro encontro com migrantes do concelho, desta feita em Lisboa, no dia 12 de outubro. “Será o segundo encontro, o primeiro foi realizado durante o meu primeiro mandato enquanto presidente de Câmara, precisamente com a intenção de manter o sentimento de pertença e ligação ao concelho por parte das pessoas que vivem, nomeadamente, na área metropolitana de Lisboa, e para que possam fazer sugestões, críticas, entrar no debate sobre aquilo que o concelho está a viver e que já viveu, e como poderá vir a ser o futuro”, contextualizou o autarca.

PUB

No seguimento desta linha, o encontro na capital do país terá também uma vertente cultural e de convívio, “para que de uma forma tranquila, à-vontade e despida de qualquer preconceito, as pessoas possam dizer o que pensam, possam trocar contactos”.

“É mais uma forma que encontrámos para tentar que o nosso concelho seja construído por todos aqueles que, de alguma forma, o querem fazer e aqueles que têm ligação a Mação têm uma maior apetência para o fazer”.

Foto: mediotejo.net

O autarca frisou valorizar neste tipo de encontros os contributos dados pelos participantes, lembrando que os motes das suas candidaturas tiveram como princípio a ideia de coletivo.

“Quando me candidatei a frase do primeiro mandato era «Unidos Construímos o Futuro» e no segundo «Todos Construímos Mação» e tenho tentado ser consequente com o que tenho dito desde sempre, tenho tentado incorporar aquilo que são os contributos que vêm de outros”, disse, lembrando outra iniciativa levada a cabo pelo executivo municipal que tem liderado, que trata a “Volta ao Concelho” passando pelas freguesias e reunindo em assembleia com as populações, auscultando as suas sugestões, críticas, problemas e tentando registar tudo para que se chegue a uma solução.

“Obviamente que nem tudo é possível ser feito, nem todas as ideias podem ser aproveitadas independentemente do seu mérito, mas temos tido uma postura de Câmara aberta, onde as pessoas possam estar, manifestar as suas opiniões, e quando fazemos esta volta pelas freguesias, quando reunimos na vila com os emigrantes e nos encontramos em Lisboa com maçaenses, estamos a dar oportunidade aos que têm mais dificuldade em contactar com a Câmara e queremos o contributo de todos, pois o concelho é de todos”, concluiu.

5.º ENCONTRO DE EMIGRANTES 2019

Publicado por Joaquim Diogo em Quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Vídeo: Joaquim Diogo / CM Mação

Fotogaleria:

PUB

 

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here